Conheça nossas Trilhas

14 de junho de 2024
21.96°C New York
casa sustentável

Como ter uma construção sustentável? Entenda Antes!

Nunca se falou tanto em construção sustentável como nos últimos anos e isso tem razão de ser.

A cada dia mais pessoas se conscientizam sobre o impacto das atividades humanas no meio ambiente e em paralelo, surgem muitas iniciativas com a intenção de garantir um futuro de qualidade para as próximas gerações.

E na área da construção civil não é  diferente. Afinal, trata-se de um setor que impacta negativamente no meio ambiente devido ao consumo excessivo de materiais, água e energia. Só para ter uma ideia desse impacto ambiental, saiba que, segundo o CBCS, o setor da construção civil consome 75% dos recursos naturais, 20% da água nas cidades e gera 80 milhões de toneladas/ano de resíduos.

Por isso muitas construtoras estão investindo forte em pesquisa e conhecimento para apresentar soluções eficazes para os principais problemas ambientais, ou seja, procurando fazer uma construção sustentável.

Mais do que uma tendência na engenharia, arquitetura e decoração, a sustentabilidade veio para ficar e se engana quem pensa que não seja possível aliar a moderna tecnologia com criação de edificações que atendam todas as necessidades de seus usuários.

E para que você fique por dentro do assunto, preparamos este conteúdo especial. Acompanhe e saiba mais sobre construção sustentável.

Boa leitura!

construção sustentável - casa de madeira

O que é construção sustentável

A construção sustentável é um conjunto de boas práticas que devem ser adotadas antes, durante e após os trabalhos de construção.  Seu objetivo é que se tenha uma edificação que não agrida o meio ambiente, que tenha o melhor conforto térmico sem a necessidade (ou com necessidade reduzida) de consumo de energia e que melhore a qualidade de vida dos seus moradores e/ou usuários. Além disso, para que uma construção seja considerada sustentável, ela deve ser executada utilizando-se   materiais e técnicas que garantam uma maior eficiência energética.

Aspectos ambientais, sociais e econômicos devem ser considerados em todas as etapas do processo de construção, tais como:

A origem da construção sustentável

A ideia de construção sustentável não é uma novidade, porém demorou para chegar no Brasil. Países da Europa, Estados Unidos e Japão já criaram inclusive incentivos para os empresários ou pessoas comuns que optem por uma construção sustentável ou ecologicamente correta. Assim, mesmo aquelas pessoas que não possuem muito capital disponível, podem investir em uma construção sustentável aproveitando os incentivos.

A aplicação do conceito de construção sustentável teve início após a Crise do Petróleo (década de 1970), que obrigou engenheiros e arquitetor a pensarem em novas formas de reduzir o consumo de energia. Após o término da crise, o conceito não sumiu e a tendência de levar a sustentabilidade a sério só cresceu a partir de então.

É importante destacar que somente durante parte do século XX os fundamentos da chamada arquitetura bioclimática, que veio a se chamar arquitetura sustentável foram perdidos. Isso porque as construções sempre levaram em consideração clima, ambiente, natureza etc. No entanto, durante o século XX, iniciou-se uma corrente  dentro da construção civil de abandono desses fundamentos, por conta do crescimento exponencial das cidades. E como você já pode imaginar, o impacto dessa corrente sobre a natureza foi absurdo, e somente a partir de sua segunda metade do século passado passou-se a rever essa política e seus impactos.

Evolução do conceito de construção sustentável

Em 1997, em Helsinki, na Finlândia, houve a primeira convenção internacional sobre construção sustentável. E, um ano após, no Reino Unido, lançou-se a primeira entidade de certificação de prédios sustentáveis, a BREEAM.

Atualmente, o número de prédios sustentáveis é grande. E o Brasil se destaca, ocupamos o  5º lugar entre os países que mais produzem prédios verdes no mundo. Estamos atrás apenas dos Estados Unidos, China, Canadá e Índia.

