Conheça nossas Trilhas

11 de julho de 2024
25.33°C New York
Piscina natural

Lagos ornamentais e piscinas naturais, tenha um paraíso em sua casa!

Lagos ornamentais e piscinas naturais: Uma incrível forma de trazer um pedaço da natureza em sua forma mais natural possível para dentro de sua propriedade. Os lagos ornamentais e piscinas naturais são um descanso para os olhos. E de uns tempos pra cá estão ganhando destaque nos projetos arquitetônicos e paisagísticos. Afinal, quem não quer […]

granilite - capa

Granilite: o que é, como aplicar e exemplos

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Na atualidade, o número de pessoas à procura de revestimentos para as obras tem aumentado. Logo, o número de vendas de diferentes revestimentos também, alguns inclusive estão se popularizando, devido à esta quantidade de procura.

Sendo assim, hoje falaremos de um tipo de revestimento que você provavelmente conhece. No entanto, se não conhece, já viu em algum lugar. Dessa forma, iremos falar um pouco mais sobre o granilite.

O que é Granilite?

O piso granilite tem uma aparência que lembra muito o granito natural. Além disso, possui alguns pontos em comum, como a alta durabilidade, por exemplo.

Ademais, ele é um piso feito a base cimentícia (cimento, areia e água) com grânulos de diversas pedras naturais. Ainda mais, ele é produzido através de um processo inteiramente artesanal, é geralmente aplicado em edifícios ao redor do mundo, garantindo uma sofisticação maior aos ambientes.

Não é só escolhido pelo ar que trás aos ambientes como também as suas vantagens, que incluem uma maior durabilidade, resistência (à água e desgaste por fricção) e ainda é de fácil manutenção. Pode ser aplicado tanto na posição vertical quanto na horizontal.

A busca por granilite e popularização são muito fortes na arquitetura e, existem diversas empresas que fabricam o produto e produzem outros que fazem referências a ele, como o papel de parede que parece granilite.

ilustrar uma parede dercorada com papel de parede de granlite

Como a imagem acima, ela é um papel de parede granilite, vendido pela empresa “Grudado”.

ilustrar uma parede dercorada com papel de parede de granlite

ilustrar um ambiente com granilite

ilustrar um ambiente com granilite

ilustrar um ambiente com granilite

Após ver esses exemplos, é possível dizer que o granilite pode ser usado de formas diferentes, com colorações diferentes e aspectos também.

 

A aplicação do granilite

Apesar de muitas pessoas confundirem, o granilite e o “fulget” são diferentes tipos de materiais. Entretanto, diversas pessoas os chamam de revestimento de granilite polido e lavado respectivamente.

A aplicação de ambos (polido e lavado) pode ser feita sobre qualquer superfície podendo ser curva ou plana. O granilite polido é mais comum – e indicado – ser instalado em pisos e paredes de áreas internas, já o lavado, em áreas externas e molhadas.

 

granilite - entenda antes

 

Como é feita a instalação do Granilite?

O granilite polido, é constituído de pedras e cimento. Mas, e o processo?

Então, vamos falar sobre isso em 13 passos.

 

granilite - entenda antes

 

1- Coloque o contrapiso até ficar rugoso, use um objeto para obter a rugosidade, em alguns casos é usado um “vassourão”. Ainda, é importante lavar e limpar o local para eliminar os resíduos.
2- Faça as medições das juntas longitudinais e transversais e marque com linhas de giz. Recomenda-se que as medidas sejam em torno de 1,50 m X 1,50 m.
3- Após a colocação das juntas plásticas nas áreas marcadas, fixe-as em uma fina camada de argamassa de cimento branco e areia.
4- Não coloque a argamassa de cimento branco próximo ao cruzamento das juntas, para que a massa de granilite entre no espaço, isso aumentará sua aderência ao contrapiso.
5- Prepare a massa de granilite e aplique com uma colher de pedreiro.
6- Então, faça o sarrafeamento da massa.
7- Agora, será jogado o agregado puro do granilite por cima da massa que já foi aplicada.
8- Use uma broxa para umedecer levemente a superfície e mantê-la uniforme.
9- Utilize um rolete para compactar os agregados da massa.
10- Em seguida, use a desempenadeira metálica para alisar a superfície. Recomenda-se que antes do polimento, seja feita a cura úmida por 48h ou mais.
11- Usa-se a máquina politriz com esmeril de grãos 36 e 60. Após isso, é o processo de estucamento, com o esmeril 120, espalhe o cimento branco puro e água, isso formará uma nata, para calafetar os poros do piso. Com um rodo, movimente a nata de cimento enquanto passa a politriz, para verificar o resultado do polimento.
12- Passado o período de três ou quatro dias, faça o acabamento usando a máquina esmeril 180, para tirar o excesso de cimento da superfície e dar o acabamento liso.
13- Finalizando, com a superfície seca, use cera à base de petróleo ou duas demãos de resina acrílica.

ilustrar um ambiente com granilite

ilustrar um ambiente com granilite

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em ter algum cômodo com piso granilite!

