Conheça nossas Trilhas

23 de junho de 2024
33.75°C New York
Tipos de palmeiras para decorar sua casa.

10 tipos de palmeiras para decorar sua casa!

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

Os projetos envolvendo tipos de palmeiras estão muito em alta. O que aumenta a sua popularidade, é o momento em que nota-se as enormes vantagens estéticas que elas oferecem ao ambiente.

Para saber mais, leia: Plantas ornamentais: tudo que você precisa saber

Sobre os tipos de palmeiras

Como é possível observar, os mais diversos tipos de palmeiras, estão presentes em diversos locais, seja em jardins, varandas, canteiros, entre outros.

Uma das maiores vantagens em relação a essas plantas, é que elas possuem uma imensa variedade de tipos e tamanhos.

Justamente por conta disso, é comum encontrar uma grande dificuldade sobre qual optar e como escolhê-la.

Afinal, elas exigem sim alguns cuidados e muitos tipos podem se adaptar em locais diferentes dos outros.

De maneira geral, existem algumas espécies de palmeiras que podem ser plantadas em vasos ou canteiros. Porém, um requisito unânime é que elas sejam plantadas fora de casa.

Por conta de possuírem um tamanho avantajado, acabam sendo mais indicadas para áreas externas.

Além disso, a partir do momento em que se decide o local onde ela será plantada, torna-se mais fácil escolher a espécie.

Esse é um dos principais requisitos, já que o ambiente determinará o tipo e tamanho.

Plantio e cuidados

Após decidir onde a qual tipo de palmeira e onde será plantada, saiba que também é muito importante escolher um vaso ou canteiro adequado.

Em relação a essa questão, o mais indicado é sempre se informar com o fornecedor da planta. Afinal, cada uma possuirá uma característica diferente, bem como necessidades.

De qualquer forma, durante o plantio, um detalhe que precisa ser cuidadosamente analisado é o clima.

O clima de cada região influenciará no tipo de palmeira que deve ser escolhido.

Um exemplo clássico e fácil de entender, é que as palmeiras tropicais combinam mais com clima quente, úmido e ensolarado.

Em suma, o mais indicado é que a temperatura anual deve ser sempre acima dos 22 ºC. Assim, a planta consegue se desenvolver de maneira adequada e segura.

Por isso, é muito importante colocá-la em um local onde a luz solar seja oferecida diariamente. A melhor época do ano para plantar é no verão ou outono.

Características físicas

Em primeiro lugar, é fato que qualquer um dos tipos de palmeiras adquirem uma aparência física muito mais bonita e saudável quando são plantadas com terra de qualidade.

Para isso, um dos melhores exemplos é sempre optar por plantá-las, como dito, no verão ou início de outono.

Assim, há um período maior na incidência de chuvas, o que faz com que a planta se desenvolva melhor.

Além disso, o mais indicado é sempre preparar o solo. Para esclarecer, essa preparação pode ser feita com adubo orgânico, que tenha riqueza em húmus.

Tendo esses cuidados durante o plantio, é possível notar o quanto as palmeiras ficam com características estéticas benéficas.

Assim sendo, algumas palmeiras podem apresentar folhas com espinhos ou formato pontiagudo.

Por isso, precisam ser plantadas em terra saudável para que essa característica não se perca, já que podem se mostrar ressecadas ou deficientes.

Por fim, para ressaltar sua beleza física, é indicado escolher adequadamente o local para posicioná-la.

Cuidados com a planta

Como já é de se esperar, um erro muito comum das pessoas, é justamente achar que as palmeiras não precisam de cuidados.

De fato, existem diversos tipos de palmeiras que são altamente resistentes, mas isso não anula os cuidados que precisam receber. Sendo assim, algumas dicas são:

  • Fazer adubação a cada seis meses (utilizando esterco ou demais materiais orgânicos);
  • Podas para direcionar o crescimento da planta;
  • Retirar ramos secos e doentes (é importante para não contaminar folhas saudáveis);
  • Garantir luz solar direta.

