Conheça nossas Trilhas

22 de junho de 2024
23.82°C New York
Como fazer um bom controle de custos para suas obras e facilitar sua gestão financeira?

Como fazer um bom controle de custos para suas obras e facilitar sua gestão financeira?

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

A construção civil é uma área que requer múltiplos conhecimentos, os quais vão desde matemática, desenho técnico, física, estatística, hidrologia, legislação, dentre outros, até conhecimento sobre administração e gestão financeira. Desse modo, os profissionais que atuam nesse campo devem prezar por todos esses aspectos a fim de que o projeto arquitetônico apresente excelentes resultados para os clientes. 

Pensando nisso, nós da Entenda Antes resolvemos escrever este post abordando especificamente o tema da gestão financeira, de modo a proporcionar maiores subsídios em termos de informação e conhecimento para os nossos leitores que atuam na área. Boa leitura!

A importância da gestão financeira

Todo negócio deve contar com uma gestão financeira, visto que ela oportuniza que os gestores ou empreendedores possam monitorar de forma mais precisa o equilíbrio financeiro do empreendimento. 

Sendo assim, a gestão financeira de modo geral nada mais é do que o planejamento financeiro que considera o quanto há de dinheiro e os custos necessários para desenvolver ações dentro do negócio. Desse modo, por meio do maior controle das entradas e saídas do fluxo de caixa, é possível monitorar o desempenho do empreendimento e a saúde financeira do negócio. 

Gestão financeira em obras

A gestão financeira também é uma etapa de suma importância dentro dos projetos da construção civil, visto que a construção ou reforma de uma edificação apresenta um alto orçamento para os clientes, os quais desejam o melhor custo-benefício. 

A construção ou reforma de uma edificação demanda a atuação de diversos profissionais, equipamentos, materiais de construção, dentre outros itens. Nesse sentido, é fundamental que o profissional responsável pelo planejamento e gerenciamento da obra realize uma ampla pesquisa de preços para oferecer o orçamento mais atrativo para o seu cliente, sem deixar de lado a qualidade dos serviços, equipamentos e materiais empregados, visto que a qualidade irá proporcionar a conclusão ágil do projeto e a maior durabilidade da estrutura, o que certamente será apreciado pelo cliente. 

5 dicas para melhorar a gestão financeira da sua obra

5 dicas para melhorar a gestão financeira da sua obra

Agora que você já sabe um pouco mais a respeito da importância da gestão financeira para obras, veja a seguir um conjunto de cinco dicas que irão auxiliar no equilíbrio financeiro, agilidade de conclusão da obra e satisfação do cliente. Acompanhe!

  • Determine o orçamento

O primeiro passo para realizar uma gestão financeira eficiente é determinar o orçamento do projeto. Para isso, é necessário alinhar o que o cliente deseja, apresentar o projeto arquitetônico e, após aprovado, realizar o levantamento da mão de obra necessária para executar a construção, bem como todos os equipamentos e materiais necessários, e avaliar o custo total. 

Além de considerar todos esses aspectos, é essencial deixar uma reserva para emergências, de modo que o cliente não tenha surpresas com o orçamento ao final do projeto.

 

  • Elabore o cronograma físico-financeiro

Para elaborar o cronograma físico-financeiro é necessário dividir a execução da obra por etapas. Bem como, identificar quantorecurso financeiro cada etapa irá necessitar. Por fim, é necessário estabelecer o tempo de conclusão para cada fase.  

Assim é possível monitorar com maior precisão se o planejamento está saindo como o esperado em relação ao tempo e aos custos envolvidos. 

  • Gerencie a obra regularmente

Mais importante do que planejar é utilizar o planejamento para gerenciar a obra de forma adequada. Dessa maneira, fiscalize a obra com frequência para se certificar de que a mão de obra está com as operações em dia ou não e se os recursos estão sendo bem aproveitados. 

