Cálculo rápido para descobrir a quantidade de material para a sua construção.

O planejamento de uma obra começa desde a elaboração do projeto, passando pela compra dos materiais até a obra finalizada. E para que o seu produto final seja satisfatório tanto para quem construiu como para quem contratou os serviços, é importante que todo o processo seja pensado com muito cuidado. Em especial no que diz respeito ao quantitativo de materiais utilizados na obra e também a sua qualidade.

Veja também: O que é um planejamento de obras e como fazê-lo?

Produtos comprados em excesso ou em quantidade insuficiente podem ser prejudiciais de qualquer forma. Quando comprado em quantidade demasiada, há um prejuízo no valor desembolsado, ocasionando um prejuízo. E quando a quantidade é calculada menos do que o necessário, corre-se o risco de não encontrar determinado item semelhante. Isso pode acontecer com os revestimentos, por exemplo.

Por isso, quando se fala em cálculo da quantidade de materiais de construção de uma obra, tudo deve ser feito com bastante atenção, e para colaborar com este procedimento, aconselha-se procurar a ajuda de um profissional especializado para esta finalidade.

Como é o caso do engenheiro calculista, por exemplo, pois ele além de ter se aprofundado propriamente para isso, também pode contar com a vantagem das diversas situações já vivenciadas relacionadas a isso, sabendo o que pode ser evitado e os contratempos habituais de uma obra.

Mas, para muitas pessoas, os demais gastos com a obra, dificulta a contratação de um profissional habilitado. Portanto, este artigo irá demonstrar alguns cálculos quantitativos dos principais materiais usados na construção, para auxiliar na hora de adquiri-los. Mas antes, é importante levar em consideração alguns pontos relacionados à obra, que levarão aos cálculos de forma mais específica segura.

A finalidade da obra é que define quais os materiais a serem utilizados, seja essa obra grande ou pequena, pois as características podem variar de acordo com sua utilidade.

Sendo assim, antes de qualquer cálculo é indispensável que seja definido todas as particularidades de cada ambiente, como por exemplo, se serão espaços abertos ou fechados, já que nesse caso as especificações do piso variam, quando usado no interior ou exposto ao sol e a chuvas.

O levantamento quantitativo é essencial para o orçamento, pois o cálculo de materiais é um processo dele. Ele o responsável por determinar inclusive os custos indiretos incluindo a quantidade de trabalhadores necessários para dar andamento à obra e também de máquinas a serem utilizadas.

Neste levantamento, é necessário analisar com atenção todos os detalhes do projeto, como a altura do pé direito, local e altura em que serão utilizados os revestimentos, dimensão de vãos, e assim por diante. Pois é através dessas características que é possível estabelecer a quantidade de material a ser usado.

Lembrando que dentro do levantamento quantitativo é fundamental que seja adicionado em todos os materiais calculados, o percentual de perda referente a 10%, já que qualquer obra está sujeita a perder materiais por quebrar ou algum tipo de dano.

Após colocar em prática essas questões citadas acima, os cálculos a serem feitos se tornam mais descomplicados de serem elaborados, que serão demonstrados a seguir:

Concreto usinado:

O concreto é composto de cimento, areia, pedra brita e água, e denomina-se usinado por já chegar na obra pronto para ser usado. O valor a ser comprado deste material deve chegar à loja em forma de m³, então, o cálculo é feito levando em consideração seu volume. Para pilares, é preciso observar se serão planos ou cilíndricos, já que a fórmula para calcular esses dois elementos é diferente.

Para pilares e outras superfícies planas, como laje, vigas e cintas, a fórmula do volume é a seguinte:

V=L x C x H

V: volume

L: largura

C: comprimento

H: altura

Considerando que uma laje terá 3m de largura, 5m de comprimento e 10cm de comprimento, o cálculo é feito da seguinte forma:

V= 3,00 x 5,00 x 0,10 = 1,5m³

Logo, o volume usado para a laje em questão será de 1,5m³.