Construção ecológica X Construção sustentável

Há outro termo que costuma ser confundido com “construção sustentável”, é a “construção ecológica”.

Embora na prática os dois termos acabem sendo usados da mesma forma, o primeiro refere-se a uma prática mais comum no meio urbano e que visa à utilização de tecnologias que permitem a sustentabilidade da construção. Já o segundo está relacionado a técnicas de construção que utilizam materiais encontrados no próprio local da construção e propõe a menor interferência possível na paisagem.

Assim, podemos dizer que são construções  ecológicas as casas dos esquimós, feitas de gelo (um material encontrado no próprio local) e que praticamente se confunde com a paisagem.

construção sustentável - prédios verdes

Os 9 passos da construção sustentável

Segundo os profissionais da área existem nove passos que devem ser seguidos para que a construção seja considerada uma construção sustentável. São eles:

  1. Planejamento da obra de forma sustentável
  2. Aproveitamento dos recursos naturais disponíveis. Ventilação e luminosidade naturais, por exemplo, ao invés de ar condicionado e iluminação artificial durante o dia
  3. Eficiência energética
  4. Gestão e economia de água
  5. Gestão de resíduos
  6. Qualidade do ar e ambiente interior
  7. Conforto térmico e acústico
  8. Uso racional dos materiais
  9. Uso de tecnologias e produtos que não agridam o meio ambiente.

Assim, uma edificação sustentável começa antes mesmo da construção. Deve- ser analisado o ciclo de vida do empreendimento e dos materiais usados, o estudo do impacto ambiental da construção, um planejamento da gestão dos resíduos que serão gerados e melhor forma de utilização do material, além do que a planta deve ser planejada de modo que aproveite o máximo possível dos recursos naturais disponíveis (como ventilação e luminosidade natural) e promova a redução do consumo de energia e água através do reuso e implantação de formas alternativas de energia como a energia solar, a energia eólica e etc.

Já durante a construção, devem ser adotados cuidados para evitar o desperdício de materiais. O que além de gerar ganhos ambientais com minimização do uso de matérias-primas ainda gera ganhos econômicos para o dono da obra que economizará com materiais.

Quando finalizada a obra devem ser observados os cuidados necessários à destinação dos resíduos da construção e em todas as etapas devem ser utilizados materiais não tóxicos. Alguns dos materiais “condenados” por qualquer padrão de construção sustentável são: amianto, chumbo e alumínio.

A construção sustentável depois de pronta deverá ter coleta seletiva e um local específico para acondicionar os resíduos recicláveis. Aos ocupantes ou proprietários caberá apenas desfrutar de uma construção saudável, ecologicamente correta e econômica.

Materiais e soluções sustentáveis na construção

Um ponto muito importante quando falamos de construção sustentável é a escolha dos materiais que serão usados, bem como das soluções que serão utilizadas no decorrer da obra. Isso fará toda diferença. Confira a seguir alguns desses materiais.

Bioconcreto ou concreto vivo

Já falamos do concreto vivo aqui no blog e é realmente um tema fascinante e ao mesmo tempo muito simples.

A superbactéria Bacillus pseudofirmus é inserida na mistura de concreto tradicional e é ativada quando entra em contato com água ou oxigênio.

Assim, quando o concreto começa a desgastar, as bactérias entram em cena, se abrem e provocando reações químicas. Por sua vez, essas reações químicas promovem a regeneração do concreto.

Bioconcreto - Concreto vivo - Construção sustentável

 

Telhado verde

Essa é uma excelente ideia quando se pretende unir estética e utilidade. O objetivo do telhado verde, do qual também já falamos aqui no blog, é reduzir os impactos causados pela falta de arborização e ao mesmo tempo amenizar a temperatura dentro do imóvel.

De acordo com uma pesquisa do EnergySavers, os telhados verdes são capazes de reduzir as chamadas ilhas de calor, muito frequentes nas grandes cidades.