 

 

edícula - entenda antes

O que é uma edícula? Confira alguns exemplos

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Sabe aquelas pequenas casas que geralmente são construídas nos fundos de um terreno? Elas são chamadas de edícula, um tipo de construção que já foi bastante utilizado nos lares dos brasileiros. 

Antigamente,  as construções nesse formato eram criadas com o propósito de gerar uma renda extra para a família. Ao aproveitar uma parte do quintal para construir uma casa independente da residência principal, era possível alugar para outras pessoas morarem. 

O tempo passou e as edículas ainda podem ser utilizadas para esse propósito. Porém, as pequenas construções ganharam um upgrade com projetos modernos e sofisticados, podendo ser usadas de diversas formas. 

 

edícula - entenda antes

 

Quer saber mais sobre o que é uma edícula e conhecer alguns projetos incríveis? Então continue a leitura!

O que é uma edícula?

A palavra edícula significa literalmente casa pequena e é exatamente isso que ela é na prática. Geralmente, as edículas são compostas por sala, quarto, cozinha e banheiro. Mas nada impede que sejam criadas plantas diferentes. 

Uma utilidade que vem se tornando bastante comum para as edículas é como área de lazer. Dessa maneira, as construções podem conter uma cozinha gourmet, churrasqueira e até área de estar. 

 

edícula - entenda antes
Clique para ver mais informações sobre o projeto EA-108.

 

O que você precisa saber antes de construir?

Tem um espaço sobrando no fundo ou nas laterais do terreno e quer construir? Então você precisa ficar de olho em alguns pontos importantes. 

Antes de mais nada, você deve informar-se sobre as questões legais para construir uma edícula. Assim como a maioria dos projetos de reforma ou construção, é necessário obter o alvará de construção na prefeitura. Isso é necessário pois a extensão altera a estrutura original do imóvel. 

 

edícula - entenda antes

 

Portanto, procure a prefeitura do seu município para conferir quais os documentos e procedimentos necessários para obter o alvará antes de iniciar a obra. 

Além disso, é importante respeitar as regras para construções, como recuo lateral ou de fundo e abertura dos vãos. Também prepare-se pois a construção de uma casa nos fundos será incluída no cálculo do valor para o IPTU. 

Exemplos de edículas para se inspirar

Uma das vantagens de ter uma casa pequena nos fundos do terreno é a versatilidade. Conforme já falamos, esse tipo de construção pode ser utilizado de várias maneiras, de acordo com a necessidade dos moradores. 

Então, se você quer se inspirar, confira alguns exemplos de edículas incríveis. Você vai se surpreender!

 

 

1. Edícula com piscina

Primeiramente, este projeto de edícula com piscina é a prova de que é possível criar ambientes extraordinários em uma área pequena!

 

edícula - entenda antes

edícula - entenda antes

 

O projeto da área externa inclui uma piscina, espreguiçadeiras e até um pequeno jardim. Além disso, não podemos deixar de citar a cascata que deu um toque ainda mais especial nesta edícula com piscina.

2. Edícula com churrasqueira

O nosso próximo exemplo é esta edícula com churrasqueira e é bastante compacto e aconchegante.

edícula - entenda antes

edícula - entenda antes

 

A edícula aberta tem uma área gourmet com cozinha, churrasqueira, uma área de estar com mesa de madeira e um banheiro. A leveza do design contemporâneo super combinou com o toque rústico da madeira, dos tijolinhos e outros materiais naturais! O que você achou deste projeto

3. Edícula simples

Por fim, não podemos deixar de citar o modelo mais tradicional de edículas. Este projeto ilustra bem como uma casa pequena pode ser simples e charmosa ao mesmo tempo. 

edícula - entenda antes
Clique para ver mais informações sobre o projeto EA-117

 

A construção foi projetada para acomodar os moradores confortavelmente em um quarto, banheiro, sala e cozinha. Já a área externa pode ser complementada com mesas, cadeiras e até mesmo um pequeno jardim. 

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em construir lindas edículas!

70866-gustavo-conteudo-avancado-x-dicas-para-desenvolver-um-traco-autoral-em-projetos-de-arquitetura-1

Projetos para construção: tudo o que você precisa saber

Basicamente, uma obra é formada por tijolo, cimento, estrutura metálica e materiais de acabamento. Mas, na realidade, é muito mais do que isso! Será que você sabe quais são as etapas necessárias antes de iniciar uma obra? Uma dessas etapas envolve os projetos para construção. 

Como a palavra sugere, um projeto trata-se de um tipo de esboço com a descrição detalhada de algo que será construído. Nesse caso, pode ser uma casa, prédio ou qualquer outro edifício.

É por meio de um projeto de construção, por exemplo, que se define a aparência da fachada de um prédio, o layout do interior, os materiais de acabamento, os pontos de elétrica e hidráulica e todas as informações importantes para executar uma obra.