Para pilares cilíndricos muda-se a fórmula:

V= π x R² x H

V: volume

π (PI): 3,1416

R²: raio ao quadrado

H: altura

Neste caso, vamos considerar um pilar cilíndrico com diâmetro de 40cm e 2,80m de altura, logo:

V= 3,1416 x 0,20² x 2,80 = 0,35m³

Sabendo o volume de um pilar, que neste caso é de 0,35m³, é possível saber o volume total de todos os pilares, desde que sejam de medidas semelhantes. Para isso, só é preciso saber a quantidade exata de pilares, e multiplicar pelo resultado do volume de um pilar, como é exemplificado a seguir:

Supondo que existam 12 pilares semelhantes, para descobrir o valor total, é feito o seguinte cálculo:

0,35m³ x 12 = 4,20m³

0,35m³ : valor encontrado para o cálculo de um pilar

12: quantidade de pilares existentes na obra

Tijolo

Existem diversos modelos de tijolos na construção, podendo variar de tamanho e material utilizado na confecção. Dentre as suas funções estão as alvenarias usadas para vedação de paredes, alvenaria estrutural ou para a construção de muros. O cálculo de alvenaria estrutural é feita no momento da elaboração do projeto estrutural, pois nesse caso, ela é composta além dos blocos, por amarrações. Então, o cálculo a seguir deve ser considerado apenas quando sua função é destinada à vedação.

Veja também: Cotação de materiais de construção, como fazer? Descubra agora – Entenda Antes!

Primeiramente é preciso saber o perímetro de todas as paredes, para isso, soma-se o comprimento dos cômodos, e em seguida multiplica-se pela altura.

Supondo que a metragem imóvel tem um resultado de 57,0m e o pé direito dele é 3,00m, temos o cálculo:

57,0 x 3,00 = 171m²

Com esse cálculo em mãos, é preciso saber a metragem quadrada de todos os vãos como portas e janelas (comprimento x altura). Assim pode-se descontar do valor encontrado para o cálculo da área de parede. Para isso, daremos o resultado hipotético de 21,66m² entre portas e janelas.

Logo, o valor total da área de paredes será de:

171 – 21,66 = 149,34m²

Em seguida, é preciso saber a quantidade de tijolos utilizados para cada metro quadrado para logo depois chegar-se ao resultado da quantidade de tijolos necessários para construção. Para conseguir fazer esse cálculo, é importante definir o tijolo a ser utilizado na construção, pois a medida varia de modelo para modelo.

Neste exemplo, será utilizado o tijolo com dimensões de 9x19x29, com espessura de argamassa de 1cm. Logo, a fórmula para chegar a um resultado da quantidade de tijolos por metro quadrado, é a seguinte:

n = 1 / (b1 + eh) x (b2 + ev)

Onde:

n: quantidade de tijolos

b1: comprimento do tijolo

b2: altura do tijolo

eh: espessura horizontal de argamassa

ev: espessura vertical da argamassa

sendo assim, a fórmula ficará da seguinte forma:

n =  1/ (0,29+0,01) x (0,19+0,1)

n= 16,66, que arrendando chega-se ao valor de 17 tijolos por metro quadrado. Sendo assim, para chegar ao resultado definitivo, faz-se o seguinte cálculo:

149,34 x 17 = 2538,78

Então, a quantidade utilizada na obra será de 2539 tijolos.

Caixa d’água

É possível encontrar no mercado, variados tamanhos de caixa d’água que podem ser compradas de acordo com a necessidade de cada edificação. Neste caso, é indispensável que ao calcular o tamanho ideal de reservatório, seja levado em consideração os imprevistos que podem vir a acontecer como falta de abastecimento de água no município, etc…

Veja tambémSaiba como funciona e se vale a pena ter uma cisterna – Entenda Antes!

