Conheça nossas Trilhas

19 de junho de 2024
22.78°C New York
Ilustração de um projeto de paisagismo

20 ideias para montar um lindo projeto de paisagismo!

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Neste artigo, iremos abordar a respeito de diversas ideias para se montar um lindo projeto de paisagismo. Falaremos  sobre a importância de ter um bom desenho para o seu jardim. Assim como, a procura por um profissional que possa montar o seu projeto. Além, claro, de muitas dicas.

O projeto de paisagismo

Primeiramente, o projeto de paisagismo visa a construção de um espaço que seja adequado ao uso e que também  as necessidades do seu usuário. Portanto, para a criação de um determinado projeto, deve-se levar em conta algumas características. Como por exemplo: harmonia, equilíbrio, além é claro de um grande conhecimento a sobre plantas ornamentais. Entretanto, é importante destacar que o paisagismo é algo muito maior que uma simples definição de espécies vegetais.

Desse modo, existem muitas “especialidades” de paisagismo. Afinal cada área/lugar precisa de um projeto especifico. Aqui, ressaltaremos a principal divisão: espaços públicos x espaços privados.

20 ideias para montar um lindo projeto de paisagismo!

O paisagismo em espaços públicos, como o próprio nome já diz, é aquele de uso comum de todos, portanto existem:

  • Projeto de Rua: sua maior função consiste na circulação e é considerado um dos elementos mais importantes de uma cidade;
  • Projeto de Praça: utilizada na maioria das vezes para encontros de pessoas, momentos de lazer;
  • Projeto de Parque: um pouco parecida com as praças, os parques possuem a função de lazer e bem-estar para os indivíduos.

Leia também: 10 dicas para você começar a fazer um jardim vertical

Já em relação aos espaços privados, podemos destacar:

  • Paisagismo residencial: se destacam por evidenciar vários conjuntos constantes no ambiente, como por exemplo, modelo de piso, acessos, caminho etc;
  • Paisagismo em edifícios privados: dentre as várias funções importantes, cumpre mencionar a transição das pessoas e a maneira como elas devem adentrar ao edifício, e até mesmo a organização entre blocos, caso haja;
  • Paisagismo em edifícios púbicos: possuem praticamente as mesmas funções do modelo anterior, entretanto, com uma problemática com relação a manutenção necessária neste ambiente.

E você caro leitor, tem ideia de como iniciar o seu projeto? Passaremos a demonstrar a importância de um profissional para modular o seu projeto.

Como montar um projeto de paisagismo?

A princípio o jardim visa a valorização de um elemento decorativo da sua casa. No entanto, para que possamos desenhá-lo, devemos ter em mente que o jardim possui a mesma importância que qualquer outro ambiente da sua residência. Portanto, alguns itens são extremante importantes e essenciais para o inicio do seu projeto de paisagismo, as necessidades do cliente, a realização de um levantamento fotográfico, uma minuciosa coleta de dados e uma investigação a respeito dos espaços que devem constar no projeto.

Leia também: 5 Técnicas de Paisagismo e Jardinagem que você precisa conhecer. Entenda Antes!

Contudo, nada seria possível sem a ilustre participação de um profissional. O arquiteto paisagista, possui a função de pensar e planejar um determinado ambiente, deixando-o apresentável para aqueles que o usufruirão.

Embora o profissional somente é procurado quando o interesse é a estética do local, este deverá levar em consideração muitos fatores. Entre eles a harmonização dos quatro elementos essenciais em um determinado projeto: geográficas, hidrográficas, bióticas e humanas.

Além de todas as informações repassadas até o momento, selecionamos algumas ideias importante e interessantes a serem utilizadas:

20 ideias para montar um lindo projeto de paisagismo!

  1. Vale a pena investir em uma iluminação que valorize ainda mais o seu projeto de paisagismo.
  2. O jardim vertical tem sido uma tendência e uma opção muito utilizadas em projetos de paisagismo.
  3. Outra grande ideia e que cairá muito bem no paisagismo, é a utilização de pedras e madeiras nesse ambiente.
  4. Caso o seu projeto de paisagismo seja localizado em ambiente externo, utilize bancos, pufes e outros móveis de jardim para deixar o seu local ainda mais confortável.
  5. Em residências que o espaço externo seja maior, opte por plantar árvores frutíferas.
  6. Uma dica bastante utilizada é o pergolado.

 

Leia também: 90 Modelos de jardins externos para você se inspirar | Dicas para montar um incrível jardim externo.

 

  1. Pensando em algo criativo, que tal colocarmos um lago artificial.
  2. A utilização de decks em madeira é muito recomendada. Principalmente, para aqueles que buscam deixar o seu ambiente ainda mais aconchegante.
  3. Preencha os espaços vazios de sua casa. Afinal, a presença de plantas e flores fazem com que os locais que antes eram vazios, ganhem vida.
  4. A presença de fontes de água também deixará o seu projeto mais elegante. Lembrando que pode ser encontrado em diversos tamanhos e modelos.
  5. Uma dica barata e de fácil acesso, são os caixotes. Eles trazem um visual inovador ao seu projeto de paisagismo.
  6. Neste caso, lembre-se das redes e balanços.

 

Leia também: Como escolher as luzes para jardim? Entenda Antes!

 

  1. Para aqueles que não possuem uma área externa em sua residência, a dica é um jardim de inverno. Ele traz sofisticação e leveza para o ambiente.
  2. Seja sincero com o seu cliente e o oriente sobre a demora no crescimento das plantas, e que isso requer cuidados diários.
  3. Não podemos deixar de falar também que um projeto de paisagismo deve ser pensados para espaços que serão realmente aproveitados diariamente pelas pessoas.
  4. Afim de aproveitar ao máximo esse seu espaço, disponha de mesas e cadeiras no seu projeto de paisagismo.
  5. No seu projeto de paisagismo também há de ser estudado o clima. Pois, não podemos nos esquecer das chuvas, da umidade do ambiente e a incidência de luz solar.

Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre vasos vietnamitas

 

  1. Lembre-se que um projeto de paisagismo mal elaborado e mal planejado, possui um elevado custo de manutenção. Bem como a troca periódica de eventuais plantas que fazem parte do ambiente.
  2. Vale a pena a contratação de profissionais qualificados que realmente entendam do assunto paisagismo.
  3. Finalizamos lembrando da importância em providenciar a manutenção em seu jardim. Afinal, para que ele permaneça bonito e florido, é preciso cuidar diariamente dele.

 

Projeto de paisagismo de Flávia Bighetti

Projeto pronto, e agora?

Agora que você já conferiu dezenas de dicas extremamente valiosas  para montar um lindo projeto de paisagismo, é hora de pensar na criação do seu próprio ambiente. Como já mencionado, você precisa de um profissional capaz de lhe auxiliar com a mudança do seu ambiente. Mas, você precisa deixar ele com a sua cara, sua personalidade. Essa é a dica de ouro.

Por fim, vale lembrar que, um projeto de paisagismo sempre valoriza qualquer imóvel. Além é claro, de trazer um ambiente muito mais aconchegante para toda a sua família e amigos. Por isso, vale a pena investir, tempo e dinheiro.

 

Como o projeto de paisagismo é importante para a harmonia do jardim

 

Veja também:O que é Paisagismo e qual sua vantagem? Aqui você encontra inúmeras dicas para montar um lindo projeto de paisagismo, tornando o seu ambiente ainda mais prazeroso e acolhedor. Explicamos o conceito e as vantagens de ter uma base do projeto, bem como a necessidade da contratação de um profissional que lhe dará dicas a serem utilizadas e implantadas da melhor maneira.

Leia também: Está pensando em começar uma horta? A gente te ajuda!

Esperamos que tenham gostado do assunto. Caso tenha surgido interesse, e até mesmo restado alguma dúvida, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco.

Contamos com uma equipe de profissionais altamente qualificados, prontos para oferecer, com total segurança e eficiência, todo o suporte necessário. A Entenda Antes foi criado para que possamos ter a troca de conhecimento e informação, pois é o meio que possui o poder de melhorar os nossos negócios; além disso, acreditamos também que se faz necessário a busca pela facilidade, comodidade e agilidade.

como não errada na hora de escolher os móveis de jardim?

Tudo que você precisa saber na hora de escolher os móveis de jardim!

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Neste artigo, iremos abordar a respeito de tudo que você precisa saber na hora de escolher os móveis de jardim, bem como a importância deles para dar aquele charme no ambiente externo da sua casa. Trataremos ainda sobre a escolha de modelos de mesas, sofás, cadeiras, balanços, entre outros. Bonitos móveis de jardim são o sonho de muita gente que procura conforto para ambiente externo. Afinal, chegar em sua casa e poder contar com um espaço agradável para descansar é uma vontade de muitos.