 

projetos para construção - entenda antes

 

Mais do que uma maneira de facilitar o trabalho de todos envolvidos em uma obra, os projetos para construção são elementos obrigatórios, tanto para quem vai começar uma construção do zero quanto para uma simples reforma. Então, não tem jeito de escapar dessa etapa! 

Logo, o melhor a se fazer é conhecer todos os tipos de projetos de construção, para que eles servem, como eles são elaborados e os pontos importantes de cada um. Pensando nisso, elaboramos este guia completo sobre os projetos para construção. Confira!

Para que serve um projeto?

Antes de explicar quais são os tipos de projetos para construção, é preciso deixar claro qual a utilidade desses documentos. Primeiramente, todo projeto de construção serve para proporcionar conforto aos usuários daquele espaço. Assim, o projeto deve contemplar as principais necessidades dos indivíduos, bem como a utilidade do ambiente. 

 

Projetos para construção: tudo o que você precisa saber
Orçamentos de obra: o que é e como fazer? | Clique para ver Projeto completo EA-138.

 

Além disso, os projetos de construção servem para organizar a obra e facilitar a sua execução. Uma vez que os documentos especificam a quantidade de materiais, necessidade de mão de obra e outras informações, é possível prever problemas comuns nas obras. Consequentemente, gastos desnecessários e desperdícios são evitados, ao mesmo tempo que a eficiência no canteiro de obras aumenta.

Tudo isso só é possível graças ao estudos e análises detalhadas que são feitos pelos profissionais habilitados, como arquitetos e engenheiros. 

 

Tipos de projetos para construção

Agora vamos para a parte prática e descobrir quais são os projetos para construção que você precisa ter antes de começar uma obra?

Projeto arquitetônico

 

projetos para construção - entenda antes

 

O projeto arquitetônico é um dos documentos obrigatórios em qualquer obra. Ele pode ser definido como a representação da obra. Dessa forma, o projeto arquitetônico contempla o design de uma construção e a funcionalidade de cada espaço. Tudo isso é pensado para atender às necessidades do cliente e respeitar as normas dos órgãos competentes.

Assim, o projeto arquitetônico é um dos primeiros passos de uma construção. Esta é uma das etapas mais importantes para evitar erros durante a obra e garantir que tudo fique conforme o planejado. 

É importante saber que o projeto arquitetônico pode ser elaborado por um arquiteto ou engenheiro civil. Embora os profissionais tenham competências diferentes, a legislação atual garante que ambos realizem o trabalho. 

Na prática, o projeto de arquitetura é formado por um conjunto de desenhos técnicos, sendo que a planta baixa é o principal deles. 

A planta baixa é uma representação do ambiente a partir de um corte horizontal a 1,5m da base. Em outras palavras, é como se pudéssemos visualizar o espaço de cima, sem o telhado. Dessa forma, a planta baixa apresenta a dimensão da área construída, a disposição dos cômodos, além de elementos da construção, como portas, janelas, escadas etc. 

planta com 2 quartos projeto EA-114

Vale ressaltar que cada andar possui uma planta baixa. Assim, em um sobrado, por exemplo, é necessário criar um projeto para o térreo e outro para a parte superior. 

Além da planta baixa, um projeto arquitetônico geralmente é composto pelos seguintes desenhos: 

  • Planta de implantação;
  • Planta humanizada;
  • Planta de cobertura;
  • Fachada;
  • Cortes e elevações superiores;
  • Esquadrias;
  • Pontos de elétrica;
  • Pontos hidráulicos. 

planta humanizada - entenda antes

A elaboração de um projeto arquitetônico exige bastante atenção do profissional. Para isso, é necessário seguir algumas etapas básicas, como: 

Levantamento de dados

A primeira etapa do projeto arquitetônico é o levantamento de dados. É neste momento em que o cliente explica suas necessidades e fornece o maior número de informações ao arquiteto. Por exemplo, a utilidade do edifício, elementos essenciais, orçamento e data de conclusão desejada. 

Outras informações técnicas também fazem parte do levantamento de dados, como características do terreno e infraestrutura do entorno. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

 

Estudo preliminar

A partir das informações coletadas, o profissional elabora um estudo preliminar para avaliar a viabilidade da obra, bem como um esboço dos projetos para construção. Esse esboço serve para o cliente ter uma ideia de como será a construção, levando em conta as restrições técnicas, financeiras e as necessidades indicadas. 

Este é o momento ideal para alinhar as ideias e solicitar modificações que possam ser incorporadas ao projeto. A partir de então, o arquiteto poderá iniciar a elaboração da planta baixa. 

 

projetos para construção - entenda antes

Anteprojeto

Após fazer os ajustes e mudanças solicitadas pelo cliente, o arquiteto elabora o anteprojeto. A partir de uma planta baixa, o documento apresenta todas as dimensões e características da obra. 

 

projetos para construção - entenda antes

Projeto legal

Todos os projetos para construção precisam ser aprovados pela prefeitura do município. Por isso, o arquiteto ou engenheiro também elabora um projeto legal que cumpre todas as normas exigidas pelos órgãos competentes. Somente depois de aprovado, que é possível prosseguir com a construção.