O que acontece é que as plantas funcionam como um filtro de ar natural, refletindo mais raios do sol que telhas convencionais.

Materiais Ecológicos - Construção sustentável - Telhado verde

Bambu

O bambu é também outro excelente material para ser usado na construção. Ele pode ser utilizado com diversos fins na construção civil. Seja como matéria prima para a fabricação de portas e pisos, seja para substituir o concreto armado.

Ao contrário de outras espécies, ele tem um crescimento acelerado. Com isso, é possível que sua colheita seja feita todos os anos sem prejudicar o meio ambiente. No mais, o bambu tem alta durabilidade, possui fácil instalação e manutenção.

E claro, o bambu também fica lindo quando utilizado na decoração e no paisagismo.

bambu - construção sustentável

Adobe

O tijolo de adobe é aquele feito a partir da mistura de argila, com areia e água. Ele é bastante usado principalmente nas regiões de solo argiloso e clima seco.

O tijolo adobe é ótimo indicado para a construção de alvenarias estruturais externas, porque, depois de seco, adquire uma alta resistência. E no mais, tem uma excelente propriedade acústica.

Tinta ecológica

As tintas ecológicas são feitas a partir de matérias-primas as totalmente naturais. Nelas não são utilizados insumos derivados do petróleo ou componentes sintéticos.

Algumas tintas são, inclusive, até mesmo livres de  compostos orgânicos voláteis (COVs). Substâncias essas que podem ser agressivos à saúde e que contribuem para a destruição da camada de ozônio.

Tinta ecológica - cosntrução sustentável

Vidro inteligente

Os chamados vidros eletrocrômicos ou vidros inteligentes são uma novidade que prometem virar tendência na construção sustentável.

Eles possibilitam o controle de quanto uma área será iluminada, bem como da transparência aos raios solares na fachada ou até mesmo em ambientes internos. Assim, dependendo da temperatura do dia, é possível ajustar os controles para maior ou menor entrada de luz pelo vidro.

Com o uso dos vidros inteligentes é possível uma economia de mais de 25%. E isso é possível já que se evita gastos com iluminação, ventilação e ar-condicionado.

vidro inteligente - construção sustentável

Lâmpadas de alta eficiência energética

As lâmpadas fluorescentes compactas vieram para ficar e tem tudo a ver com sustentabilidade.

Ainda que mais caras que as lâmpadas comuns, elas compensam o gasto inicial na economia de energia. Com o uso delas, pode-se reduzir em até 80% o gasto com iluminação.

No mais, elas desperdiçam pouca energia, não esquentam e duram 10 vezes mais que as convencionais.

Por isso, na hora do projeto de iluminação vale a pena levar esse tipo de lâmpada em consideração.

lâmpada - construção sustentável

Containers

containers - construção sustentável

Embora os containers não sejam exatamente um material de construção, eles tem tudo a ver com a proposta de sustentabilidade. E, o que era apenas moda, passou a ser muito usado quando se pensa em construção sustentável.

As estruturas de containers economizam até 30% na construção de uma casa ou edifício em relação a um projeto tradicional.

A casa sustentável

Já falamos aqui no blog sobre casa sustentável, mas vale citar aqui que uma casa sustentável é aquela projetada e construída de forma que agrida o mínimo possível o meio ambiente. Além disso, não pode-se esquecer que é necessário assegurar a segurança e bem-estar dos moradores.