Visto que, o jardim é uma maneira simples e efetiva de cuidar do bem-estar, é importante criar um espaço confortável. Se existe um lugar considerado perfeito para descompressão, é o jardim. Já que, é o ambiente em que na companhia das plantas, você encontra ar fresco para respirar, um clima mais agradável e ameno para se pensar nas coisas importantes do seu dia a dia. Uma das coisas que colabora para quem deseja ter um jardim perfeito, são os móveis de jardim.

Leia também: Como escolher as luzes para jardim? Entenda Antes!

Neste sentido, os móveis de jardim são um complemento para que se possa passar ainda mais tempo nesse ambiente. Por isso, pensando no seu bem-estar, o seu jardim precisa ser bem decorado e equipado com móveis aconchegantes.

Tudo que você precisa saber na hora de escolher os móveis de jardim!

A escolha correta dos móveis de jardim tem o poder de fazer com que este espaço fique ainda mais confortável, oferecendo além da beleza, a comodidade e praticidade em meio a correria do dia a dia. Portanto, no momento da escolha da decoração desse espaço, onde você reúne a família e amigos é preciso optar por moveis que tragam o relaxamento e que lidem com o clima da área externa.

É preciso traçar prioridades no momento da escolha dos móveis para o jardim, e ter em mente o que você deseja e pensa para esse ambiente. Haja vista que, existem diversos modelos de móveis de jardim. Assim, é necessário optar por aquilo que lhe agrade, mas que também tenham um bom custo x benefício.

Veja também: O que é Paisagismo e qual sua vantagem? Aqui você encontra dicas que te ajudam a conhecer a respeito da técnica do paisagismo, que vai muito além da criação de jardins e praças.

Móveis de jardim que você vai se apaixonar!

Pois bem, no momento de decorar o seu jardim, para que você possa usufruir deste espaço relaxante a aconchegante, se faz necessário focar na funcionalidade dos móveis. Já que, sabemos que existem diversos modelos e materiais de móveis para o jardim, é importante selecionar as suas prioridades.

Espreguiçadeira

Uma ótima opção para relaxar e ler um livro. Por serem as queridinhas na hora de mobiliar o jardim, existem diversos modelos e materiais diferentes. As espreguiçadeiras de madeira por exemplo, trazem uma sofisticação para o ambiente. Já as de alumínio prevalecem por conta da sua resistência.

Móveis para jardim

Seleção especial de espreguiçadeiras para você comprar: 

[vc_row bg_type=”” dima_canvas_style=”” top_shape_color=”#ffffff” bottom_shape_size=”small” bottom_shape_color=”#ffffff” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ delay=”” animate_item=”” delay_duration=”” delay_offset=”” id=”” class=”” border_color=””][vc_column bg_type=”” dima_canvas_style=”” min_height=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” width=”1/1″][vc_row_inner bg_type=”” dima_canvas_style=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDdUTlNNV1o1JTI2YXNpbnMlM0RCMDdUTlNNV1o1JTI2bGlua0lkJTNEOTQ3OGJiYzRiNjhiN2VhMzc2ZTU1YjFkNGRmNmIxY2ElMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDdUTFAxV0dEJTI2YXNpbnMlM0RCMDdUTFAxV0dEJTI2bGlua0lkJTNENmMwYjgwYTY5NmQxYzlhMzJmOTg4Y2ExYjE1ZTIxMjclMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDdERjJGODZDJTI2YXNpbnMlM0RCMDdERjJGODZDJTI2bGlua0lkJTNEMWFmNTAyZTVlY2JkYzYyODMyMDRlOGMxZDkzN2JkYjElMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDc4UDFTQ1RSJTI2YXNpbnMlM0RCMDc4UDFTQ1RSJTI2bGlua0lkJTNEOWIzZmUwZGIzNmY5ZDZiZDlmOGM1NmI3NDVkY2U2NDYlMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″][/vc_column_inner][/vc_row_inner][vc_row_inner bg_type=”” dima_canvas_style=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDc3MldEOUQzJTI2YXNpbnMlM0RCMDc3MldEOUQzJTI2bGlua0lkJTNEMzNlZjgyZDAxOGNmYmU4NzVhMDQ1M2IyNzJlMjMwZjglMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDc2UE1UNUhCJTI2YXNpbnMlM0RCMDc2UE1UNUhCJTI2bGlua0lkJTNENjI4ZGI2NGY2NTkzZTQ4YTUxNWVmOGEyMjJkYWI2MjUlMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDdUTlJXNzFHJTI2YXNpbnMlM0RCMDdUTlJXNzFHJTI2bGlua0lkJTNEODJmYTE2ZTg0N2M1Yjg3NjJmMWZmYTEwNjA1MmZjMjAlMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][vc_column_inner delay=”” delay_duration=”” delay_offset=”” translate_x=”0″ dima_z_index=”0″ width=”1/4″][vc_raw_html]JTNDaWZyYW1lJTIwc3R5bGUlM0QlMjJ3aWR0aCUzQTEyMHB4JTNCaGVpZ2h0JTNBMjQwcHglM0IlMjIlMjBtYXJnaW53aWR0aCUzRCUyMjAlMjIlMjBtYXJnaW5oZWlnaHQlM0QlMjIwJTIyJTIwc2Nyb2xsaW5nJTNEJTIybm8lMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzcmMlM0QlMjIlMkYlMkZ3cy1uYS5hbWF6b24tYWRzeXN0ZW0uY29tJTJGd2lkZ2V0cyUyRnElM0ZTZXJ2aWNlVmVyc2lvbiUzRDIwMDcwODIyJTI2T25lSlMlM0QxJTI2T3BlcmF0aW9uJTNER2V0QWRIdG1sJTI2TWFya2V0UGxhY2UlM0RCUiUyNnNvdXJjZSUzRHNzJTI2cmVmJTNEYXNfc3NfbGlfdGlsJTI2YWRfdHlwZSUzRHByb2R1Y3RfbGluayUyNnRyYWNraW5nX2lkJTNEZW50ZW5kYWFudGVzLTIwJTI2bGFuZ3VhZ2UlM0RwdF9CUiUyNm1hcmtldHBsYWNlJTNEYW1hem9uJTI2cmVnaW9uJTNEQlIlMjZwbGFjZW1lbnQlM0RCMDdKR0JZM1A5JTI2YXNpbnMlM0RCMDdKR0JZM1A5JTI2bGlua0lkJTNENGMyNDIyZjZmNWVlYmE2MDA2OGM2MWIzZGY2MTc4NzAlMjZzaG93X2JvcmRlciUzRHRydWUlMjZsaW5rX29wZW5zX2luX25ld193aW5kb3clM0R0cnVlJTIyJTNFJTNDJTJGaWZyYW1lJTNF[/vc_raw_html][/vc_column_inner][/vc_row_inner][/vc_column][/vc_row]

Sofás

Uma outra opção muito aconchegante para esse ambiente, é o sofá e as mesas de centro. Uma vez que decida por eles, opte por materiais de tecidos impermeáveis e de fácil secagem.

Móveis para jardim: os sofás

Balanços e redes

Para quem busca conforto e diversão, e que com toda certeza deixará o seu jardim descontraído, são os balanços. Outra dica interessante é optar por uma rede, pois a mesma, permite relaxar e até mesmo tirar aquele cochilo.

Móveis para jardim: Balanços

Mesas

Os móveis para refeição que lhe proporcionam um ambiente agradável para um jantar, um almoço ou até mesmo um café. Por isso, na sua lista de móveis para o jardim não pode faltar os jogos de mesas.

Móveis para jardim: Mesas

Acessórios para combinar com seus móveis!

Apresentados diversas opções de móveis de jardim. Mas o charme vêm de uma combinação entre  interessante estes e seus acessórios. Assim, consequentemente o seu jardim ficará  ainda mais aconchegante:

  1. Os enfeites para o jardim, como por exemplo, vasos com estilo moderno, lamparinas e até mesmo estátuas; invista também nas decorações para o vaso, com pedras por exemplo.
  2. As fontes de água também é um acessório que ajuda a relaxar o corpo e a mente, sendo uma boa opção.
  3. A Grama sintética também tem sido uma opção para aqueles que preferem não ter o devido cuidado com a grama natural.

Pensando nisso, na hora de decorar, primeiramente identifique o perfil do usuário daquele determinado espaço. já que a decoração de um ambiente residencial é a tradução do que você é ou gostaria de ser. Ou seja, o jardim deve ser bem agradável e com a personalidade dos moradores.

Cuidados

O cuidado de forma correta dos móveis de jardim também é essencial para que eles durem por muito tempo e faça o seu investimento realmente valer a pena. Lembrando que cada tipo de material exige um cuidado e manutenção diferente. Como:

  • A madeira, por exemplo, precisa ser tratada para evitar danos;
  • O alumínio é uma opção resistente mas requer cuidados quanto a chuva;
  • Tecidos, são mais complicados para realizar a limpeza;

É importante na hora de escolher, pensar também no tempo disponível para esses cuidados. E principalmente no gasta com a manutenção de cada material.