 

projetos para construção - entenda antes

 

Projeto executivo

O projeto executivo pode ser considerado o guia da construção. Nele, devem constar todos os elementos necessários para executar a obra, tais como: descrição de materiais, cálculos estruturais, projetos complementares (elétrico, hidráulico, estrutural etc), especificações técnicas, cronograma de obra e planilhas de orçamento. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Além disso, o projeto executivo deve deixar claro quais são equipamentos necessários para a obra.

Projeto estrutural

Projetos para construção - Projeto Estrutural

Enquanto o projeto arquitetônico normalmente contempla os recursos visualmente atraentes de uma obra, o projeto estrutural concentra-se na resistência, segurança e durabilidade ao projetar um edifício. 

A parte estrutural é um dos projetos para construção mais importantes. Afinal, é a partir de técnicas e ferramentas precisas que o engenheiro civil pode garantir que a estrutura seja forte o suficiente para resistir ao peso e ao tempo. 

Sem este documento, sua construção corre sérios riscos. Uma possibilidade é a obra superdimensionada, ou seja, a construção tem uma estrutura maior do que o necessário. Consequentemente, isso resulta em gastos desnecessários. E, cá entre nós, quando o assunto é construção, todo desperdício em uma etapa significa que o orçamento ficará mais apertado em outra parte. 

Um problema ainda mais grave é o subdimensionamento, isto é, quando a estrutura construída não é suficiente para sustentar o edifício. Nesse caso, é comum surgir trincas, fissuras, rachaduras ou, na pior das hipóteses, o desabamento da construção. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Para a criação do projeto estrutural, o profissional realiza uma análise da estrutura para determinar quais forças internas e externas podem afetar a construção. Em seguida, eles projetam uma estrutura com os materiais e reforços necessários para atender aos requisitos. 

Um projeto estrutural deve detalhar a as dimensões, formas e amarração de todos os itens estruturais da edificação. Os mais comuns são: fundação, vigas, lajes, pilares e alvenaria estrutural.

Projeto elétrico

Projetos para construção - Projeto elétrico

A instalação de tomadas, pontos de iluminação e outros pontos de energia não é feita ao acaso. Na realidade, existe bastante planejamento, cálculos e normas e serem seguidas. 

Por isso, o projeto elétrico é um dos projetos complementares para uma construção. O profissional habilitado para elaborar o documento varia de acordo com a complexidade da obra. Engenheiros civis e técnicos em elétrica estão aptos a realizar projetos mais simples, como a maioria das construções residenciais. Já as obras mais complexas devem ser projetadas por engenheiros eletricistas. 

O documento deve relacionar todos os pontos de eletricidade, local dos comandos, trajeto dos fios e a potência elétrica necessária para atender à demanda do local. 

Assim como nos outros projetos para construção, o projeto elétrico também possui algumas etapas pré-estabelecidas. 

Primeiramente, o profissional determina a qualidade e os tipos de materiais utilizados. Para isso, é necessário analisar a planta baixa e conferir os locais que exigem pontos de elétrica. A quantidade de lâmpadas, por exemplo, deve seguir a norma da ABNT NBR 5410, que determina a iluminação mínima de acordo com o tamanho do ambiente.  

projetos para construção - entenda antes

Em seguida, o engenheiro precisa projetar a instalação elétrica para cada cômodo do imóvel. Aqui, o profissional considera aspectos técnicos e práticos, como dimensões do local, funcionalidade, quantidade de tomadas e luminárias, além da movimentação de pessoas.

É importante ressaltar que um projeto elétrico bem feito é fundamental para a segurança da construção, prevenindo problemas comuns, como curto-circuito e sobrecarga da rede elétrica

Além disso, o documento contribui para reduzir gastos na obra. Isso porque o projeto possui uma relação exata dos materiais necessários o que, consequentemente, evita sobras e desperdícios durante a construção. 

Projeto hidrossanitário

O projeto hidrossanitário envolve todos os sistemas de distribuição de água e esgoto da construção. É a partir desse projeto que a água sai da concessionária e chega até as torneiras e chuveiro, por exemplo. Além disso, o projeto hidrossanitário é essencial para que os dejetos saiam pelos ralos e vasos sanitários, chegando até a tubulação de esgoto. 

projetos para construção - entenda antes

 

Assim, o profissional que elabora o projeto hidrossanitário precisa separar os elementos para evitar que, por exemplo, a água seja contaminada pelo esgoto

O projeto hidrossanitário é bem completo e envolve os seguintes projetos menores: 

Instalações de água fria

As instalações de água fria servem para que a água entre na residência e chegue até os pontos de distribuição onde ela será utilizada. Assim, o projeto de água fria é composto pelos pontos de entrada de água (hidrômetro e registro), reservatórios, colunas de distribuição, ramais de distribuição e pontos de saída.