Caso seja difícil manter os cuidados de maneira própria em relação aos tipos de palmeiras, o mais indicado é contratar um profissional especializado.

Dessa maneira, será possível garantir que elas sejam cuidadas da forma correta.

É importante ainda ressaltar que as palmeiras adquirem um tempo de vida muito maior quando são cuidadas.

Isso também interfere na impressão que elas deixarão no ambiente que será decorado.

10 lindos modelos de palmeiras

1. Palmeira Imperial

Tipos de Palmeiras

A Palmeira Imperial é ideal para o lado externo de residências. Nesse sentido, é mais indicada para ser plantada fora de vasos, já que cresce demais.

Fica ótima em entradas de casas ou em pátios grandes.

2. Palmeiras Washingtonia

Tipo de Palmeiras Washingtonia

Essa palmeira é um tipo selvagem. Ela possui grande resistência e fica ótima em jardins residenciais que tenham maior espaço. Não exige grande quantidade de cuidados, mas seu plantio deve ser minucioso.

3. Palmeira Leque

Tipo de palmeiras leque

A Palmeira Leque é um tipo com folhas grandes e que lembram um leque.

Ela é ótima para ser colocada em vasos ou diretamente no solo. Além disso, precisa de boa drenagem feita com mangueira e é ótima para ser colocada em salas ou jardins.

4. Palmeira Azul

Tipo de Palmeira azul

Indicada como um tipo de palmeira ornamental para vasos ou solo, ela é perfeita para locais externos, pois pode ocupar bastante espaço, gosta de água e sol.

5. Palmeira Laca

Tipo de palmeira laca

Apresenta um forte apelo paisagístico. Por conta disso, seu tronco vermelho vivo se destaca.

Por exemplo, é a mais indicada para residências em regiões tropicais. É perfeita para emoldurar caminhos ou ser plantada em grupos.

Se for plantada dentro de casa, aconselha-se ter uma casa bem grande.

6. Palmeira Garrafa

Palmeiras tipos garrafa

Um dos tipos de palmeiras mais exóticos e esculturais. É de porte pequeno e pode atingir 6 metros de altura.

Por isso, pode ser plantado dentro de casa, na beira de piscinas ou em jardins.

O seu tronco armazena água nos períodos de estiagem.

7. Palmeira Rabo-de-Raposa

Tipo de Palmeira rabo de raposa

Entre os tipos de palmeiras, esta é a mais indicadas para jardins. Atinge um tamanho consideravelmente grande e seus galhos se espalham, lembrando uma estrela.

8. Palmeira Triângulo

Tipos de palmeiras triângulo

Ótima para ser plantada em vasos, portanto, a palmeira triângulo é uma das mais indicadas para jardins externos.

O seu porte é exuberante e se adapta bem às frequentes regagens.

9. Palmeira Ráfis

tipos de palmeiras ráfis

 

Muito utilizada para decorar interiores, já que tem porte pequeno. Entre os tipos de palmeiras existentes, é uma das que mais precisa de sol pleno para manter a aparência saudável.

10. Palmeira Cascata

 

De porte pequeno, a Palmeira Cascata é ótima para jardins delicados. No entanto, é melhor quando plantada direto na terra.

Pode ser regada todos os dias, desde que não afogada. Ademais, não suporta temperaturas frias.

Conclusão

Como é possível observar, são muitos os tipos de palmeiras disponíveis no mercado.

Além disso, cada uma delas possui um tipo diferente de local onde podem ser plantadas.

Afinal, crescem em diferentes tamanhos e apresentam diferentes características.

Por conta disso, torna-se indispensável saber exatamente o que deseja fazer com elas e qual impressão deseja passar.

Somente dessa maneira, será mais fácil escolher o modelo e organizá-la no ambiente.

Além disso, é importante ressaltar também a importância das palmeiras para purificar o ambiente.

Como são plantas fortes e geralmente grandes, conseguem purificar o ar com maior facilidade.

Tais características colaboram muito para que sejam altamente procuradas.