Esperamos que tenham gostado do assunto e que tenha ficado claro a importância dos móveis de jardim para a sua casa. Caso tenha surgido interesse pelo assunto, e até mesmo restado alguma dúvida, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco.

Leia também: Lagos ornamentais e piscinas naturais, tenha um paraíso em sua casa!

Contamos com uma equipe de profissionais altamente qualificados, prontos para oferecer, com total segurança e eficiência, todo o suporte necessário. A Entenda Antes foi criado para que possamos ter a troca de conhecimento e informação, pois é o meio que possui o poder de melhorar os nossos negócios; além disso, acreditamos também que se faz necessário a busca pela facilidade, comodidade e agilidade.

Fale conosco, solicite o seu orçamento a respeito daquilo que você procura e precisa sobre o mundo da construção que iremos te ajudar a realizar este sonho. Esperamos e estamos dispostos a inspirá-los a construir ou redecorar os móveis do seu jardim.

Luzes para jardim

Como escolher as luzes para jardim? Entenda Antes!

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

As luzes para jardim podem ser trabalhadas como item de decoração, ainda mais quando se trata de área externa. Elas nos permitem destacar plantas, árvores, objetos expostos e até formar caminhos de passagem. Afinal, com um belo projeto de paisagismo transformamos qualquer área externa em um lugar para festas, confraternizações, ambientes de lazer.

Leia também: O que é Paisagismo e qual sua vantagem?

Existem vários modelos de luzes para jardim, afinal existem vários estilos de jardim. De tal forma que, cada um deles requer uma iluminação especifica. Dessa forma, o primeiro passo é conhecer as plantas que fazem parte do seu paisagismo, e assim saber onde serão colocados pontos de luz estratégicos e definir o tipo de luz que será usada.

Antes que você opte por um estilo de iluminação, que tal aprender um pouco mais sobre cada detalhe? Vamos adiante.

Como reconhecer o estilo do meu jardim?

Existem mais de 50 estlos de jardim, e para cada um deles é necessário um luzes de jardim. Vamos aprender um pouco sobre os 6 tipos mais conhecidos e mais utilizados pelos paisagistas.

Jardim Inglês

Luzes para jardim inglês

É bem conhecido por jardim de vó, pois ele traz formas curvas e formas arredondadas. Por não ser totalmente plano e ter ondulações no terreno é necessário de um grande espaço para ser planejado. Quando se está nele, deve-se ter a sensação de andar em um bosque antigo, com pouca ou nenhuma intervenção humana pois valoriza a paisagem natural.

Jardim Francês

Luzes para jardim francês

É mais conhecido por jardim clássico. Nesse estilo há total domínio do homem sobre a natureza. Além disso, tem formas geométricas e simetria perfeita, assim os caminhos são largos e bem definidos. As pedras são pouco utilizadas, ao passo que os arbustos verdes e pinheiros tem lugar de destaque devido a possibilidade de simetria.

Jardim Italiano

Luzes para jardim italiano

Bem semelhante ao Jardim Francês, porém tem uma particularidade: utiliza plantas frutíferas, flores, estátuas e principalmente fontes. A água, normalmente é o ponto central do jardim, por isso, ela não pode ficar de fora.

Jardim Japonês

Luzes para jardim japonês

Tem um ambiente tranquilo que transmite paz e espiritualidade. Neste tipo de jardim é valorizado a cultura japonesa onde elementos como água, pedras, plantas são utilizados. Assim, detalhes visuais como texturas e cores são menos importantes.

Jardim Desértico ou Rochoso

Luzes para jardim desértico

É conhecido por conter plantas xerófitas (cactos e suculentas). Apesar das variações dentro desse tipo de jardim, todos eles apresentam plantas simétricas, onde os espinhos estão muito presentes. Por consequência, tem um baixo custo de manutenção, pois não exigem podas constantes.

Jardim Tropical

Luzes para jardim tropical

Bem semelhante ao Jardim Inglês, pois tem caminhos e contornos naturais. É um ambiente descontraído e sem simetrias, plantas de cores vivas estão presentes. É comum ter pedras, fontes, lago, tudo o mais natural possível e quando se colocar acessórios dê preferências aos materiais e texturas naturais.

Tipos de iluminação de Jardim

Depois de decidir qual tipo de jardim mais combina com seu estilo vamos ver alguns tipos de luzes para jardim.

  • O Poste de iluminação podem ter vários modelos e estilos e tem uma versão mini, utilizado para clarear caminhos ou plantas próximas ao chão.
  • Os cordões de luz dão um toque personalizado do ambiente. Além de, serem muito delicados e charmosos. Pode ser colocado em jardins com árvores, colunas, pergolados.
  • As luzes balizadoras são normalmente utilizadas para indicar caminhos, escadas, degraus, tudo que está próximo ao chão. Podem ser colocados direto no piso, em paredes, trazendo visibilidade na circulação do jardim. Por isso, essas luzes de jardim são perfeitas para dar um charme especial no espaço externo.
  • As luminárias espeto e os refletores são bem parecidos. Ambos são utilizados para destacar elementos do jardim , pois tem o foco de luz direcionado. São instalados no chão e o feixe de luz para cima, em direção ao objeto a ser focado.
  • As lâmpadas embutidas trazem segurança na hora de circular pelo jardim. Iluminam de baixo para cima e sua instalação requer maior planejamento. Por isso, são perfeitas para corredores e passagens.
  • As arandelas são instaladas nas paredes ao redor do imóvel. É um tipo de iluminação vertical que realçam os contornos das plantas, objetos, assim oferecendo uma iluminação indireta ao ambiente.
  • As luminárias subaquáticas são instaladas dentro de piscinas, fontes. Além de iluminar o ambiente trazem destaque para água, causando um efeito muito diferente e impactante. A noite elas ficam incríveis.
  • Não tão comum em luzes de jardim, mas os pendentes também podem ser instalados. Com função decorativa são utilizados em pergolados e varandas. Pois é preciso que haja uma cobertura para sua instalação.

Inspirações

  • Em volta do canteiro de flores

Inspiração de como usar as luzes para jardim

  • No caminho

Modelo de como usar as luzes para jardim em caminhos

  • Para iluminar plantas

Como usar as luzes para jardim em árvores

Tipos de luzes para jardim

Depois de escolher a iluminação é importante definir o tipo de luzes para jardim. Com toda certeza o modelo preferido de lâmpadas é o LED, mesmo que sejam coloridas. Afinal o LED tem um custo benefício ótimo, elas duram mais e economizam energia.

Quando se trata de luz quente ou luz fria nos referimos a tonalidade de cor que queremos proporcionar ao ambiente. A diferença é que a luz fria proporciona mais contraste e dá a impressão de mais claro, já a luz quente traz mais aconchego e maior conforto ao ambiente. Lembrando que quanto mais baixa a temperatura de cor, menor será a sua eficiência. Em caso de ambientes que necessitam uma atenção maior utiliza-se uma luz de jardim de cor mais fria.

Os tons amarelados criam um efeito mais real, sendo assim, são ótimas para destacar plantas e deixar o ambiente aconchegante. Já a luz branca é utilizada, na maioria das vezes, quando o objetivo é apenas clarear o lugar. Tons verdes também são sempre procurados, mas cuidado para não exagerar e criar um ambiente bagunçado visualmente.

Para algumas áreas pode-se utilizar sensores de movimento que só vão acender as luzes se houver movimentação. Nos locais que deseja manter iluminado a noite toda, até por questão de segurança, se utiliza um sistema de programação para acender e apagar as luzes em horários programados.

Depois de tantas ideias ficou fácil de decidir qual luzes para jardim utilizar. Não se esqueça, é sempre importante a ajuda de um profissional na hora da instalação. Inspire-se e divirta-se!

Está pensando em começar uma horta? A gente te ajuda!

Está pensando em começar uma horta em casa? A gente te ajuda!

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Neste artigo, iremos falar a respeito das vantagens de termos uma horta em casa. Além disso, daremos  dicas de quais plantas devem ser utilizadas para começar uma horta em casa, quais os cuidados devem ser tomados, qual terra utilizar e qual o melhor lugar para fazer uma horta em casa.

Dentre os benefícios de se ter uma horta em casa, podemos destacar o preparo da terra, o acompanhamento do desenvolvimento das plantas e é claro a colheita do seu próprio alimentos. Seja ela para ocupar um grande espaço na sua casa e que possa produzir o suficiente para alimentar a sua família, ou então, que ela ocupe um espaço menor, para que sirva de utilização diária.

Para começar uma horta em casa elencaremos as mais variadas dicas para que não reste dúvidas quanto ao início deste projeto.

Para começar uma horta elencaremos as mais variadas dicas para que não reste dúvidas quanto ao início deste projeto

Primeiramente, é super necessário um planejamento que aborde itens como: a área será utilizada, onde será realizada a sua horta. Além disso, é preciso verificar quais os instrumentos e insumos que devemos possuir para dar início ao trabalho.