Tais instalações precisam ser projetadas para que o fornecimento de água seja constante, com qualidade e em quantidade suficiente para atender à demanda dos moradores. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Instalações de água quente

As instalações de água quente precisam de atenção especial no projeto hidrossanitário. Assim, o profissional precisa definir os pontos de água quente (chuveiros, banheira, torneiras etc) e projetar as tubulações responsáveis por levar a água do reservatório até esses pontos. 

É importante saber que a água quente percorre um caminho diferente da água fria e, na verdade, elas se unem pouco antes de serem utilizadas, onde há um misturador.

 

projetos para construção - entenda antes

 

Instalações sanitárias

As instalações sanitárias são partes essenciais nos projetos para construção. Elas são formadas pelas tubulações que transportam os dejetos do imóvel até a rede de esgoto pública para passar pelo tratamento. Em locais onde não há rede de esgoto, é necessário contar com uma estação de tratamento particular, formada por fossa e filtro. Só então, os dejetos poderão ser descartados.  

 

projetos para construção - entenda antes

 

O projeto de esgoto sanitário precisa considerar detalhes importantes, como a inclinação das tubulações para que os dejetos possam escoar de forma adequada. Além disso, o planejamento deve incluir a posição dos ralos, caixas de gordura, passagem, dentre outros aspectos. 

Instalações de águas pluviais

A água que vem da chuva também precisa ser eliminada de forma correta para evitar danos na estrutura da construção. As instalações de águas pluviais são compostas por calhas, condutores, canaletas e ralos. Essas estrutura servem para captar toda a água da chuva em telhados, terraços e pisos e direcionar para a rede pública. 

É importante saber que as águas pluviais  não devem ser descartadas na tubulação de esgoto sanitário. Isso porque existe um alto investimento para a coleta e tratamento do esgoto e, ao jogar a água da chuva (que é praticamente limpa), muito dinheiro público é desperdiçado. 

projetos para construção - entenda antes

 

Além disso, é possível incluir um sistema de reutilização. Assim, a água é armazenada em reservatórios específicos e pode ser usada na limpeza da casa, irrigação de plantas ou até para abastecer as descargas sanitárias. 

Projeto paisagístico

Existem alguns projetos para construção que são opcionais. Assim, o cliente decide se deseja ou não solicitar a elaboração. Um deles é o projeto paisagístico, que refere-se à implementação do jardim. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Esse tipo de projeto pode ser realizado por arquitetos e/ou paisagistas, que detalham as espécies de plantas utilizadas, onde elas serão localizadas, além de definir itens decorativos, iluminação para jardim e sistema de irrigação. 

Um bom projeto paisagístico é capaz de aumentar o valor da propriedade em até 20%. Afinal, uma paisagem bem planejada é capaz de tornar uma área monótona e sem funcionalidade em um local aconchegante e que complementa a arquitetura da casa. Além disso, os moradores do imóvel podem desfrutar de um espaço verde e com área de lazer, ideal para praticar esportes, meditar e até para o entretenimento. 

Mesmo que você seja um entusiasta no mundo da jardinagem, é interessante procurar um profissional para planejar o ambiente. Um paisagista pode encontrar algumas soluções que você nunca imaginou, além de ajudá-lo a evitar erros desastrosos.

O projeto de paisagismo pode ser utilizado em vários ambientes da casa, incluindo: 

  • Jardins
  • Hall de entrada
  • Muros
  • Jardins de inverno
  • Decks
  • Piscina
  • Varanda
  • Pergolados
  • Jardins verticais
  • Telhados verdes  

 

paisagismo - entenda antes

Projeto de interiores

Um dos projetos para construção mais empolgantes para os proprietários é a parte do design de interiores. Nesse tipo de projeto, o arquiteto ou designer de interiores planeja todas as características do interior do imóvel, como tipos de móveis, cores, texturas e elementos decorativos. Em outras palavras, é o momento de dar vida ao espaço! 

Um bom projeto de interiores deve equilibrar praticidade, funcionalidade e, claro, a estética do ambiente. Para isso, o profissional considera as necessidades, desejos, gosto pessoal do cliente e orçamento disponível. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Diversos elementos compõem o projeto de interiores, variando de acordo com as habilidades do profissional e o que o cliente deseja contratar. Alguns desses elementos são: 

 

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

 

Layout

É a maneira como os móveis e outros elementos ficarão distribuídos em cada um dos ambientes da casa. Isso é pensado de acordo com as necessidades dos moradores, juntamente com os conhecimentos técnicos do profissional. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Projeto luminotécnico

esse tipo de projeto inclui todos os detalhes da iluminação do ambiente. Isto é, os pontos de iluminação, quantidade de luzes necessárias para garantir o conforto visual, tipos de lâmpadas, luminárias e até o posicionamento ideal para os interruptores. 