  • Avalie relatórios e indicadores

Além da fiscalização, é necessário avaliar o desempenho da obra por meio de relatórios que contenham indicadores financeiros, tais como:

  • benefícios e despesas indiretas (BDI);
  • custo unitário básico por metro quadrado (CUB/m²), o qual oportuniza a visualização do custo parcial da obra;
  • custos unitários PINI de edificações (CUPE);
  • índices PINI de custos de obras de infraestrutura;
  • dentre outros.

Vale destacar que a seleção dos indicadores deve ser realizada previamente durante a elaboração do planejamento do projeto.

  • Adote um software de gestão financeira

Por fim, uma maneira de agilizar e organizar os dados com segurança é contar com o auxílio de um software. Desse modo, o profissional responsável pelo planejamento e gerenciamento da obra pode focar em outros aspectos importantes. Sendo assim, deixando o controle e confecção de relatórios de desempenho por conta do programa de gestão. 

Benefícios da gestão financeira em obras

A realização da gestão financeira oferece vantagens tanto para o gestor da obra, quanto para o cliente. Nesse sentido, acompanhe a seguir um conjunto de três benefícios proporcionados pela correta gestão financeira de obras. 

  • Agilidade na conclusão da obra

Como é possível perceber, a gestão financeira oportuniza um maior planejamento e controle dos recursos financeiros e prazos. Muitas vezes as obras atrasam por conta do baixo desempenho da mão de obra. Mas isso ocorre pela falta da gestão, que acarreta na ausência de recursos necessários para continuidade das operações. 

Além do gestor considerar os custos totais da obra, ele deve deixar uma reserva para emergências. De modo a evitar que qualquer imprevisto ocasione em custos não previstos, transtornos para o cliente. Bem como atrasos na obra. 

  • Investimentos bem aplicados

Além de auxiliar na conclusão dos projetos, a gestão financeira auxilia em um melhor direcionamento dos recursos investidos. Visto que o gestor deve realizar um levantamento de custos antes de fechar qualquer contrato. Seja de serviço ou material de construção. 

  • Maior satisfação do cliente

Como a gestão financeira garante agilidade na conclusão e corte de gastos, consequentemente, o cliente ficará satisfeito com os serviços prestados. Dese modo continuará solicitando-os e fará um bom marketing para conhecidos e familiares. 

Considerações finais

Como você pôde perceber, a gestão financeira em obras não implica somente em corte de custos. Mas também em projetos executados e concluídos dentro dos prazos estipulados previamente. Sendo assim, é um conhecimento indispensável para qualquer profissional que atua na área da construção civil. 

Muitos não sabem por onde começar a procurar para encontrar o melhor projeto da construção do seu sonho. Então sabendo que é preciso ter um projeto Clique Aqui e descubra quais são as 3 principais soluções para ter seu projeto e começar a construir.

Sistemas de gestão de obras: a solução para evitar problemas e atrasos

Sistemas de gestão de obras: a solução para evitar problemas e atrasos

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Problemas e atrasos nas obras são situações que não precisam ser recorrentes no dia a dia dos profissionais que lidam com obras e reformas. Isso porque, tais condições podem ser minimizadas consideravelmente através de sistemas de gestão eficientes. Afinal, além de otimizar os processos, eles resultam em economia e satisfação garantida.

Saiba a importância e os benefícios de uma boa gestão!

Inegavelmente, o principal benefício é a centralização das informações das três grandes áreas de qualquer negócio: atendimento ao cliente, controle interno e relação com os fornecedores. A primeira conta com o sistema Customer Relationship Management (CRM), que pode ser traduzido como Gestão de Relacionamento com o Cliente.

Já as outras duas podem ser gerenciadas pelo sistema Enterprise Resource Planning (ERP) ou Planejamento de Recursos da Empresa, em tradução livre. Veja mais detalhes a seguir sobre as funcionalidades desses sistemas de gestão, por área.