Pode-se dizer ainda que, ao iniciar a sua horta em casa, a observação será um grande diferencial. Haja vista que, você deve procurar ajuda de alguém que já tenha um horta em casa. Isso te ajudaria e muito no sentido de observar o trabalho empenhado diariamente, bem como quais são seus principais procedimentos.

Como conclusão, diante das vantagens e a busca pela melhoria na qualidade de vida, o cultivo de hortas residências, sejam elas em grandes ou pequenos espaços nunca caíram em desuso, já que elas possuem vários motivos fascinantes, entre eles, a possibilidade de cultivar alimentos, a sua beleza natural, entre outros.

Portanto, podemos destacar inúmeros benefícios com relação a qualidade de vida, quais sejam:

  1. Saúde: você colhe alimentos frescos, passa a conhecer o manejo e pode diversificar sua alimentação.
  2. Economia: cultivando o seu próprio alimentos, você estará economizando no momento da compra.
  3. Terapia: a prática com o cuidado com a sua horta em casa, para que ela fique livre de doenças e pragas, acaba se tornando uma atividade terapêutica.
  4. Conhecimento: com o cultivo de hortaliças, plantas e temperos, se faz necessário a busca de informações com relação ao manejo.

Seguindo essa linha de pensamento, selecionamos alguns tópicos a serem mencionado no decorrer deste artigo.

Com quais plantas devemos começar uma horta em casa?

Para a escolha das hortaliças que deverão fazer parte da horta em casa, devemos primeiramente, levar em consideração o espaço em que teremos disponível em nossa casa. Ademais, é muito importante observar alguns outros fatores, quais sejam:

  • clima da região;
  • época do ano;
  • tempo disponível para os devidos cuidados

 

Com quais plantas devemos começar uma horta

Outro fator que precisa ser observado é que as plantas possuem uma química entre si, por isso, se colocadas próximas uma das outras, é necessário observar a sua reação. Em tese, você precisará demarcar a sua área disponível e conhecer a respeito das condições climáticas e estruturais. Confira algumas sugestões:

  • Alface: necessita de um espaço teoricamente grande, pois as folhas precisam de um espaço de no mínimo 20 centímetros de distância entre elas.
  • Cebolinha: uma ótima opção para quem não possui um espaço grande. Um tempero chave, que pode ser utilizada em inúmeras receitas.
  • Salsinha: além de combinar muito bem com a cebolinha, também não exige um espaço grande, adapta-se até mesmo em vasos pequenos.
  • Hortelã: o chá de hortelã é muito simples de ser feito; e ela é uma erva fácil de ser cuidada.

O cultivo de plantas caseiras faz com que você tenha temperos frescos e sem agrotóxicos, reforçando o cardápio saudável da sua família.

Quais os cuidados a serem tomados

Os cuidados que devemos tomar com a nossa horta varia de planta para planta, mas o que devemos nos ater no início é, a rega diária, bem como o recebimento de em média quatro horas de sol por dia.

Quais os cuidados a serem tomados em uma horta?

Entretanto, existem vários adubos químicos que podem ser utilizados. Nossa dica mais importante é: opte por uma horta orgânica. Deste modo, utilize adubos naturais, como por exemplo, o húmus de minhoca. É importante também se atentar para a poda, evitando o crescimento das flores.

Confira algumas dicas básicas:

  • Escolha um lugar bastante ensolarado: uma horta precisa de no mínimo quatro horas de sol por dia.
  • Dê espaço para que ela cresça: as ervas precisam de um vaso de no mínimo 15 centímetros de profundidade para que cresçam saudável
  • Atente-se a drenagem: a água não pode ficar acumulada, pois a sua planta pode ficar afogada.
  • Veja quais ervas combinam entre si: não são todas as ervas que compartilham o mesmo espaço de maneira pacífica.
  • Cuidado com a quantidade de água: é mais comum à sua horta ficar afogada do que seca.
  • Não esqueça de adubar: é preciso adubar a horta uma vez a cada dois meses.
  • Poda: não tenha medo de podar as folhas secas ou os galhos doentes.
  • Colha com cuidado: o ideal é cortar um ramo com uma boa tesoura; não utilize as mãos.

Qual tipo de terra devemos utilizar

Em tese, para o início de uma horta em casa, devemos contar com um terreno plano, que recebe iluminação solar e ventilação moderada. Entretanto, a maioria dos terrenos necessitam de adubação, exceto aqueles que são naturalmente férteis.

É possível a utilização de fertilizantes químicos ou orgânicos, sendo importante que as formulações contenham nutrientes que o seu solo necessite.

Qual tipo de terra devemos utilizar em uma horta?

Em caso de compra, opte por terras de boa qualidade, conhecido como composto orgânico ou terra preta. Não utilize o adubo químico, isso é extremamente fundamental para uma horta orgânica. Confira a dica para preparar a terra:

  • Areia: utilizada para drenar a ajudar e fundamental para a fixação das raízes.
  • Terra comum e/ou terra vegetal: garante a umidade que a planta necessita.
  • Adubo orgânico: rico em nutrientes para o crescimento saudável da planta.
  • Brita ou argila: utilizadas para forrar o fundo do vaso.
  • Cobertura morta: folhas secas, aparos de grama.

Por fim, adube o solo sempre que necessário, isso garante o crescimento das gerações futuras e mantém o solo fofo.

Onde fazer uma horta

Uma horta independe do espaço disponível, haja vista que ela pode ser feita em um vaso comum e até mesmo em garrafas recicláveis, sendo assim, qualquer pessoa pode fazer uma horta em casa, seja ela em um jardim ou em uma sacada de apartamento.

Em se tratando de horta, podemos perceber que o tamanho não é documento. No entanto, seja qual for o tamanho disponível para darmos início, é necessário que esse espaço atenda algumas condições básicas, como o recebimento de luz solar sempre que possível, sendo indicado no mínimo quatro horas por dia; um local de fácil acesso e protegido contra o vento; que exista o solo, seja ele num vaso, canteiro ou até mesmo cano; e que se tenha água a disposição.

Onde fazer uma horta?

Acabamos de lhes apresentar inúmeras dicas capazes de auxiliar no início da sua horta. Agora é hora de pensar nas criações do seu próprio ambiente. Como já mencionado, você não precisa de muito para começar uma horta em casa.

Lembrando mais uma vez que, a horta residencial é capaz de nos render inúmeros benéficos voltados a qualidade de vida. Entretanto, não se esqueça que no momento do início, é preciso levar em consideração as características do seu projeto, e lembre-se também de contratar um profissional que tome todos os cuidados necessários no momento da sua caminhada inicial.

Por fim, cumpre destacar aos leitores que as hortas possuem inúmeros benefícios, dentre eles, envolvendo a sua saúde. Lembrando também que, cada horta possui sua relevância e exige além do bom gosto no momento da escolha, um planejamento, já que a produção de alimentos é encantadora e estimula hábitos mais saudáveis. Por isso, vale a pena investir.

Leia também: 10 dicas para você comecar a fazer um jardim vertical

A Entenda Antes foi criado para que possamos ter a troca de conhecimento e informação, pois é o meio que possui o poder de melhorar os nossos negócios. Além disso, acreditamos também que se faz necessário a busca pela facilidade, comodidade e agilidade.

Fale conosco, solicite o seu orçamento a respeito daquilo que você procura e precisa sobre o mundo da construção que iremos te ajudar a realizar este sonho. Esperamos e estamos dispostos a inspirá-los a darem os primeiros passos nesse universo incrível que é a agricultura.

Como fazer um jardim vertical?

10 dicas para você começar a fazer um jardim vertical

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Você sabe o que é um jardim vertical? Gostaria de também de fazer um jardim vertical na sua casa ou empresa?

O jardim vertical, também chamado de ecoparede, é uma intervenção paisagística em paredes externas e/ou internas dos edifícios. Uma vez que, as ecoparedes são paredes cobertas por vegetação através de diversas técnicas. Quem vive em área urbana ou sem espaço para um bom quintal, muitas vezes sente falta do contato com a natureza. Por isso, o jardim vertical  é a solução para quem gostaria de cultivar umas plantinhas. Mesmo que em um apartamento ou espaço mínimo para elas.

Basta escolher um canto de sua casa para acolher o verde, harmonizando com os demais ambientes. Um jardim vertical pode ser instalado não apenas numa parede. Mas também, num canto ou até mesmo numa sequência de espaços como prateleiras e aparadores.

O que achou da ideia? Se gostou, confira algumas dicas de como fazer um jardim vertical de maneira prática. Mesmo que, com o pouco espaço que você possua.

Como fazer um jardim vertical?

O que é um jardim vertical?

Um jardim vertical é um jardim fixado no sentido vertical ou suspenso por suportes na vertical em paredes ou muros, criando painéis verdes com plantas de diversas espécies.