 

projetos para construção - entenda antes

 

Projeto de revestimentos

O projeto de interiores também pode incluir a relação de revestimentos que serão utilizados no imóvel. Dessa maneira, são escolhidos os tipos de materiais, como será a paginação das peças e aplicação. Assim, os revestimentos de pisos e paredes ficam em harmonia com o restante da decoração.

 

projetos para construção - entenda antes

 

Mobiliário

Os móveis planejados fazem toda a diferença em um ambiente, concorda? Isso só é possível com um bom projeto de mobiliário que especifica desde a aparência dos móveis, até a parte interna com todas as divisórias. Cada projeto de mobiliário é único, respeitando alguns critérios de funcionalidade e estética para aproveitar melhor cada espaço.

 

projetos para construção - entenda antes

 

Ufa! Percebeu como existem vários projetos para construção? Pelo menos agora você já conhece sobre cada um deles e, com certeza, está mais preparado para iniciar uma obra.

Pensando em como conseguir o melhor projeto? Podemos te ajudar, veja 3 opções para você adquirir o seu projeto, cada uma delas com suas vantagens e desvantagens, como tudo na vida, clique aqui.

Você deseja saber como fazer o planejamento de obras completo? Confira nossa matéria que vem falando do assunto! Clique aqui e confira.

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em comprar um projeto para sua casa!

flores secas - entenda antes

10 dicas sobre como usar flores secas na decoração!

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Flores frescas e naturais são lindas e dão uma nova cara para qualquer ambiente, no entanto são efêmeras, duram poucos dias, assim, uma boa ideia é entrar na moda das flores secas na decoração. Não sabe como? Calma, a gente te mostra como fazer isso neste artigo. Acompanhe!

O uso de flores secas na decoração

O uso de flores e plantas secas na decoração está na moda e ganha força com a chegada do outono. Para atualizar a decoração de sua casa com essa tendência, você pode começar não jogando fora as últimas flores que comprou e deixando-as secar fora do vaso e do contato com água, assim que as pétalas começarem a murchar.

Outra opção é reunir folhagens secas que você encontra no caminho ou mesmo comprar esse tipo de planta em floriculturas. Fácil, não? Então veja onde e como usar essas flores secas na sua casa e começar agora mesmo a colocar vasos e arranjos de flores secas, na sala, nos quartos e onde mais você preferir.

 

Dicas para colocar flores secas na decoração

  1. Primeiramente, nos arranjos com folhas e flores secas você pode e deve utilizar os galhos também. Além de novas texturas eles trazem novas cores e tons.
  2. Arranjos com flores secas combinam mais com ambientes no estilo rústico ou romântico. Porém, podem conviver muito bem com os demais estilos. O truque para que isso funcione é escolher com cuidado o vaso que será usado, bem como as cores das flores.
  3. Galhos com flores de algodão ficam lindos em vasos longos. Combinam perfeitamente com móveis rústicos e tornam o ambiente mais charmoso e aconchegante.
  4. Aquelas flores que você colheu no final de semana em um lugar especial, um buquê de noiva ou aquele que você recebeu em uma ocasião inesquecível, podem ser emoldurados e se transformarem em um quadro muito charmoso. Assim, você guarda para sempre essas preciosidades protegidas do tempo e da poeira. Para isso, invista em uma moldura pequena e bem delicada.

    Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

  5. Nas prateleiras, além de quadros, livros e objetos de viagem, você pode também colocar ramos de eucalipto e outros tipos de folhagens. Os ramos de eucalipto, mesmo depois de secos, ainda irão perfumar a casa por um bom tempo.
  6. Um jeito diferente de usar folhas e flores secas na decoração é fazer uma espécie de cortina com elas. Pegue um galho seco, amarre fios de ráfia nele e pendure folhas e flores verdes. Com o tempo elas vão amarelando e você pode curtir toda a transformação. Esse tipo de arranjo fica lindo próximo da janela.
  7. Cestos e sacolas de palha ficam bonitos se repletos de galhos e folhagens secas. Deixe esses arranjos em um cantinho da sala, na varanda ou nos quartos. Fica uma graça!
  8. Já se a ideia é usar rosas na decoração, escolha um pote de vidro ou cristal com tampa, encha com rosas secas e use para decorar diferentes ambientes. Mas, esse tipo de arranjo fica muito charmoso sobre a mesa de cabeceira, na bancada do banheiro ou na estante, entre os livros.
  9. Quer decorar com flores secas mas não tem potes ou jarras? Então use garrafas de vidro de variados tamanhos, modelos e cores. A ideia pode ser usada em qualquer cômodo da casa. Use flores, folhas e até raminhos de trigo para deixar tudo mais especial.
  10. Outra ideia muito criativa e simples e colocar no banheiro ramos de lavanda seca. Pois além de deixar o banheiro mais bonito, traz um perfume delicioso e natural para o ambiente. Disponha vários ramos de lavanda seca num cesto rústico e deixe no chão ou faça um delicado arranjo e deixe sobre a bancada da pia. 

    flores secas - entenda antes

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em criar um lindo arranjo e fazer uma decoração com folhas secas!

paisagismo - entenda antes

O que é Paisagismo e qual sua vantagem?