Atendimento ao cliente:

  • informações dos clientes: não somente os clientes que já contratam os serviços da empresa. O sistema CRM também reúne informações de clientes potenciais indicando detalhes como data inicial e motivo do contato, como a questão foi encaminhada, entre outras especificações;
  • agendamento de reuniões: serve para manter um controle exato dos dias e horários. Bem como, atualizar em caso de remarcação;
  • agendamento de serviços: especialmente para os casos de manutenção programada. Por isso, é uma ótima opção para entrar em contato com o cliente no momento certo e evitar que ele contrate serviços de outros profissionais;
  • acesso de qualquer lugar: as informações podem ser obtidas pelo computador ou pelo celular. Em outras palavras, facilita o acesso do escritório ou do canteiro de obras, por exemplo.

Controle interno:

  • automatização dos processos: toda a parte organizacional mais burocrática passa a ser automatizada. Isto é, contas a pagar e receber, fluxo de caixa, faturamento, lançamento de notas e operações bancárias; 
  • facilidade com escritório de contabilidade: alguns softwares permitem sincronizar as principais informações de controle financeiro e fiscal diretamente com o escritório de contabilidade;
  • simplificação para as tarefas de Recursos Humanos (RH): As férias, 13º, licenças e demais obrigações trabalhistas são assim organizadas em um só lugar;
  • acompanhamento dos processos e análise baseada em relatórios: os sistemas de gestão permitem a geração de relatórios que facilitam a leitura e análise. Dessa forma, agilizando a implementação de melhorias e a prevenção de erros ao antecipar decisões;
  • intercâmbio de informações entre os setores: as informações que são de interesse comum entre os setores da empresa ficam disponíveis para todos os envolvidos no processo. Assim, facilita o acompanhamento e a conclusão de tarefas.

Relação com os fornecedores:

  • estruturação do quadro de fornecedores: as informações das empresas e dos profissionais especializados são organizadas por detalhamento de serviços;
  • processos e procedimentos: organização e acompanhamento dos processos por meio de elaboração de cronograma;
  • facilidade no acesso às informações: possibilidade de atualizar ações e realizar intervenções de forma rápida e estratégica.

É importante ressaltar que todas as informações são mantidas de forma segura através da técnica de criptografia. Afinal, esse detalhe que deve ser visto com muita atenção. No Brasil, qualquer empresa que lide com dados, principalmente as que desenvolvem sistemas de gestão empresarial, devem respeitar a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que está em vigor desde agosto de 2020.

Através dos benefícios citados, você já deve começar a considerar a importância de ter um sistema de gestão e é aí que entra a dúvida sobre o quanto é necessário investir. Vamos falar mais sobre isso no próximo tópico.

Existe mais de um sistema de gestão? É fácil de usar? Preciso investir muito?

Existe mais de um sistema de gestão? É fácil de usar? Preciso investir muito?

Anteriormente, observamos que o CRM está voltado para as demandas de relacionamento com os clientes e o ERP para as de controle interno e relação com os fornecedores. Por isso, existem vários sistemas de gestão de obras e ainda neste post vamos falar sobre oito deles.

As empresas que disponibilizam os sistemas oferecem treinamentos e assessoria para facilitar o uso do sistema. Eventualmente, alguns deles têm a opção de serem personalizados de acordo com as necessidades do contratante.

O investimento vai variar com o tipo de complexidade e armazenamento escolhido.Bem como, o tipo de integração selecionado. Por exemplo, você pode optar por uma forma de armazenamento em nuvem que permite acessar de qualquer lugar que tenha internet. Ou seja, no canteiro de obra a pessoa responsável atualiza os campos e instantaneamente fica disponível para todos os setores liberados para acesso.

Um exemplo de tipo de integração é a disponibilização de parte do controle financeiro e fiscal com o escritório de contabilidade.

Conheça 8 tipos de sistemas de gestão de obra

As soluções contam com armazenamento online, possibilidade de uso em dispositivos móveis como Android e iOS e período de teste gratuito.

1. Obrafit

O Obrafit é um sistema de solução que dispensa treinamento e conta com tutoriais de apoio para utilização. 

Por isso, arquitetos, engenheiros, gerenciadores, construtores e proprietários podem ter acesso às informações em tempo real sem dificuldade. O Obrafit funciona através das imagens das obras com campos para comentários.