Ademais, caso você queira conhecer também mais sobre plantas ornamentais, clique aqui  e confira o nosso post sobre o assunto!

Com maior informação, você pode oferecer maior saúde para as plantas e, consequentemente, beleza para o ambiente.

Veja também: 6 Estilos de decoração para Jardins.

 

 

paisagismo - entenda antes

O que é Paisagismo e qual sua vantagem?

Você sabe o que é paisagismo e o que um profissional da área pode fazer por você? Então leia este conteúdo e Entenda Antes a importância do paisagismo na sua vida e na cidade em que você vive.

O que é Paisagismo

O que é paisagismo

O que é paisagismo? Muitas pessoas acham que isso se limita a criação de jardins e praças, mas ele vai muito além. O paisagismo é uma técnica que tem como objetivo projetar, planejar, fazer a gestão e a preservação de espaços livres. Sendo eles públicos ou privados, urbanos e não-urbanos.

Trata-se de uma área relacionada diretamente com a arquitetura e o urbanismo, sendo também chamado de arquitetura da paisagem.

Veja também: “Como combinar tons de madeira com a decoração?”

paisagismo - entenda antes

O arquiteto paisagista

O profissional responsável pelo paisagismo é o arquiteto paisagista. Sua tarefa é pensar e planejar o ambiente visando preservar seu solo e cobertura vegetal. Garantindo a continuidade botânica do espaço, além é claro, de deixá-lo bonito e funcional para seus moradores e visitantes.

Na maioria das vezes, um cliente procura um paisagista porque deseja ter um jardim bonito para a convivência em sua casa ou mesmo o ambiente de trabalho. Mas é importante lembrar sempre que o paisagismo vai muito além da estética.

O paisagista deve levar em consideração e harmonizar quatro características importantes em seus projetos:

  • Geográficas
  • Hidrográficas
  • Bióticas
  • Humanas

Considerando ainda outros componentes importantes da paisagem urbana, como vegetação, área construída, circulação de pessoas e a presença de espaços livres.

 

paisagismo - entenda antes

 

O projeto de paisagismo

Um bom projeto de paisagismo se define como a construção do espaço externo de um empreendimento, não importando se ele é corporativo ou residencial, uma área privada ou pública e institucional. E, como já foi destacado, é preciso que seja bonito, mas também que atenda as necessidade de seus usuários e que seja adequado ao uso.

Quando analisamos os elementos construtivos de um jardim, vemos que a vegetação é apenas um entre muitos. Ele precisa contemplar a iluminação, revestimentos de piso, espelhos d’água, pergolados, portaria e garagem, itens de acessibilidade universal e, até mesmo, calçada pública.

O projeto de paisagismo precisa ainda conversar de forma harmoniosa com a arquitetura do imóvel, bem como com sua função. Por exemplo, em prédio comercial não faz sentido criar apenas um gramado no jardim, é preciso acrescentar espaços de convivência e de relaxamento.

Quanto a escolha da vegetação, o projeto de paisagismo deve-se dar prioridade às espécies nativas da região, pois assim será mais fácil a manutenção do jardim. Mas não só isso, deve-se atentar para o porte, altura, sombra e na composição que as plantas fazem entre si. Assim, se for vegetação nativa, ótimo. Mas isso não é determinante. A qualidade do jardim depende das espécies se encaixarem, combinar em com a construção do espaço.

Veja também: “Decoração com cores neutras, você conhece?”

 

paisagismo - entenda antes

 

Paisagismo e sustentabilidade

Um projeto de paisagismo deve ser minimamente invasivo à natureza. Na verdade, ele deve existir para extrair o da natureza sua beleza vegetal, harmonizando-a com as características dos edifícios e casas ao seu redor.

Para criar belos jardins, o paisagista deve fazer um estudo ambiental e social para dar a esses espaço um valor estético, sem deixar de lado as funções práticas para a convivência.

 

paisagismo - entenda antes

 

A ideia é estabelecer harmonia entre os elementos sem agredir a natureza, e principalmente, mantê-la ainda mais presente.