Você sabe o que é paisagismo e o que um profissional da área pode fazer por você? Então leia este conteúdo e Entenda Antes a importância do paisagismo na sua vida e na cidade em que você vive.

O que é Paisagismo

O que é paisagismo

O que é paisagismo? Muitas pessoas acham que isso se limita a criação de jardins e praças, mas ele vai muito além. O paisagismo é uma técnica que tem como objetivo projetar, planejar, fazer a gestão e a preservação de espaços livres. Sendo eles públicos ou privados, urbanos e não-urbanos.

Trata-se de uma área relacionada diretamente com a arquitetura e o urbanismo, sendo também chamado de arquitetura da paisagem.

Veja também: “Como combinar tons de madeira com a decoração?”

paisagismo - entenda antes

O arquiteto paisagista

O profissional responsável pelo paisagismo é o arquiteto paisagista. Sua tarefa é pensar e planejar o ambiente visando preservar seu solo e cobertura vegetal. Garantindo a continuidade botânica do espaço, além é claro, de deixá-lo bonito e funcional para seus moradores e visitantes.

Na maioria das vezes, um cliente procura um paisagista porque deseja ter um jardim bonito para a convivência em sua casa ou mesmo o ambiente de trabalho. Mas é importante lembrar sempre que o paisagismo vai muito além da estética.

O paisagista deve levar em consideração e harmonizar quatro características importantes em seus projetos:

  • Geográficas
  • Hidrográficas
  • Bióticas
  • Humanas

Considerando ainda outros componentes importantes da paisagem urbana, como vegetação, área construída, circulação de pessoas e a presença de espaços livres.

 

paisagismo - entenda antes

 

O projeto de paisagismo

Um bom projeto de paisagismo se define como a construção do espaço externo de um empreendimento, não importando se ele é corporativo ou residencial, uma área privada ou pública e institucional. E, como já foi destacado, é preciso que seja bonito, mas também que atenda as necessidade de seus usuários e que seja adequado ao uso.

Quando analisamos os elementos construtivos de um jardim, vemos que a vegetação é apenas um entre muitos. Ele precisa contemplar a iluminação, revestimentos de piso, espelhos d’água, pergolados, portaria e garagem, itens de acessibilidade universal e, até mesmo, calçada pública.

O projeto de paisagismo precisa ainda conversar de forma harmoniosa com a arquitetura do imóvel, bem como com sua função. Por exemplo, em prédio comercial não faz sentido criar apenas um gramado no jardim, é preciso acrescentar espaços de convivência e de relaxamento.

Quanto a escolha da vegetação, o projeto de paisagismo deve-se dar prioridade às espécies nativas da região, pois assim será mais fácil a manutenção do jardim. Mas não só isso, deve-se atentar para o porte, altura, sombra e na composição que as plantas fazem entre si. Assim, se for vegetação nativa, ótimo. Mas isso não é determinante. A qualidade do jardim depende das espécies se encaixarem, combinar em com a construção do espaço.

Veja também: “Decoração com cores neutras, você conhece?”

 

paisagismo - entenda antes

 

Paisagismo e sustentabilidade

Um projeto de paisagismo deve ser minimamente invasivo à natureza. Na verdade, ele deve existir para extrair o da natureza sua beleza vegetal, harmonizando-a com as características dos edifícios e casas ao seu redor.

Para criar belos jardins, o paisagista deve fazer um estudo ambiental e social para dar a esses espaço um valor estético, sem deixar de lado as funções práticas para a convivência.

 

paisagismo - entenda antes

 

A ideia é estabelecer harmonia entre os elementos sem agredir a natureza, e principalmente, mantê-la ainda mais presente.

Em edifícios candidatos às certificações de impacto ambiental e nos demais que desejam simplesmente respeitar o ecossistema, a tendência atual é adotar a drenagem naturalística. Sistemas de detenção e retenção das águas pluviais. bem como muros e paredes verdes que ajudam a reduzir a temperatura dos ambientes.

Assim, podemos dizer que paisagismo e sustentabilidade na arquitetura tem uma forte e íntima relação.

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em ter um lindo paisagismo!

 

O que é planta baixa - Entenda Antes

Entenda o que é planta baixa, para que serve e exemplos. Entenda Antes!

Se você é um entusiasta na área da arquitetura e construção civil, ou está buscando entender antes de realizar sua construção, já deve ter ouvido falar em planta baixa. O termo é bem comum e faz parte de qualquer projeto arquitetônico ou de design de interiores. Mas, afinal, o que é planta baixa? Deixa que a gente explica! 

A planta baixa é um documento básico elaborado pelo arquiteto para representar o layout de uma casa ou determinado ambiente. Com isso, é possível visualizar como todos os cômodos estão interligados, a disposição dos móveis e outros aspectos. Hoje é possível comprar uma planta pronta ou personalizada Clique Aqui, e descubra como.

Pode parecer um pouco complexo para quem não está familiarizado com o assunto, mas garantimos que não é. Pensando nisso, reunimos as principais informações para você entender o que é planta baixa e alguns exemplos para facilitar a compreensão.

O que é planta baixa

Planta baixa - Entenda Antes

A planta baixa é um desenho técnico em escala que mostra as paredes e cômodos de uma estrutura como se fossem vistos de cima. A representação é feita a partir de um corte imaginário à altura de 1,50m do piso. Esta medida é utilizada pois é capaz de abranger as aberturas de portas e janelas, por exemplo. 

A planta baixa pode representar um edifício inteiro, um andar de um prédio ou um quarto individual. O desenho é um dos documentos mais importantes de um projeto arquitetônico e é essencial para projetar ou construir uma casa. 

Basicamente, uma planta baixa contém os seguintes elementos: 

  • Linhas de dimensão: representam as medidas de comprimentos e larguras de cada item na realidade. Por exemplo, o tamanho de uma janela, dimensões do cômodo etc;
  • Escala: paredes, portas e janelas são representadas em escala na planta baixa. Isso significa que cada item desenhado segue uma proporção em relação ao tamanho real. Hoje em dia, as escalas mais comuns são de 1:50 e 1:100 para projetos residenciais. Na escala de 1:50, por exemplo, cada centímetro da planta baixa será 50 vezes menor do que a realidade;
  • Planta baixa com layout: podem incluir portas, janelas, escadas, armários, eletrodomésticos e assim por diante.

Veja também: “Como alinhar suas necessidades com o projeto arquitetônico?”

Para que serve a planta baixa 

Planta baixa - Entenda Antes

A planta baixa é considerada um documento obrigatório de qualquer edifício. Assim, as prefeituras municipais exigem a planta baixa para conceder o alvará de construção. Além disso, a planta tem outras funcionalidades práticas para arquitetos e construtores, entre elas: 

  • Mostrar uma noção clara da divisão entre os espaços. Isto é essencialmente útil para ajudar a projetar layouts de móveis, sistemas de fiação e muito mais; 
  • Permite uma ampla possibilidade para experimentar diferentes alternativas de design de fluxo de pessoas pelo local;
  • Ajuda a fazer mudanças necessárias antes de prosseguir para as fases mais elaboradas de planejamento ou construção;
  • Serve como base para a elaboração de outros projetos complementares, como elétrico, hidráulico, estrutural etc. 

Exemplos de plantas baixas

Bem, agora que você já tem uma visão do que é planta baixa e para que serve, vamos ver como é na prática? Existem alguns tipos de plantas e selecionamos os principais exemplos a seguir: 

Planta Baixa técnica

Basicamente, a planta baixa técnica é composta por linhas que indicam a estrutura do imóvel, ou seja, as paredes, portas, janelas, recuos do terreno e demais elementos da construção. Com essas informações técnicas, é possível usá-la como apoio na construção. 

Também possui as marcações de níveis, que basicamente é a altura do piso, quando existe algum degrau ou pequeno desnível fica marcado na planta baixa e também no corte do projeto. Quer saber como é um projeto completo e para que serve cada um dos desenhos? Clique aqui.

A planta baixa executiva que é enviada para a prefeitura, juntamente com os outros documentos do projeto, como elevações, cortes, planta de cobertura para que seja feita a liberação do alvará de construção.

PLANTA BAIXA PROJETO EA-132
PLANTA BAIXA PROJETO EA-132 | Ver o projeto completo.

 

PLANTA BAIXA PROJETO EA-146
PLANTA BAIXA PROJETO EA-146 | Veja o projeto completo.

Planta baixa humanizada

Já a planta humanizada é feita com desenhos elaborados e contém mais detalhes do imóvel, como representação dos móveis e pisos desenhados e coloridos. Esse modelo de planta é bastante utilizado por arquitetos na apresentação de projetos, já que o entendimento é mais simples para pessoas leigas. Assim, eles conseguem visualizar com mais facilidade como o ambiente ficará depois de pronto. 

Essa planta é utilizada apenas como forma de ilustração, ela não é necessária na questão legal do projeto.

Modelos e dicas de plantas de casas com terreno 10 por 20   
Projeto arquitetônico | Clique para ver Projeto completo EA-100.

 

Bom, se você chegou até aqui provavelmente você esteja pensando em construir, e temos um conteúdo muito legal que te ajudará: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa! 

Conclusão

A planta é um desenho técnico importante para a realização da construção de uma casa, digamos que ela basicamente é parte de um manual de instruções que o pedreiro ou construtor irá olhar para ir executando a obra.

Atualmente você tem 3 opções para adquirir uma planta baixa arquitetônica para realizar sua construção, cada uma das opções possui suas vantagens e desvantagens e criamos um conteúdo exclusivo explicando cada uma das opções: As 3 opções para adquirir minha planta baixa arquitetônico, entenda antes! 

Gostou de aprender o que é planta baixa e para que serve o documento? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo!

Shopping Basket
1