O cálculo é feito através de uma média diária de uso da água por morador de 150l quando for o caso de uma residência, e multiplicado pelo número de moradores, logo depois é levado em consideração as eventualidades, por isso, o resultado da quantidade de litros diárias é multiplicado por 2, que seria referente a dois dias de uso. Logo, vamos imaginar uma residência de 3 moradores que multiplicados pela quantidade de litros diárias, em seguida multiplicado por dois dias de uso relativos as casualidades, chega-se ao seguinte resultado:

3 x 150 = 450l x 2 = 900l

Portanto, a indicação é optar por uma caixa d´água de 900l.

Revestimentos e pisos

Tanto pisos como revestimentos são vendidos no mercado em m², por isso o cálculo para esses materiais é feito de forma simples, calculando a área a qual serão instalados, paredes ou chão.

No caso dos pisos, não é necessário descontar a área de portas, já os revestimentos de parede devem ser descontados as portas e janelas, para isso, vamos exemplificar a seguir, o cálculo para essas situações:

Pisos:

Para chegar ao resultado da área, o cálculo se resume em multiplicar a largura pelo comprimento. Como por exemplo, em um cômodo com as dimensões de 3,5m de largura por 4,0 de comprimento, logo 3,5 x 4,0 = 14m²

Por fim, descobrindo a metragem quadrada de todos os cômodos só é preciso somar todas elas que se chega ao resultado esperado.

Revestimentos:

Neste caso, é calculado o comprimento do cômodo. Logo em seguida, havendo a subtração da área de portas e janelas. Então, a simulação do cálculo deste material seria este:

4,0 x 2,80 = 11,20m² – 3,18 = 8,02m²

4,0: comprimento

2,80: altura

3,18: soma da área de portas e janelas a serem descontadas.

Telhas

Assim como os tijolos, a quantidade de telhas utilizada varia de acordo com suas características. Para esse cálculo deve ser levado em conta tanto a área quanto a inclinação. Mas isso é feito em etapas diferentes.

Começando pela área (cálculo do comprimento pela largura), devemos lembrar que a medida do beiral também deve ser calculada. Por isso vamos imaginar um telhado de duas águas com as seguintes medidas:

Lado 1: 7,0 x 4,60 = 32,20m²

Lado 2: 5,0 x 4,60 = 23m²

Logo, a área plana total de telhado é de 55,2m², já contando com a área do beiral.

Com esse resultado da área ainda não é possível chegar à quantidade de telhas que serão utilizadas. É preciso lembrar que as telhas têm uma determinada inclinação, e quanto mais inclinadas, mais telhas são utilizadas. Existe uma tabela para calcular o fator de correção das telhas, referentes à sua inclinação.

Nesse modelo, a telha usada contém inclinação de 35%, que de acordo com a tabela tem fator de correção de 1,059. Então, utilizamos o seguinte cálculo:

23m² x 1,059 = 24,357 que se resulta na área inclinada.

Chegando nesse valor, é preciso consultar o catálogo do produto, já que cada telha tem sua própria característica. Varia a quantidade a ser utilizado, logo, esse catálogo tem o objetivo de especificar o consumo de cada uma delas. Nesse exemplo, a telha utilizada será a telha Italiana, que tem um consumo de 14 peças/ m².

55,20m² x 14 = 772,8m² que arredondado passa a ser 773 telhas necessárias para a construção.

Lembrando que, os exemplos citados acima, não substituem os cálculos de quem tem habilidade para isso. Seja construtores, engenheiros, etc… por isso, eles ajudam a se basear na hora da compra. É sempre importante contar com a ajuda de um profissional para evitar possíveis problemas na obra.

Confira mais matérias como esta acessando a Revista do Entenda Antes!

_____________________________________________________________________

Criamos o Entenda Antes porque acreditamos que a troca de conhecimento, informação e experiência é o único meio que realmente tem o poder de melhorar as pessoas! Também melhorar os negócios e o mundo como um todo.

Acreditamos que não precisa ser difícil e demorado encontrar bons profissionais e realizar orçamentos para fazer um bom negócio. Fazemos isso porque o mundo pede mais agilidade, facilidade e comodidade.

Solicite um orçamento do que você precisa sobre o mundo da construção! Nós iremos te ajudar a realizar o melhor negócio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *