Conheça nossas Trilhas

23 de junho de 2024
33.67°C New York
Iluminação difusa - Entenda Antes

Iluminação difusa: o que é e como utilizar nos ambientes

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

A iluminação de um ambiente é um dos fatores mais importantes para que o espaço seja funcional e atraente ao mesmo tempo. A luz pode destacar um elemento, disfarçar imperfeições, criar vários ambientes em um único cômodo, fazer com que o espaço pareça maior e mais arejado. Uma maneira de conseguir esses efeitos variados é com a iluminação difusa nas áreas internas da casa.

Esse tipo de iluminação proporciona um ambiente iluminado de forma suave. Isso faz com que a luz difusa seja uma das mais versáteis e utilizadas em projetos de interiores de todos os estilos. Neste post, você vai entender exatamente o que é iluminação difusa e como utilizá-la nos ambientes da sua casa. Confira!

O que é iluminação difusa

A iluminação difusa é aquela que ilumina todo o ambiente. Entretanto, essa iluminação não é forte e direta. Pelo contrário, a luz difusa é suavizada de alguma maneira – geralmente com um vidro ou acrílico. Dessa maneira, a intensidade da luz fica mais suave sem que ela perca a capacidade de iluminar todo o ambiente. Além disso, a iluminação difusa diminui a quantidade de sombras no espaço. 

Quer um exemplo prático? Quando não há nuvens no céu em um dia ensolarado, você não consegue olhar para o sol por muito tempo. Em questão de segundos, a luz forte vai incomodar seus olhos. Mas, quando há várias nuvens no céu, parte da luz solar intensa é bloqueada. Assim, você consegue olhar para o sol sem tanto incômodo e, nem por isso, o dia vai parecer mais escuro. Isso acontece porque a camada de nuvem torna a luz difusa. 

Com a iluminação artificial é a mesma coisa! Uma superfície cobre a lâmpada para que a claridade seja difundida uniformemente pelo espaço. 

Iluminação difusa - Entenda Antes ATPH Arquitetura Engenharia e Construção

Como utilizar a iluminação difusa em casa

É importante saber que, basicamente, existem três tipos de iluminação para ambientes: direta, indireta e difusa. Garantimos que essa classificação não serve apenas para complicar a sua mente! Pelo contrário, os vários tipos de iluminação permitem criar a atmosfera desejada para cada ambiente. 

Além disso, cada tipo de luz é indicado para uma funcionalidade. Assim, dependendo do projeto, é possível misturar diferentes tipos de luminárias e luzes em um mesmo ambiente. Por exemplo, um plafon com luz difusa pode ser combinado com um lustre pendente. 

A luz difusa é a mais versátil e, portanto, é difícil errar ao optar por esse tipo de iluminação. Ela pode ser utilizada em qualquer ambiente da casa, em luminárias de embutir ou de sobrepor, assim como em pendentes, arandelas e lustres. 

Veja também: “Como uma boa iluminação pode trazer bem estar aos ambientes.”

Dicas para aproveitar a iluminação difusa em cada ambiente 

Sala de estar

A sala de estar é a área mais desafiadora para iluminar. Isso porque o local pode ser usado para fazer várias atividades, como socializar, assistir TV ou ler um livro, por exemplo. Portanto, a iluminação da sala de estar deve ser projetada para atender às necessidade daqueles que vivem no ambiente. 

Mas, basicamente, se você deseja criar uma área para receber e conversar com os convidados, convém apostar na iluminação difusa no teto. Nesse caso, as melhores luminárias para luz difusa são os plafons e as luminárias de embutir.

Esse tipo de iluminação na sala de estar proporciona um maior conforto visual e mantém o ambiente bem iluminado. Além disso, o incômodo com os reflexos da lâmpada na tela da TV é amenizado com a luz difusa.

Iluminação difusa - Entenda Antes Karla Araújo Arquitetura e Interiores

Quarto

Na área mais íntima da casa, a iluminação deve ser o mais suave possível. Por isso, a luz difusa pode ser usada tanto na iluminação geral quanto em abajures ou luminárias localizadas em pontos diferentes do quarto. 

Iluminação difusa - Entenda Antes Géssica Fernandes Arquitetura

Cozinha

As atividades realizadas na cozinha ditam as regras de iluminação. Por ser uma área onde é preciso lidar com vários utensílios ao preparar as refeições, convém escolher uma iluminação intensa, nítida e sem sombras. A luz difusa no teto é a melhor opção nesse caso porque distribui a iluminação de maneira uniforme, projetando menos sombras na área de trabalho.

Iluminação difusa Thiago Conte Arquitetura

Banheiro

Apesar de ser um ambiente pequeno, o banheiro também tem suas próprias regras em relação à iluminação. Nessa parte da casa, é interessante ter duas fontes de iluminação difusa: uma no teto para iluminação geral e outra próxima ao espelho. 

Nessa última, a escolha pela luz difusa é ainda mais importante. Isso porque a iluminação precisa ser suavizada para evitar sombras ao se maquiar ou barbear, por exemplo. 