Em edifícios candidatos às certificações de impacto ambiental e nos demais que desejam simplesmente respeitar o ecossistema, a tendência atual é adotar a drenagem naturalística. Sistemas de detenção e retenção das águas pluviais. bem como muros e paredes verdes que ajudam a reduzir a temperatura dos ambientes.

Assim, podemos dizer que paisagismo e sustentabilidade na arquitetura tem uma forte e íntima relação.

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em ter um lindo paisagismo!

 

quais são os tipos de pergolados

Tipos de Pergolados, quais são eles?

Primeiramente, os pergolados deixam seu quintal ou jardim muito mais bonito e confortável para quem quer passar algum tempo curtindo o sol e observando a natureza. E se você também quer construir um, confira nesta matéria os tipos de pergolados e Entenda Antes de escolher o seu.

 

Veja também: “17 Dicas incríveis para uma decoração sustentável. Entenda Antes!”

tipos de pergolados - entenda antes

Dicas para escolher seu tipo de pergolado

  • O pergolado de madeira é o mais fácil de combinar com a maioria dos móveis e estilos de decoração e também são os mais comuns. Porém, seu custo costuma ser um pouco maior do que os de outros materiais, como por exemplo, o metal.
  • A área necessária para a instalação é de, no mínimo, 6 m².
  • A madeira utilizada na construção dos pergolados deve ser impermeabilizada, já que será exposta ao sol, vento e chuva.
  • Interessante também que a madeira passe por um processo de tratamento contra insetos que possam causar dano à estrutura.
  • Os pergolados devem passar por manutenção periódica. Devem ser lixados e receber verniz ou mesmo tinta. Isso permite que o pergolado possa durar por muito mais tempo.
  • Se a intenção for cobrir o pergolado com plantas, uma ótima escolha são as trepadeiras.
  • O pergolado com piso de madeira ficará com cara de lounge. Já o piso de grama ou terra deixa o espaço com ar mais rústico e casual.
  • O chão também pode receber uma cobertura de pedrinhas. Fica muito bonito e charmoso.
  • Bancos, sofás, pufes e até mesmo balanços deixam o ambiente aconchegante e com muito conforto.

 

 

1. Pergolados de madeira

Primeiramente, eles são os mais comuns. E como já falamos acima é o mais fácil de combinar com a maioria dos móveis e estilos de decoração, do mais rústico ao vanguardista.

Mas a variedade de modelos de pergolados de madeira é imensa e você pode encontrar algum que caiba no seu orçamento e preferências. Porém, precisam de manutenção.

2. Pergolados de alumínio

Pergolados de alumínio são mais modernos e resistentes às variações climáticas. Não precisam de manutenção e por serem leves podem ser montados e transportados com muita facilidade.

Você também encontra uma grande variedade de modelos, desde os mais simples até os mais sofisticados com cobertura e fechamentos laterais.


3. Pergolados de alvenaria

Costumam ser de cimento, tijolos ou concreto e fazem parte da estrutura da casa. E você pode combinar com madeira e vidro.

A grande vantagem é que são resistentes e podem ser pintados de qualquer cor.

Pergolado de concreto pré moldado

4. Pergolados de bambu

Seguindo um estilo mais natural, praiano e campestre, uma boa opção é construir um pergolado de bambu.

Além da estrutura leve e muito fácil de montar, seu preço costuma ser bem menor que dos outros materiais.

5. Pergolados com cobertura de lona

Depois de escolher o material da estrutura do seu pergolado, você precisa escolher o material para a sua cobertura, caso queira que ele seja coberto.

A lona é uma das opções mais comuns e com o maior número de vantagens, apesar de ser um pouco mais cara. Ela é capaz de bloquear de 90 a 100% os raios UVA, é de fácil limpeza e muito resistente.

6. Pergolados com cobertura de palha

Já para quem procura uma cobertura mais rústica e econômica, as coberturas de palha ou fibras naturais são uma excelente opção.

Elas não vão durar muito tempo como a lona, mas o investimento será mínimo e você mesmo pode fazer a instalação.