Possui três tipos de plano e também é possível optar por planos personalizados e customizados. Dentre as funcionalidades podemos destacar:

  • importação de orçamento e emissão de relatórios em excel e PDF;
  • controle financeiro e fluxo de caixa;
  • cronograma de etapas;
  • análise de resultados entre o orçado X realizado  e realização do previsto X real.

2. Box Obras

O Box Obras integra gerenciamento empresarial, controle de obras e manutenção das instalações e equipamentos prediais. 

Auxilia os profissionais de engenharia na projeção, gerenciamento e execução de pequeno e grande porte e disponibiliza manual de uso em módulos através de vídeos.

Entretando, os preços são disponibilizados via orçamento.

Parte das funcionalidades inclui, por exemplo:

  • gerenciamento de RH, contratos e documentações;
  • controle de estoque, maquinários e empreitadas;
  • orçamentos;
  • gestão financeira.

3. Veja Obra

O Veja Obra é uma ferramenta de planejamento, controle e execução. Ou seja, centraliza o orçamento, cronograma e diário de obras.

Não apenas te ajuda, como possui plano grátis, por obra e por empresa.

Dentre as soluções para as atividades na empresa e na obra temos:

  • organização das atividades de escritório;
  • controle de resultados e precificação dos serviços;
  • controle de custos e prazos de obras;
  • otimização do planejamento.

4. Mais Controle

O Mais Controle é, no entanto, voltado para gestores da construção civil atuantes em construtoras e empresas de engenharia ou serviços. Por isso, possui três tipos de pacotes de serviços e uma taxa fixa de implantação através de treinamento com equipe especializada.

As funcionalidades estão voltadas para:

  • controle financeiro;
  • orçamentos;
  • planejamento;
  • gestão.

5. Obra Prima

O Obra Prima é um sistema que facilita o cadastro das obras e projetos. Assim, ele contempla soluções para um grande número de proficionais. Entre eles, engenheiros, empreiteiros, profissionais de obras e reformas, prestadoras de serviços elétricos,por exemplo.

Conta com três possibilidades de planos e taxa de adesão com preço variável para treinamento e acompanhamento.

Algumas funcionalidades são:

  • orçamento de custo e venda;
  • faturamento e reembolso;
  • controle de gastos;
  • galeria de fotos e documentações.

6. Sienge

O Sienge é uma plataforma que foca a produtividade através da jornada da construção nos processos de venda e pós-venda.

Oferece cursos à distância gratuitos e a forma de pagamento é mensal de acordo com os módulos contratados.

Os produtos são oferecidos por tipo de serviço. Alguns deles são:

  • comercial;
  • fiscal;
  • suprimentos;
  • gestão de ativos.

7. Gerencia Obras

O Gerencia Obras é voltado para planejamento, execução, otimização e automação.

Possui três tipos de planos com pacotes mensal, semestral e anual.

Entre as funcionalidades, destacamos:

  • padronização do processo de cotação;
  • medição dos resultados no canteiro de obra;
  • gerenciamento de etapa física e financeira;
  • controle do orçado e realizado.

8. Minha Casa Nova

O Minha Casa Nova é um aplicativo gratuito voltado para obra residencial.

É possível acompanhar o planejamento financeiro e compartilhar fotos e informações através da liberação via código do e-mail.

O planejamento está dividido em etapas que incluem 18 fases, das quais destacamos:

  • documentação, compra e registro do terreno;
  • projeto arquitetônico, estrutural, hidrossanitário e preventivo elétrico e telefônico;
  • etapas de execução;
  • móveis e decoração.

Viu como as demandas complexas, o acompanhamento de obras e a excelência no atendimento podem ser facilitadas? Sem dúvida, através da implementação de sistemas de gestão de obras, tudo fica mais fácil.

Conseguimos ajudar você? Compartilhe suas inquietações com a gente! Nosso trabalho é contribuir para que você faça os melhores negócios!

Shopping Basket
1