De forma resumida, podemos dizer que as características essenciais de uma casa sustentável são, entre elas:

  • Uso da energia solar é essencial.
  • Uso de formas alternativas para evitar o desperdício de água.  Calhas, tubulações e filtros são usados para conter a água das chuvas e direcioná-las para destinos diretos.
  • Janelas maiores e que permitam grande entrada de luz solar direta no ambiente, permitindo o uso reduzida de luz artificial durante o dia e assim economizando energia.
  • Ao escolher lâmpadas prefira as fluorescentes que consomem um quarto a menos de energia que as tradicionais incandescentes, ou escolha as lâmpadas LED que também são muito eficientes no âmbito sustentável, devido a sua alta duração.
  • Uma construção sustentável não pode causar danos à natureza. Ou seja, sem contaminação do  solo, poluição da água, do ar e ar ou desmatamento da área no entorno.
  • Uso de materiais certificados.
  • Uso de madeira de reflorestamento.
  • Descarte correto dos resíduos e entulhos gerados na construção.
  • Uso de aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos que indicam uma maior e melhor eficiência energética. Ou seja, que consumam menos energia.

casa sustentável - construção sustentável

Arquitetura vernacular e sustentabilidade

Outo aspecto interessante a ser abordado quando se fala em construção sustentável é arquitetura vernacular. Ou seja, a arquitetura construída com técnicas e materiais originários de uma região específica, um conhecimento geralmente passado de geração a geração.

Ela pode ser chamada de sustentável porque utiliza técnicas bioclimáticas passivas e materiais com baixa energia incorporada. Entretanto, nem toda arquitetura sustentável pode ser considerada vernacular.

E como a preocupação com a sustentabilidade se torna cada vez mais presente, é importante valorizar a sabedoria das técnica regionais. A arquitetura vernacular é sempre bela e adequada para o local onde está inserida.

Se você deseja incorporar técnicas sustentáveis na sua construção, vale a pena procurar saber mais sobre a arquitetura vernacular. É interessante perceber que as comunidades antigas já faziam algo que nós temos nos esforçado para descobrir, que seja, como viver de forma sustentável.

Cada região do planeta possui suas características próprias e singulares. E essas diferenças, incluindo questões tecnológicas, econômicas, históricas e ambientais, acabam se refletindo na arquitetura.

Para saber mais sobre arquitetura vernacular, vale a pena conferir nosso artigo Já ouviu falar sobre Arquitetura Vernacular?

casa sustentável

Como tornar sua casa sustentável?

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

A cada ano que passa percebe-se uma maior preocupação com o meio ambiente e, com isso, a procura de novas formas para aderir um comportamento que o respeite. Uma grande forma de fazer isso é tornar sua casa sustentável.

De acordo com a Green Building Council Brasil (GBC Brasil), com 531 projetos e 16.74 milhões em metros quadrados brutos, o Brasil encontra-se no top 5 no ranking mundial de construções sustentáveis certificada pela ferramenta LEED, em sua frente estão os Estados Unidos, China, Canadá e Índia.

O que são casas sustentáveis?

Uma casa sustentável é projetada e construída de formas que agridam o mínimo possível o meio ambiente. Além disso, não pode-se esquecer que é necessário assegurar a segurança e bem-estar dos moradores.

casa sustentável

Uma obra precisa ter certificação de sustentabilidade para ser considerada sustentável e, algumas das certificações principais são:

  • Certificação LEED: a Leadership in Energy and Environmental Design ou Liderança em Energia e Design Ambiental, é a certificação garantida pela Green Building Council.
  • Certificação AQUA-HQE: foi criada a partir da certificação francesa Démarche HQE, a AQUA-HQE é a certificação internacional sustentável concedida no Brasil pela Fundação Vanzolini.
  • Selo Casa Azul: é gerado pela Caixa Econômica Federal, o selo busca reconhecer empreendimentos que demonstrem contribuições para a redução de impactos ambientais.
  • Selo Procel Edifica: esse selo identifica edificações com melhores classificações de eficiência energética, garantido pela Procel.

Características de uma casa sustentável

Agora que já foi dito o que é uma casa sustentável, mostraremos algumas características essenciais para a criação delas.