7. Pergolados bioclimáticos

Primeiramente, os pergolados bioclimáticos são aqueles que permitem, graças a um sistema de lâminas orientáveis (geralmente de alumínio), regular a temperatura (através da ventilação) e a intensidade da luz da região coberta.

Isso é possível porque as lâminas podem ser abertas e direcionadas em diferentes ângulos e até mesmo serem fechadas por completo, protegendo a área da chuva. Elas ainda podem ser reguladas de forma automática ou de forma manual.

 

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

_____________________________________________________________________

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com os amigos e vamos juntos colaborar na escolha e criação de lindos Pergolados!

jardim vertical - entenda antes

Como fazer um jardim vertical de forma simples e fácil?

O jardim vertical, também conhecido como parede verde é sucesso entre os paisagistas. Uma técnica que integra a natureza aos ambientes urbanos e é muito utilizado em áreas externas e internas. Por isso, é uma opção para quem não tem muito espaço na sua casa e quer inovar o ambiente. Além disso, podendo misturar flores, plantas e utilizar diversas cores para sua composição, por exemplo.

Esse tipo de jardim é fixado no sentido vertical ou suspenso por suportes na vertical em paredes ou muros criando painéis verdes com plantas de diversas espécies. Podem ser painéis decorativos ou suportes com plantação de ervas. É também muito utilizado em fachadas de edifícios com propostas sustentáveis. Afinal, eles criam um isolamento térmico natural e ajudam no controle da iluminação natural que incide nas fachadas. Por fim, tem como propósito de economizar energia, reduzir a poluição do ar e poluição sonora.

jardins verticais

O jardim vertical

Ele, nada mais é do que um jardim fixado no sentido vertical ou suspenso por suportes na vertical em paredes ou muros. Criando painéis verdes com plantas de diversas espécies.

Atualmente, os jardins verticais vêm sendo muito usados em fachadas de edifícios com propostas sustentáveis, pois ele cria um isolamento acústico e térmico natural, além de ajudar no controle da iluminação natural que incide sobre as fachadas dos edifícios.

Veja também: O que é um telhado verde e como usá-lo em sua obra? Entenda Antes

Assim, muitos edifícios de grande porte estão investindo no jardim vertical para economizar energia com sistemas de ar condicionado, reduzir a poluição do ar e poluição sonora, e também para criar ambientes mais amigáveis para quem mora ou trabalha neles.

Mas se engana quem pensa que o jardim vertical é uma exclusividade dos grandes edifícios. Você também pode ter um jardim vertical, o tamanho que desejar.

Pode ser pequenos painéis decorativos, calhas de PVC suspensas com plantação de ervas, muros ajardinados ou ainda painéis internos.

Jardim vertical interno

Como surgiu o jardim vertical

No Brasil, é muito comum muros cobertos com plantas escandentes (que crescem para cima), tais como a unha-de-gato ou a hera. Mas, o jardim vertical é mais do que isso. Trata-se de uma intervenção paisagística em paredes externas e/ou internas dos edifícios, que são cobertas por vegetação através de diversas técnicas.

O jardim vertical, é uma intervenção paisagística em paredes externas e/ou internas dos edifícios, que são cobertas por vegetação através de diversas técnicas.

Um dos idealizadores do sistema foi o designer e botânico francês Patrick Blanc. Ele, que trabalha no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) e é especializado em plantas de sub-bosque tropical, desenvolveu um circuito de recirculação fechada com a água de irrigação e os nutrientes.

 

 

Vantagens do Jardim Vertical

Os Jardins Verticais trazem muitos benefícios para o ambiente, vejamos alguns:

  • Dão um toque aconchegante e trazem vida às casas, deixando a estética mais bonita;
  • Funcionam como isolamento térmico e acústico na construção;
  • Ajudam a aumentar os níveis de oxigênio nos ambientes e nos edifícios’;
  • Purificam, limpam e melhoram a qualidade e umidade do ar;
  • Revitalizam a área verde e contribuem para reutilização de água;
  • Ajudam na diminuição dos efeitos da emissão de carbono;
  • Reaproveitam espaços de maneira sustentável;
  • Melhoram a produtividade em ambientes de trabalho;
  • Protegem paredes e muros;
  • Possibilidade do cultivo de hortaliças para o consumo próprio.