Atualmente, os jardins verticais vêm sendo muito usados em fachadas de edifícios com propostas sustentáveis. E isso se dá porque ele cria um isolamento acústico e térmico natural. Além disso, ajuda no controle da iluminação natural que incide sobre as fachadas dos edifícios.

Assim, muitos edifícios de grande porte estão investindo no jardim vertical. Com o propósito de, economizar energia, reduzir a poluição do ar e poluição sonora. Tanto quanto, criar ambientes mais amigáveis para quem mora ou trabalha neles.

Mas se engana quem pensa que o jardim vertical é uma exclusividade dos grandes edifícios. Você também pode fazer um jardim vertical, do tamanho que desejar.

 

Como fazer um jardim vertical em uma parede interna

Os benefícios de um jardim vertical

Entre os benefícios de um jardim vertical podemos citar os seguintes:

  • Ajudar na diminuição dos efeitos da emissão de carbono, reduzindo a poluição do ar e melhorando sua qualidade e umidade;
  • Ajuda a aumentar os níveis de oxigênio nos ambientes e edifícios;
  • Contribui para a reutilização da água;
  • Contribuir para o isolamento acústico e térmico da construção;
  • Aumentar a durabilidade dos prédios, pois diminui a amplitude térmica, e faz captação do ar quente e de energia solar;
  • Paredes verdes são uma ótima opção em áreas de clima árido e quente. Visto que, a evaporação da água neles é menor do que em jardins horizontais. Além disso, nas paredes externas dos prédios auxilia na redução da temperatura.

Como fazer um jardim vertical em uma varanda

Dicas de como fazer um jardim vertical

Agora que você já sabe o que é e quais são os seus benefícios, é importante saber também:

1- Observe seus espaços a preencher

Um meio ambiente harmônico é aquele em que tudo tem o seu lugar e que nenhuma área é invadida pela outra. De nada adianta você amar sua samambaia e colocá-la pendente no teto acima da televisão,  por exemplo. Isso pode não ser uma boa ideia. 

Para fazer um jardim vertical, a primeira coisa que dever ser feita  é olhar em volta. Sem dúvida, é importante perceber onde há espaços livres na casa. Bem como, uma parede branca, um canto da área de serviço, o parapeito de uma janela. Ou você pode abrir um espaço especial para o seu jardim e aí começar a escolher as plantas. 

2- Pense no custo benefício, agregue valores.

Não adianta investir alto numa orquídea de colecionador se não tiver tempo ou souber cuidar dela. Pense em sua rotina, em sua família. Há filhos pequenos? Não cultive a venenosa comigo-ninguém-pode, por exemplo. Viajam muito? Pense em cactos ou suculentas. Por outro lado, caso tenha sempre alguém cuidando da manutenção, pense em cultivar mini hortas e plantar temperos ou ervas medicinais.

Lembre-se, ao investir em plantas, pense que está investindo na harmonia do lar e no meio ambiente onde vive a família.  

Jardim Vertical - Como fazer um jardim vertical

3-  Antes de comprar, escolha plantas com as mesmas necessidades para o mesmo espaço

O solo, o clima e a irrigação devem ser levados em conta antes do plantio do seu jardim.

Cuidado para não cair no erro e dividir no mesmo espaço plantas que são de luz e de sombra. Igualmente com as de solo arenoso e solo argiloso. Se as plantas tiverem características diferentes uma delas será eliminada. Pois a outra, com as condições adequadas, lhe roubará todos os nutrientes. 

4- Irrigação

Fazer um jardim vertical é assumir um compromisso com a água. Suas plantas precisarão ser hidratadas adequadamente, algumas sempre  e outras nem tanto. Assim, mantenha uma rotina. Além disso, estude sobre elas e tenha fresco o conhecimento de quais delas precisarão ser mais irrigadas que as outras. Cuidado também para não encharcar o solo, dê a eles apenas o suficiente para matar a sede.

E claro, em caso de viagens, planeje antes! Por exemplo, um gotejamento contínuo que pode ser feito por implementação de uma garrafa pet perto do solo.

5- Adubação

Muitas vezes o solo precisa ser corrigido ou nutrido. Você pode optar por comprar terra adubada já no plantio. Pode também utilizar húmus de minhoca que é um bom suplemento para nutrir o solo.

Existe também, adubações caseiras que você pode produzir e utilizar em seu jardim. Procure saber sobre, por exemplo:

  • farinha de ossos;
  • casca de ovos
  • compostagem caseira;

6-  Mini horta saudável

Plantar horta em jardim vertical é relativamente fácil. Se você tem animais domésticos deixe os vasos longe do acesso deles. Gatos adoram passear pelo jardim e cães tradicionalmente cavam a terra. Observe também insetos e pulgões. Porém se encontrar joaninhas deixe elas se alimentam de pequenas pragas. Se quiser, deixe no chão um vaso largo de erva de gato e permita que seu bichano se delicie.

Jardim Vertical - Como fazer um jardim vertical

7- Um espaço para plantas pendentes ou trepadeiras

Algumas plantas são mais vistosas e nada discretas. As pendentes como como samambaias, morangos e avencas, precisam de um espaço vertical mais exclusivo. Você pode optar por colunas, aparadores exclusivos ou correntes no teto.

Morangos, por exemplo podem ser plantados harmonicamente num grande arranjo vertical. Já as trepadeiras, necessitam  de mais espaço.

8- Quadro vivo

Uma forte tendência entre os jardins verticais é o investimento em “quadros-vivos”. Trata-se de substituir as pinturas e pratos de parede por quadros com cachepôs e vasinhos sob medida. Entretanto, é importante que não pesem muito e possam ser pendurados como obra de arte.

Basicamente, é uma troca da apreciação de naturezas morta por natureza viva!

Jardim Vertical - Como fazer um jardim vertical

9- Compartilhe espaços e bem estar

Aproveite para fazer do seu cantinho verde um espaço comum agradável no lar. Um aconchego onde você possa meditar, ler um livro, ouvir música ou conversar com família e amigos. Enfim, um lugar para respirar.

10 – Feng Shui

Se você tiver acesso e interesse, pode procurar estudar um pouco sobre Feng Shui, uma prática chinesa de harmonização de ambientes, em busca de fluidez de boas energias para sua casa. Por meio dessa prática milenar, há boas dicas de onde escolher locais indicados para certas plantas que ajudam a cortar energias negativas.

Por exemplo, há plantas certas para banheiros e cozinhas, que puxam para si toda a sujeira e energia ruim. Há também plantas de proteção como Espada de São Jorge e bonsais que ajudam em terapias holísticas.

Jardim Vertical - Como fazer um jardim vertical

Como escolher as plantas do seu jardim vertical

Agora que você já sabe mais sobre o assunto, é hora de escolher as plantas do seu jardim vertical. E sobre esse assunto temos aqui no blog um artigo muito interessante que você também vai gostar de ler: Quais plantas usar no jardim vertical?

Seja por necessidade de verde ou apenas para preencher os espaços, um jardim vertical confere benefícios. Sendo eles, ao meio ambiente urbano e a harmonização do lar. Além disso, é agradável aos olhos. Afinal, esse espaço de natureza faz bem para a alma e torna o ambiente mais limpo e agradável.

Gostou do nosso conteúdo sobre como começar a fazer um jardim vertical? C0nfira então o nosso artigo: Como montar um jardim vertical de forma simples e fácil? E também Dicas de como montar uma parede verde que dê pouca manutenção!  

Plantas ornamentais: tudo que você precisa saber

Plantas ornamentais: tudo que você precisa saber

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Quer saber mais sobre plantas ornamentais e como elas podem deixar sua casa ainda mais bonita? Afinal, plantas dão um toque especial em qualquer ambiente, não é mesmo?

E para te ajudar com isso, preparamos este texto com dicas que com certeza você vai gostar. Acompanhe!

O que são plantas ornamentais

decoração com plantas ornamentais

Plantas ornamentais são aquelas cultivadas e utilizadas pela beleza estética que proporcionam aos ambientes em que estão.

Elas decoram e enfeitam os ambientes. E,  junto com outros elementos, podem definir o estilo de decoração de um espaço, trazer bem-estar, perfume e a harmonia aos moradores da casa. 

A maioria das plantas ornamentais possuem flores grandes, vistosas e coloridas. Suas folhagens podem ser de várias cores, tamanhos e texturas.  No mais, elas florescem em várias épocas do ano e podem ser combinadas entre si em belas composições. 

 

plantas ornamentais - vaso

Como cultivar plantas ornamentais

À princípio, sabemos que toda planta precisa apenas de água e luz do sol, basicamente, para sobreviver. Mas a dúvida que corrói a todos que vivem em áreas urbanas em casas pequenas ou apartamentos é como garantir o sol se não temos espaço ou uma área livre com luz direta do astro rei?

A resposta é simples. Muitas plantas de interior não precisam necessariamente “enxergar” a luz do sol. Ou seja, os raios não precisam atingir diretamente a planta para fazer fotossíntese. A intensidade natural exigida pelas plantas vai de sua sensibilidade ao sol e uma grande parte delas se desenvolve mesmo nas sombras, exigindo apenas que o ambiente esteja claro durante o dia. 

Assim, mesmo que dentro do imóvel não bata sol, se o ambiente é bem iluminado apenas com as cortinas abertas sem a necessidade de lâmpadas acesas antes do entardecer, já é luz o suficiente. Mas, há uma grande gama de plantas consideradas de sombra que se adaptam bem às luzes artificiais e à claridade fria das paredes de um apartamento ou casa sem quintal.

Até mesmo para pessoas que viajam muito e param pouco em seu próprio lar, há plantas que se adaptam à pouca água ou que exigem pouquíssimos cuidados.

plantas ornamentais

As melhores plantas para cada ambiente da casa

Algumas plantas são ideais para certos ambientes da casa, e podem trazer grandes benefícios aos moradores.

Mas atenção! Algumas dessas plantas podem provocar irritações em contato com a pele ou intoxicação. Por isso, é sempre bom consultar quem entende do assunto antes de colocá-la em casa, principalmente se você tem crianças ou pets. 

  • Jasmim: ideal para ter no quarto. Seu perfume promove um sono calmo e profundo e ajuda a reduzir a ansiedade. 
  • Jiboia: fica perfeita no teto da sua sala de estar, próximo à janela, para acentuar a percepção da altura da sala. 
  • Imbé: essa plantinha é um neutralizador e purificador natural de ambientes e por isso seu uso é recomendado para banheiros e lavabos.  
  • Lírios-da-paz: uma ótima opção para decorar o seu home office, pois são lindas e não requerem muito cuidado ou atenção. 
  • Aloe: uma plantinha perfeita para sua varanda ou terraço, pois precisam de luz solar direta. E detalhe: você pode retirar algumas folhas e usar a babosa da planta para queimaduras, cortes e arranhões. 

plantas ornamentais jiboia

Principais tipos de plantas ornamentais

Se você não sabe que planta ornamental usar na sua decoração, indicamos aqui para você os principais tipos, quais sejam:

Suculentas

São as mais adaptáveis e geralmente escolhidas.São assim chamadas porque retém bastante água e não exigem muita luz do sol, tornando-se sobrevivente a baixa irrigação e poucos cuidados por alguns dias.

Entre as suculentas podemos incluir desde exuberantes bromélias a pequenos cactos. Algumas plantas de grande valor fitoterápico também se encontram na categoria, como a babosa, que cresce bem em pequenos cachepôs.

Caso possa contar com uma área livre ou muro, a trepadeira de ora-pro-nóbis, além de ornamental é também comestível. 

plantas ornamentais - suculentas

Samambaias

As samambaias são ótimas opções principalmente para apartamentos e áreas com paredes e tetos livres, já que podem ser penduradas em qualquer lugar. Elas crescem bem dentro de casa, mesmo em ambientes úmidos ou sombreados. Compõem bem os jardins verticais e preenchem espaços quando vão crescendo, decorando naturalmente o ambiente em que se encontram, com suas folhas pendente do xaxim, se destacando naturalmente, quebrando a hegemonia do lugar com um pouco verde da natureza.

A samambaia na decoração pode ser uma ótima opção a quadros na parede. Há cachepôs que se dispõem em jardins verticais e elas podem ser posicionadas como parede viva, numa altura em que suas folhagens pendentes criem uma atmosfera tropical no ambiente.

Não necessitam de luz direta do sol a incidência de claridade natural já é o suficiente, por isso adaptam-se bem em áreas urbanas e apartamentos pequenos.

 

plantas ornamentais - samambaia

Orquídeas

Uma bela opção para quem tem um olhar mais apurado e gosta de flores exóticas. As orquídeas crescem como parasitas de troncos na natureza e se adaptam bem a ambientes de luz indireta, pois precisam apenas de luz à sombra e umidade para se desenvolver.

Porém, são bastante delicadas. Seu caule fino muitas vezes precisa ser acompanhado de um talo para não envergar com o peso da flor. Sua água deve ser drenada e de preferência ser plantada num vasinho de barro poroso.

E olha que interessante: as orquídeas avisam quando não estão gostando do ambiente. Se  notar que suas folhagens escureceram, mude de ambiente.

plantas ornamentais orquídeas

Palmeiras

Entre as plantas ornamentais, a palmeira é uma das mais usadas. Elas são ótimas pra quem tem um pouco de espaço para manter um vaso largo de chão. Nesse caso, é preferível que seja um ambiente onde é possível contar com uma varanda ou quintal que bata um pouco de sol em algum momento do dia. A manutenção das palmeiras é bem duradoura, pois seu crescimento costuma ser lento.

No entanto, é preciso sempre fazer a limpeza das folhagens, quando estiverem velhas e secas, mantendo a harmonia da ornamentação. É importante também se programar para adubar nos tempos quentes como o verão ou até transplantar de vaso de dois em dois anos.

As palmeiras não costumam gostar de ambientes fechados em ar condicionado, ou com muita ventania, não faz bem para elas.

E você sabia que existem 10 tipos de palmeiras diferentes para decorar sua casa? Pois é! Clique aqui e confira

plantas ornamentais - palmeiras

 

Pequenas hortas e frutíferas 

Há vários modelos de mini-hortas que são perfeitos para pequenos espaços. 

Ervas e temperos, como salsa, cebolinha, hortelã, podem ser plantadas até mesmo em um jardim vertical e abastecer seu chá ou sua salada.

Plantas um pouco mais vistosas podem compor vasos bem decorados ao chão, ou nas varandas e janelas. É o caso, por exemplo, das pimentas, tomates-cerejas e alecrim. Também podem decorar cachepôs pendurados, como ocorre com o morango, que cresce em belas hastes, formando uma bela composição.

 

plantas ornamentais ervas

Bonsais

O cultivo de bonsais é uma tradição japonesa que ganhou o mundo por sua fácil adaptação a ambientes pequenos em áreas populosas como grandes cidades. 

Bonsais são árvores em miniaturas que podem produzir flores e frutos. A técnica para desenvolvê-lo parte do corte de dois terços da raiz, modelando a árvore para controlar seu crescimento.

É preciso manter o vaso do bonsai sempre com a terra úmida, regando de novo somente quando a terra estiver seca. Também deve haver dreno e furos no vaso para não encharcar a terra. E lembre-se, o equilíbrio é essencial para a manutenção da planta.

bonsai

Plantas tradicionais

Finalmente, temos as plantas mais comuns. Aquelas que encontramos em toda casa de vó, hospital ou em recepções de áreas comuns que encontramos por aí.

  • Copo de leite: uma das plantas de vaso das mais resistentes, pode durar anos e até pular de geração na família. Requer pouca água e luz, se adapta bem ao ambiente
  • Árvore da felicidade: muito encontrada em hall de portarias, é uma pequena árvore que gosta de sol e água, mas que se adapta bem na escassez também, por isso é considerada uma árvore de sorte.
  • Espada de São Jorge: para quem acredita, é uma planta de forte proteção espiritual. Suas folhas duras e espetadas parecem espadas, que costumam ser colhidas em dia de São jorge e festas de Ano Novo.
  • Comigo-ninguém-pode: como o próprio nome já diz é linda, mas perigosa pois é uma planta venenosa. Suas folhas são verdes e largas com manchas brancas que indicam o veneno. Esfregar as folhas ou comê-las pode ser perigoso, por isso não é indicada para ambientes com crianças e animais.

 

plantas ornamentais - jardim vertical

 

Então, gostou das nossas dicas sobre plantas ornamentais? Então, que tal agora dar uma conferida no nosso artigo sobre jardins verticais?

Tipos de palmeiras para decorar sua casa.

10 tipos de palmeiras para decorar sua casa!

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Os projetos envolvendo tipos de palmeiras estão muito em alta. O que aumenta a sua popularidade, é o momento em que nota-se as enormes vantagens estéticas que elas oferecem ao ambiente.

Para saber mais, leia: Plantas ornamentais: tudo que você precisa saber

Sobre os tipos de palmeiras

Como é possível observar, os mais diversos tipos de palmeiras, estão presentes em diversos locais, seja em jardins, varandas, canteiros, entre outros.

Uma das maiores vantagens em relação a essas plantas, é que elas possuem uma imensa variedade de tipos e tamanhos.

Justamente por conta disso, é comum encontrar uma grande dificuldade sobre qual optar e como escolhê-la.

Afinal, elas exigem sim alguns cuidados e muitos tipos podem se adaptar em locais diferentes dos outros.

De maneira geral, existem algumas espécies de palmeiras que podem ser plantadas em vasos ou canteiros. Porém, um requisito unânime é que elas sejam plantadas fora de casa.

Por conta de possuírem um tamanho avantajado, acabam sendo mais indicadas para áreas externas.

Além disso, a partir do momento em que se decide o local onde ela será plantada, torna-se mais fácil escolher a espécie.

Esse é um dos principais requisitos, já que o ambiente determinará o tipo e tamanho.

Plantio e cuidados

Após decidir onde a qual tipo de palmeira e onde será plantada, saiba que também é muito importante escolher um vaso ou canteiro adequado.

Em relação a essa questão, o mais indicado é sempre se informar com o fornecedor da planta. Afinal, cada uma possuirá uma característica diferente, bem como necessidades.

De qualquer forma, durante o plantio, um detalhe que precisa ser cuidadosamente analisado é o clima.

O clima de cada região influenciará no tipo de palmeira que deve ser escolhido.

Um exemplo clássico e fácil de entender, é que as palmeiras tropicais combinam mais com clima quente, úmido e ensolarado.

Em suma, o mais indicado é que a temperatura anual deve ser sempre acima dos 22 ºC. Assim, a planta consegue se desenvolver de maneira adequada e segura.

Por isso, é muito importante colocá-la em um local onde a luz solar seja oferecida diariamente. A melhor época do ano para plantar é no verão ou outono.

Características físicas

Em primeiro lugar, é fato que qualquer um dos tipos de palmeiras adquirem uma aparência física muito mais bonita e saudável quando são plantadas com terra de qualidade.

Para isso, um dos melhores exemplos é sempre optar por plantá-las, como dito, no verão ou início de outono.

Assim, há um período maior na incidência de chuvas, o que faz com que a planta se desenvolva melhor.

Além disso, o mais indicado é sempre preparar o solo. Para esclarecer, essa preparação pode ser feita com adubo orgânico, que tenha riqueza em húmus.

Tendo esses cuidados durante o plantio, é possível notar o quanto as palmeiras ficam com características estéticas benéficas.

Assim sendo, algumas palmeiras podem apresentar folhas com espinhos ou formato pontiagudo.

Por isso, precisam ser plantadas em terra saudável para que essa característica não se perca, já que podem se mostrar ressecadas ou deficientes.

Por fim, para ressaltar sua beleza física, é indicado escolher adequadamente o local para posicioná-la.

Cuidados com a planta

Como já é de se esperar, um erro muito comum das pessoas, é justamente achar que as palmeiras não precisam de cuidados.

De fato, existem diversos tipos de palmeiras que são altamente resistentes, mas isso não anula os cuidados que precisam receber. Sendo assim, algumas dicas são:

  • Fazer adubação a cada seis meses (utilizando esterco ou demais materiais orgânicos);
  • Podas para direcionar o crescimento da planta;
  • Retirar ramos secos e doentes (é importante para não contaminar folhas saudáveis);
  • Garantir luz solar direta.

Caso seja difícil manter os cuidados de maneira própria em relação aos tipos de palmeiras, o mais indicado é contratar um profissional especializado.

Dessa maneira, será possível garantir que elas sejam cuidadas da forma correta.

É importante ainda ressaltar que as palmeiras adquirem um tempo de vida muito maior quando são cuidadas.

Isso também interfere na impressão que elas deixarão no ambiente que será decorado.

10 lindos modelos de palmeiras

1. Palmeira Imperial

Tipos de Palmeiras

A Palmeira Imperial é ideal para o lado externo de residências. Nesse sentido, é mais indicada para ser plantada fora de vasos, já que cresce demais.

Fica ótima em entradas de casas ou em pátios grandes.

2. Palmeiras Washingtonia

Tipo de Palmeiras Washingtonia

Essa palmeira é um tipo selvagem. Ela possui grande resistência e fica ótima em jardins residenciais que tenham maior espaço. Não exige grande quantidade de cuidados, mas seu plantio deve ser minucioso.

3. Palmeira Leque

Tipo de palmeiras leque

A Palmeira Leque é um tipo com folhas grandes e que lembram um leque.

Ela é ótima para ser colocada em vasos ou diretamente no solo. Além disso, precisa de boa drenagem feita com mangueira e é ótima para ser colocada em salas ou jardins.

4. Palmeira Azul

Tipo de Palmeira azul

Indicada como um tipo de palmeira ornamental para vasos ou solo, ela é perfeita para locais externos, pois pode ocupar bastante espaço, gosta de água e sol.

5. Palmeira Laca

Tipo de palmeira laca

Apresenta um forte apelo paisagístico. Por conta disso, seu tronco vermelho vivo se destaca.

Por exemplo, é a mais indicada para residências em regiões tropicais. É perfeita para emoldurar caminhos ou ser plantada em grupos.

Se for plantada dentro de casa, aconselha-se ter uma casa bem grande.

6. Palmeira Garrafa

Palmeiras tipos garrafa

Um dos tipos de palmeiras mais exóticos e esculturais. É de porte pequeno e pode atingir 6 metros de altura.

Por isso, pode ser plantado dentro de casa, na beira de piscinas ou em jardins.

O seu tronco armazena água nos períodos de estiagem.

7. Palmeira Rabo-de-Raposa

Tipo de Palmeira rabo de raposa

Entre os tipos de palmeiras, esta é a mais indicadas para jardins. Atinge um tamanho consideravelmente grande e seus galhos se espalham, lembrando uma estrela.

8. Palmeira Triângulo

Tipos de palmeiras triângulo

Ótima para ser plantada em vasos, portanto, a palmeira triângulo é uma das mais indicadas para jardins externos.

O seu porte é exuberante e se adapta bem às frequentes regagens.

9. Palmeira Ráfis

tipos de palmeiras ráfis

 

Muito utilizada para decorar interiores, já que tem porte pequeno. Entre os tipos de palmeiras existentes, é uma das que mais precisa de sol pleno para manter a aparência saudável.

10. Palmeira Cascata

 

De porte pequeno, a Palmeira Cascata é ótima para jardins delicados. No entanto, é melhor quando plantada direto na terra.

Pode ser regada todos os dias, desde que não afogada. Ademais, não suporta temperaturas frias.

Conclusão

Como é possível observar, são muitos os tipos de palmeiras disponíveis no mercado.

Além disso, cada uma delas possui um tipo diferente de local onde podem ser plantadas.

Afinal, crescem em diferentes tamanhos e apresentam diferentes características.

Por conta disso, torna-se indispensável saber exatamente o que deseja fazer com elas e qual impressão deseja passar.

Somente dessa maneira, será mais fácil escolher o modelo e organizá-la no ambiente.

Além disso, é importante ressaltar também a importância das palmeiras para purificar o ambiente.

Como são plantas fortes e geralmente grandes, conseguem purificar o ar com maior facilidade.

Tais características colaboram muito para que sejam altamente procuradas.

Ademais, caso você queira conhecer também mais sobre plantas ornamentais, clique aqui  e confira o nosso post sobre o assunto!

Com maior informação, você pode oferecer maior saúde para as plantas e, consequentemente, beleza para o ambiente.

Veja também: 6 Estilos de decoração para Jardins.

 

 

Piscina natural

Lagos ornamentais e piscinas naturais, tenha um paraíso em sua casa!

Lagos ornamentais e piscinas naturais: Uma incrível forma de trazer um pedaço da natureza em sua forma mais natural possível para dentro de sua propriedade. Os lagos ornamentais e piscinas naturais são um descanso para os olhos. E de uns tempos pra cá estão ganhando destaque nos projetos arquitetônicos e paisagísticos. Afinal, quem não quer […]

Plantas na Decoração

Plantas na Decoração, quais são as vantagens?

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Primeiramente, o uso de plantas na decoração, além de outras vantagens, traz mais beleza e harmonia para a casa. Porém, o uso de plantas também tem algumas desvantagens que é importante que você Entenda Antes de decorar seus ambientes.

Confira neste post tudo que você precisa saber sobre o uso de plantas na decoração e só depois decida usá-las ou não para enfeitar sua casa.

Plantas na DecoraçãoMarcio Erlim – Arquiteto

Vantagens do uso de plantas na decoração

Deixam o ambiente mais aconchegante

Qualquer ambiente fica mais aconchegante quando decorado com plantas. Elas transmitem imediatamente uma sensação de ambiente agradável e confortável, além de muito mais charmoso.

Garantem mais tranquilidade

Cuidar de plantas é uma excelente terapia, traz calma e tranquilidade e em uma rotina agitada.

Purificador de ar

As plantas removem as toxinas do ar, tais como o formaldeído (presente em tapetes, vinil, fumaça de cigarro e sacolas de supermercado), benzeno e tricloroetileno (ambos encontrados em fibras sintéticas, tintas e solventes).

As plantas purificam o ar puxando os contaminantes para o solo. Lá, os microorganismos da raiz convertem essas substâncias em alimento para a planta.

Veja esses exemplos de plantas na decoração: “Essas casas são para quem ama jardins – Entenda Antes!”