  • Como umas das medidas sustentáveis mais conhecidas, o uso da energia solar é essencial para esses projetos.

casa sustentavel

  • Uso de formas alternativas para evitar o desperdício de água, como as calhas, tubulações e filtros, que são usados para conter a água das chuvas e usá-las para destinos diretos, como jardins ou até mesmo o vaso sanitário.
  • As janelas podem ser uma ótima alternativa para evitar o consumo de energia elétrica, já que quanto maiores elas são, mais luz solar garantem ao ambiente, dessa forma, a Luz solar direta evita o uso de luminárias, lâmpadas etc. durante o dia, economizando energia.
  • Ao escolher lâmpadas prefira as fluorescentes que consomem um quarto a menos de energia que as tradicionais incandescentes, ou escolha as lâmpadas LED que também são muito eficientes no âmbito sustentável, devido a sua alta duração.
  • O telhado verde garante várias vantagens para o meio ambiente, além disso, contribui muito para a obra ao todo. Confira nosso artigo sobre Telhado Verde.
  • Uma construção sustentável não pode causar danos à natureza. Logo, não pode gerar a contaminação do solo, poluição da água e ar ou o desmatamento.
  • Saber se os materiais de sua obra são certificados é muito importante. Ademais, os resíduos gerados na construção precisam ser corretamente descartados. Sendo assim, clique aqui para saber como fazer isso.
  • Comprar aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos que indicam uma maior e melhor eficiência energética. Ou seja, que consomem menos é importante, como os que tem o selo Procel por exemplo.
  • Use madeira de reflorestamento ou certificadas.

Dicas de práticas sustentáveis alternativas para sua casa

Se você já construiu sua casa ou não tem intenção de fazer grandes mudanças, abaixo daremos algumas dicas que podem ser incrementadas no dia a dia e sem gastar tanto para torná-la em uma casa sustentável.

  1. Irrigar as plantas pela noite, já que o nível de evaporação é menor. Desse modo, evitando o uso em excesso de água.
  2. Opte por separar seu lixo reciclável em latas específicas, como papel, vidro, plástico, metal e orgânicos.
    casa sustentavel
  3. Evite deixar os aparelhos de sua casa ligados em standby (modo de espera).
  4. Compre produtos locais, dessa forma, você estará contribuindo para a diminuição de emissão de gás carbônico (CO²) no transporte deles.
  5. Instale torneiras com baixo consumo de água ou fechamento automático.
  6. Troque as descargas de válvula por descargas acopladas com caixas. As descargas de válvulas gastam em média de 10 a 30 litros de água a cada vez que são acionadas, enquanto as acopladas de acionamento duplo gastam 3 e 6 litros.
  7. Troque sacolas plásticas por sacolas retornáveis.

Contudo, existem diversas formas de tornar uma casa sustentável e nem sempre são necessárias grandes mudanças em sua obra. Lembre-se que, pequenas modificações já fazem grande diferença para tornar sua casa sustentável.

No Brasil, existem casas sustentáves, como por exemplo, a casa projetada pelo arquiteto Michel Habib em Atibaia – SP.

casa-sustentavel

Então, gostou de saber como tornar sua casa sustentável? Não esqueça de continuar acompanhar nossa Revista Digital, acompanhar as novidades e ler mais artigos como esse.

Casas autossuficientes - Entenda Antes

O que são casas autossuficientes? Entenda Antes!

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Imagine uma casa que produz sua própria energia elétrica, reaproveita a água da chuva, tem um baixo impacto ambiental e os alimentos são produzidos pelos próprios moradores. Estamos falando das casas autossuficientes, um estilo de construção que procura equilibrar o consumo em geral com o desenvolvimento sustentável.

Não é à toa que as casas autossuficientes são uma grande tendência na arquitetura sustentável em todo o muito. Isso porque existem muitos benefícios ao adotar esse tipo de construção – tanto para os moradores quanto para o meio ambiente.

Então, se você quer saber o que são casas autossustentáveis e como funcionam as construções, basta continuar a leitura para ficar por dentro do assunto!

O que são casas autossustentáveis? 