Sua ideia também inclui o uso de vegetação local, para que o sistema se adapte melhor às alterações e condições climáticas.

Seu primeiro jardim vertical foi para o Cité des Sciences em Paris, em 1986. E, desde então, cidades e prédios do mundo todo começaram a aderir à técnica.

Interessante que a ideia do jardim vertical aconteceu durante uma viagem para a Tailândia com seus alunos. Foi lá que ele percebeu que as plantas podem crescer em qualquer lugar, elas apenas precisam de água suficiente.

Tipos de Jardim Vertical

Como fazer um jardim vertical de forma simples e fácil?

Normalmente feito de materiais leves, os jardins verticais se adaptam a diversos tipos de ambiente e contém vários tipos de vegetação. Vamos ver alguns tipos.

Jardim Vertical Natural

Esse tipo de jardim é utilizado tanto em ambientes externos quanto ambientes internos e é feito de diferentes espécies de plantas naturais. Por isso, é preciso avaliar a incidência de luz solar para não prejudicar no crescimento das plantas. Para ter essa “parede verde” é necessário ter um ponto de água, bem como um ponto de energia e um ponto de dreno.

 

jardim vertical natural - entenda antes

jardim vertical natural - entenda antes

 

Jardim Vertical Preservado

Excelente para ambientes fechados com pouca incidência de luz solar. Pois, é feito com plantas preservadas (processo de conservação que mantém textura, folhagem e integridade), sem necessidade de manutenção ou irrigação. São acomodadas em placas ou quadros que depois são fixadas no ambiente.

 

jardim vertical preservado - entenda antes

jardim vertical preservado - entenda antes

jardim vertical preservado - entenda antes

 

Jardim Vertical Musgo Moss

É uma planta preservada em formato arredondado de modo artesanal. Além disso, são 16 variações de cores que dispensam manutenções periódicas e dão um requinte ao ambiente.

 

jardim vertical musgo - entenda antes

 

Jardim Vertical Artificial

Feito de materiais de alta qualidade esse tipo de jardim reproduz formas, cores e texturas de plantas naturais. Em resumo, é produzida normalmente de seda fina ou poliéster, dispensam manutenção e podem ser colocados em ambientes internos ou externos.

 

jardim vertical - entenda antes

 

Veja também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Como fazer um jardim vertical

Jardim vertical para área pública

A grande versatilidade é um dos principais benefícios de um jardim vertical. É possível que ele seja instalado em uma área externa ou interna, em casas ou apartamentos. Também em ambientes grandes ou pequenos.

No entanto, jardins verticais precisam ser bem feitos. Caso contrário podem causar um cheiro desagradável devido ao apodrecimento das plantas.

Para jardins verticais em fachadas extensas e muros altos, onde as pessoas não conseguem ter acesso facilmente, o ideal é contratar uma empresa de paisagismo especializada para elaborar um projeto. Essas empresas utilizam materiais apropriados, substratos que são mais leves e não vão sobrecarregar a estrutura da fachada, parede ou muro.

No mais, elas podem projetar um sistema de irrigação automático com adubagem líquida. Ou um sistema de escoamento da água e ainda escolher as espécies adequadas para o jardim vertical.

 

jardim vertical - entenda antes

 

Por sua vez, se a ideia é fazer um jardim vertical simples em uma área menor, você pode utilizar vasos de barro, que absorvem melhor a água, dispostos verticalmente, ou ainda estruturas prontas para jardins verticais feitas de concreto, de plástico, estruturas cerâmicas, placas de fibra de coco e até mesmo feitas com canos de PVC.

E na hora da fixação, utilize painéis de madeira, treliças metálicas ou de bambu e cordas. Mas lembre-se que a estrutura tem que ficar firme e ser muito bem fixada, com furos para que a água escorra e com um sistema de dreno para essa água excedente caso o jardim seja interno.