Iluminação difusa - Entenda Antes Fellipe Ribeiro Arquitetura

Agora que você sabe o que é iluminação difusa e como utilizá-la em qualquer ambiente da casa, descubra a importância de contratar um designer de iluminação para seus projetos!

Veja também: “Qual a importância de um designer de iluminação?”

Como barrar o frio

Como usar a Arquitetura para barrar o frio?

O inverno chegou pra valer e se você mora em regiões frias do país e está pretendendo construir ou reformar é bom aprender como barrar o frio com a arquitetura?

Confira nossas dicas e Entenda Antes como fazer uma construção eficiente do ponto de vista térmico.

Como barrar o frio com o projeto arquitetônico então?

Como barrar o frio

Implantação

Procure implantar sua casa de maneira que maior parte dos ambientes receba luz solar. Afinal, quanto menos sol bater diretamente no imóvel mais difícil será aquecê-lo.

Tente fazer com que a residência fique em uma posição na qual os vizinhos não façam sombra. E para isso, é importante que você verifique a orientação do terreno e analise com cuidado o movimento do sol, que nasce a leste e se põe a oeste.

Interessante também evitar ficar muito próximo na porção sul do seu vizinho. Há grandes chances do sol não atingir essa fachada, o que pode causar umidade externa e interna nas paredes.

Como barrar o frio

Veja também: “Qual é a importância do Urbanismo para a Arquitetura?”

Orientação e tamanho das janelas

Na maior parte do Brasil o sol vai de leste a oeste passando mais ao norte. Assim, a fachada norte é a que recebe mais sol durante o dia, principalmente durante os meses de inverno. Já a fachada sul, ao contrário, recebe mais sol no verão.

Assim,importante evitar que os ambientes tenham janelas unicamente voltadas para o sul. Do contrário você terá um casa fria no inverno e muito quente no verão.

E o tamanho também deve ser observado. Quanto maiores as janelas, mais claros e ensolarados ficarão os ambientes.

Como barrar o frio

Caixilhos

No Brasil, a qualidade dos caixilhos é muito baixa. As peças, no geral, são mal acabadas e não fecham corretamente. Por isso, é comum nos dias mais frios sentirmos vento dentro de casa, mesmo com todas as portas e janelas fechadas.

As frestas nas janelas são as grandes culpadas pelo resfriamento das casas. É por meio delas que o ar frio noturno entra e todo seu esforço em aquecer a casa durante o dia se torna inútil.

Assim, ao comprar caixilhos e esquadrias, observe bem a qualidade do produto. O acabamento, o encaixe entre as peças e o isolamento devem ser adequados.

Como barrar o frio

Proteção dos ventos

Na hora da construção é bom verificar qual a orientação predominante dos ventos e assim, posicionar as janelas de modo que elas possam ser fechadas.

E por falar em janelas, uma boa prática para manter a temperatura de sua casa agradável é abrir as janelas durante o dia e deixar o sol entrar na casa. Já no final da tarde, feche as janelas e conserve o calor que entrou em sua casa durante o dia. .

Como barrar o frio

Veja também: “Descubra fatores que afetam a valorização do imóvel”

Sistemas mecânicos de aquecimento

Sistemas mecânicos de aquecimento são os populares aquecedores elétricos a óleo ou a gás.

Você encontra vários equipamentos no mercado e por isso é bom avaliar com muito cuidado antes de se decidir por algum.

Os aquecedores elétricos são de fácil instalação, porém consomem muita energia. Inclusive, é importante que as instalações elétricas suportem a carga exigida por eles.

Já o aquecimento a gás precisa de uma infraestrutura mais complexa e manutenção regular. Porém, são bastante eficientes e consomem menos energia.

Você pode usar ainda sistemas de aquecimento de piso, equipamentos portáteis e ares-condicionados com a opção de ar quente.

Por fim, por mais frio que seja o local da sua residência, vale lembrar que vivemos em um país tropical e que essas soluções para o inverno podem ser um grande problema durante os meses de verão.

Dessa forma, todo cuidado é pouco na hora de planejar sua residência e é sempre aconselhável conversar bastante com um arquiteto ou engenheiro civil de sua confiança. Esses profissionais, com certeza, encontrarão a melhor solução para o seu projeto.

Confira mais matérias como essa acessando a Revista do Entenda Antes!

_____________________________________________________________________

Criamos o Entenda Antes porque acreditamos que a troca de conhecimento, informação e experiência é o único meio que realmente tem o poder de melhorar as pessoas, melhorar os negócios e o mundo como um todo.

Acreditamos que não precisa ser difícil e demorado encontrar bons profissionais e realizar orçamentos para fazer um bom negócio. Fazemos isso porque o mundo pede mais agilidade, facilidade e comodidade.

Solicite um orçamento do que você precisa sobre o mundo da construção e iremos te ajudar a realizar o melhor negócio!

Shopping Basket
1