As casas autossuficientes, também chamadas de casas autônomas, são construções que fornecem e aproveitam a maior parte dos recursos necessários para seu funcionamento. Assim, elas não dependem de fornecedores externos de energia elétrica, água, gás, alimentos ou outros recursos.

Dessa maneira, uma casa sustentável utiliza sistemas de captação de energia sustentável, suporta a captação de água da chuva e possui um sistema de ventilação natural. Além disso, outra característica de uma casa autônoma é a utilização de produtos reciclados em sua construção.

Assim como outras construções verdes, as casas autossuficientes também se preocupam com o descarte e reaproveitamento de resíduos. Por isso, é comum que as habitações nesse estilo tenham um sistema de compostagem e reciclagem.

Casas autossuficientes

 

O que não pode faltar em casas autossuficientes?

Seguindo essa definição, cada casa autossuficiente pode ser configurada de uma maneira diferente, dependendo do clima, localização e as necessidades dos moradores. Mas, basicamente, o projeto de arquitetura sustentável nessas construções envolve os seguintes aspectos:

Energia elétrica

Em primeiro lugar, as casas autossustentáveis  dependem de si mesmas para obter energia elétrica. A principal forma de conseguir isso é através da energia solar, uma das fontes de energia renováveis mais eficientes para abastecer uma casa.

Os painéis fotovoltaicos instalados no telhado geram energia elétrica suficiente para operar luzes e aparelhos eletrônicos. Em muitos casos, as casas autossuficientes são capazes até de fornecer energia de volta à concessionária depois de suprir suas próprias necessidades.

Casas autossustentáveis

Água

A construção de uma casa autossuficiente também precisa considerar a fonte de abastecimento de água. Algumas residências podem optar por um sistema de poço ou cisterna para fornecer água potável.

Além disso, é essencial considerar um sistema de captação de água da chuva. Essa técnica serve para acumular e reutilizar as águas pluviais, ao invés de permitir que elas simplesmente sejam descartadas. Dessa forma, é possível regar plantas, lavar roupas e limpar a casa, por exemplo.

Veja também: “Como funciona uma cisterna? Vale a pena ter uma?”

Casas autossuficientes

Gás

Já pensou em utilizar os resíduos orgânicos (como restos de alimentos) e fezes de animais (ou até de pessoas) para gerar gás de cozinha? Isso é possível com o biodigestor, um sistema bastante utilizado em áreas rurais, como fazendas e granjas.

A novidade é que já existem biodigestores domésticos que podem ser usados em casas autônomas. Esse sistema é compacto, eficiente e possui ótimo custo-benefício. Assim, os próprios resíduos gerados pelos moradores são transformados em gás de cozinha e fertilizantes para hortas e jardins.

Alimentos

Por falar nisso, cultivar frutas e vegetais orgânicos é um passo importante para quem deseja ter uma casa autossuficiente. Apesar de exigir muito esforço e dedicação, ter uma horta no quintal ou terraço definitivamente vale a pena.

O ato de cultivar seus próprios alimentos tornam os moradores mais independentes de supermercados e varejões. Isso sem contar no privilégio de comer legumes frescos e ter uma vida saudável, concorda?

Casas autossuficientes - Entenda AntesUne Arquitetura

Veja também: “Essas casas são para quem ama jardins!”

Considerações finais

A preocupação ambiental, juntamente com o aumento nos preços da eletricidade, água e outros serviços, criaram um maior interesse em um estilo de vida autossuficiente. Assim sendo, a arquitetura sustentável tem um papel muito importante, já que as casas autossuficientes estão se popularizando pelo mundo.

Para concluir, essas moradias geram benefícios para os moradores, principalmente no que diz à economia de dinheiro a longo prazo. Além disso, o meio ambiente agradece com a redução de emissão de gases poluentes e desperdício de recursos naturais.

E então, gostou de nosso artigo? Nos diga nos comentários o que você acha das casas autossuficientes!

Shopping Basket
1