 

jardim vertical - entenda antes

Como escolher as plantas do seu jardim vertical

Com a estrutura do seu jardim vertical definida, é hora de escolher as plantas que irão compor o jardim.

É possível cultivar praticamente qualquer espécie de plantas e até de árvores em jardins verticais. No entanto, as raízes precisam ter espaço para se desenvolverem no suporte utilizado e também é preciso que o suporte possa aguentar o peso da planta e da terra úmida.

 

plantas jardim vertical - entenda antes

 

Quando jardim vertical for próximo da cozinha ou da varanda gourmet, uma boa ideia é plantar espécies comestíveis. Como o manjericão, orégano, alecrim, tomilho, sálvia, hortelã, coentro, salsinha, pimenta, etc.

Também é muito comum e fica muito bonito, plantar suculentas no jardim vertical. E elas ainda têm uma grande vantagem: não precisam ser irrigadas com frequência e se adaptam bem a meia sombra.

É importante escolher espécies de plantas que não perdem suas folhas com as estações, assim você terá um jardim sempre bonito o ano todo.

 

plantas jardim vertical - entenda antes

 

Veja também: 10 dicas para você começar a fazer um jardim vertical

Dicas para seu Jardim Vertical

Jardim Vertical - Como fazer um jardim vertical

 

Para fazer um jardim vertical a primeira coisa a se fazer é observar o seu espaço para entender o que pode ser feito ali e que tipo de planta combina com o ambiente. Pois, precisamos criar um ambiente harmônico e não simplesmente colocar uma parede de flores.

Pense sempre no custo benefício. Afinal, não adianta investir em plantas de custo alto se não tiver tempo de cuidar. Se sua rotina permitir é possível cultivar mini hortas, plantar temperos, pois esses tipos de jardins exigem manutenção frequente. O solo, clima e irrigação devem ser levados em conta. Avalie se elas têm as mesmas características e tipo de cuidado. Em casos de plantas naturais elas tem que ser hidratadas adequadamente, cuidado para não encharcar o solo e em caso de viagens planeje antes.    

 

jardim vertical - entenda antes

 

Algumas plantas são mais vistosas como é o caso da samambaia. Elas precisam de um espaço vertical mais exclusivo. Por isso, você pode optar por colunas, aparadores ou correntes de teto.

Aproveite para fazer do seu cantinho verde um ambiente agradável e aconchegante onde você pode meditar. Bem como fazer yoga, ler um livro, ouvir música ou até conversar com amigos e família.

Leia também: Você NÃO precisa perder tempo com projeto para construir sua casa. Entenda o porquê!

Procure aprender sobre o Feng Shui. Pois, pode ajudar, já que é uma técnica milenar chinesa de arrumação de cômodos com o objetivo de equilibrar as energias e atrair harmonia. Por meio dessa prática você pode escolher locais indicados para cada tipo de planta que ajudam a cortar energias negativas.

Todavia, não se esqueça de podar suas plantas periodicamente, retirando galhos e folhas secas ou ramos que se cruzam e raspam um no outro. Ao passo que isso auxilia no crescimento saudável das plantas deixando seu jardim mais bonito.

 

Como fazer um jardim vertical?

 

Utilize um substrato especial no lugar da terra convencional. Pois ele garante que as plantas fiquem vivas e se adaptem a uma estrutura vertical. Vocês podem optar por substratos que já vêm com adubo que liberam aos poucos quantidades pequenas de fertilizante quando entram em contato com a água.

Por fim, depois de tantas dicas legais sobre o jardim vertical que tal começar a pensar em montar o seu? Prático, fácil e com toda certeza melhora a qualidade de ar no ambiente. Está esperando o que? Se inspire e abuse da sua criatividade!

 

feng shui - jardim - entenda antes

 

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta e opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Compartilhe com as pessoas, isso pode ajudar quem está pensando em desenvolver um lindo jardim vertical, interno ou externo!

Shopping Basket
1