Plantas na Decoração

Respiração mais fácil

Durante a fotossíntese, as plantas absorvem dióxido de carbono e liberam oxigênio, em um padrão oposto ao dos humanos. Ou seja, pessoas e plantas são parceiros naturais. Por isso, colocar plantas em espaços internos pode aumentar os níveis de oxigênio.

No entanto, no período da noite, a fotossíntese cessa e as plantas respiram normalmente como seres humanos, absorvendo oxigênio e liberando dióxido de carbono. Assim, prefira colocar no quarto plantas como orquídeas, suculentas e bromélias epífitas que continuam absorvendo dióxido de carbono mesmo durante o período noturno.

Liberação de umidade

As plantas, além de oxigênio, liberam vapores e água, o que aumenta a umidade do ar em torno delas.

Por isso, uma boa ideia é colocar várias plantas juntas para aumentar a umidade de um quarto ou sala, ajudando a manter a saúde respiratória, diminuindo a incidência de pele seca, resfriados, dores de garganta e tosse seca nos moradores e frequentadores da casa.

Melhora o foco

Estudam demonstram que 70 dos alunos ficavam mais focados nos estudos quando as aulas ou palestras aconteciam em lugares em que haviam plantas.

Assim, uma boa ideia pode ser colocar algumas plantas no home office ou no quarto de estudo das crianças.

Plantas na Decoração

Melhoras para a saúde como um todo

Além de serem benéficas para o sistema respiratório, o uso de plantas nos ambientes internos também contribui para a saúde como um todo.

A presença de plantas em quartos de hospital, por exemplo, acelera as taxas de recuperação de pacientes cirúrgicos, de acordo com alguns estudos. E, em comparação com pacientes em quartos sem plantas, eles necessitavam de menos medicação para a dor, tinham menor frequência cardíaca e pressão arterial controlada. Por isso, experimentavam menos fadiga e ansiedade e saindo do hospital mais cedo.

Em pesquisa semelhante, plantas na decoração de escritórios diminui a fadiga, os resfriados, dores de cabeça, tosse e dores de garganta.

Plantas na DecoraçãoMarcio Erlim – Arquiteto

Desvantagens do uso de plantas na decoração

Trabalho com a manutenção

Não adianta ter lindas plantas em casa mas não cuidar para que elas permaneçam saudáveis.

Algumas plantas precisam ser regadas mais vezes quando estão ao ar livre. Pois o solo nos vasos secam mais rapidamente!

Será preciso também alimentar suas plantas com adubos e fertilizantes, também limpá-las para remover o pó. Assim como você faz com seus móveis e demais objetos da casa.

Necessidade de umidade

A maioria das plantas dentro de casa necessitam de 50 por cento de umidade do ar para ficarem saudáveis e bonitas. Isto é uma desvantagem, especialmente durante épocas do ano onde o tempo está mais seco em alguns lugares.

Para resolver o problema, coloque suas plantas em bandejas cheias d’água ou use um umidificador nos ambientes com plantas.

Insetos

Algumas plantas podem atrair insetos indesejados para sua residência e isso pode ser tornar um incômodo, principalmente se algum morador em casa tiver medo ou nojo desses bichinhos.

Use fertilizantes e pesticidas para minimizar ou acabar de vez com o problema.

Veja também: “Qual a importância da fase de acabamento?”

Plantas na Decoração

Bolores e fungos

Pode acontecer de algumas plantas não receberem a quantidade adequada de luz e calor e por isso desenvolverem fungos em suas folhas ou mesmo no solo. Então essas ocorrências podem acabar matando a planta.

Contudo, elas podem liberar esporos de mofo e poluentes no ar que você respira.

Cuidados nas férias

Primeiramente, para viagens mais longas você irá precisar fazer alguns arranjos especiais, do contrário ao retornar não encontrará elas vivas. Então se você vai viajar por uma semana ou alguns dias, tenha certeza que suas plantas ficarão bem.

Você pode pedir para alguém regar suas plantas uma vez por semana, cobrir suas plantas com plástico e assim criar um terrário temporário ou criar um sistema de drenagem com um balde de água e um pedaço de corda de fibra natural.

Gostou da matéria? Acesse nossa revista para ver mais matérias como esta.

_____________________________________________________________________

Criamos o Entenda Antes porque acreditamos que a troca de conhecimento, informação e experiência é o único meio que realmente tem o poder de melhorar as pessoas, melhorar os negócios e o mundo como um todo.

Acreditamos que não precisa ser difícil e demorado encontrar bons profissionais e realizar orçamentos para fazer um bom negócio. Fazemos isso porque o mundo pede mais agilidade, facilidade e comodidade.

Solicite um orçamento do que você precisa sobre o mundo da construção e iremos te ajudar a realizar o melhor negócio!

paisagismo - entenda antes

O que é Paisagismo e qual sua vantagem?

Você sabe o que é paisagismo e o que um profissional da área pode fazer por você? Então leia este conteúdo e Entenda Antes a importância do paisagismo na sua vida e na cidade em que você vive.

O que é Paisagismo

O que é paisagismo

O que é paisagismo? Muitas pessoas acham que isso se limita a criação de jardins e praças, mas ele vai muito além. O paisagismo é uma técnica que tem como objetivo projetar, planejar, fazer a gestão e a preservação de espaços livres. Sendo eles públicos ou privados, urbanos e não-urbanos.

Trata-se de uma área relacionada diretamente com a arquitetura e o urbanismo, sendo também chamado de arquitetura da paisagem.

Veja também: “Como combinar tons de madeira com a decoração?”

paisagismo - entenda antes

O arquiteto paisagista

O profissional responsável pelo paisagismo é o arquiteto paisagista. Sua tarefa é pensar e planejar o ambiente visando preservar seu solo e cobertura vegetal. Garantindo a continuidade botânica do espaço, além é claro, de deixá-lo bonito e funcional para seus moradores e visitantes.

Na maioria das vezes, um cliente procura um paisagista porque deseja ter um jardim bonito para a convivência em sua casa ou mesmo o ambiente de trabalho. Mas é importante lembrar sempre que o paisagismo vai muito além da estética.

O paisagista deve levar em consideração e harmonizar quatro características importantes em seus projetos:

  • Geográficas
  • Hidrográficas
  • Bióticas
  • Humanas

Considerando ainda outros componentes importantes da paisagem urbana, como vegetação, área construída, circulação de pessoas e a presença de espaços livres.

 

paisagismo - entenda antes

 

O projeto de paisagismo

Um bom projeto de paisagismo se define como a construção do espaço externo de um empreendimento, não importando se ele é corporativo ou residencial, uma área privada ou pública e institucional. E, como já foi destacado, é preciso que seja bonito, mas também que atenda as necessidade de seus usuários e que seja adequado ao uso.

Quando analisamos os elementos construtivos de um jardim, vemos que a vegetação é apenas um entre muitos. Ele precisa contemplar a iluminação, revestimentos de piso, espelhos d’água, pergolados, portaria e garagem, itens de acessibilidade universal e, até mesmo, calçada pública.

O projeto de paisagismo precisa ainda conversar de forma harmoniosa com a arquitetura do imóvel, bem como com sua função. Por exemplo, em prédio comercial não faz sentido criar apenas um gramado no jardim, é preciso acrescentar espaços de convivência e de relaxamento.

Quanto a escolha da vegetação, o projeto de paisagismo deve-se dar prioridade às espécies nativas da região, pois assim será mais fácil a manutenção do jardim. Mas não só isso, deve-se atentar para o porte, altura, sombra e na composição que as plantas fazem entre si. Assim, se for vegetação nativa, ótimo. Mas isso não é determinante. A qualidade do jardim depende das espécies se encaixarem, combinar em com a construção do espaço.

Veja também: “Decoração com cores neutras, você conhece?”

 

paisagismo - entenda antes

 

Paisagismo e sustentabilidade

Um projeto de paisagismo deve ser minimamente invasivo à natureza. Na verdade, ele deve existir para extrair o da natureza sua beleza vegetal, harmonizando-a com as características dos edifícios e casas ao seu redor.

Para criar belos jardins, o paisagista deve fazer um estudo ambiental e social para dar a esses espaço um valor estético, sem deixar de lado as funções práticas para a convivência.

 

paisagismo - entenda antes

 

A ideia é estabelecer harmonia entre os elementos sem agredir a natureza, e principalmente, mantê-la ainda mais presente.

Em edifícios candidatos às certificações de impacto ambiental e nos demais que desejam simplesmente respeitar o ecossistema, a tendência atual é adotar a drenagem naturalística. Sistemas de detenção e retenção das águas pluviais. bem como muros e paredes verdes que ajudam a reduzir a temperatura dos ambientes.

Assim, podemos dizer que paisagismo e sustentabilidade na arquitetura tem uma forte e íntima relação.

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em ter um lindo paisagismo!

 

Shopping Basket
1