Conheça nossas Trilhas

24 de maio de 2024
22.55°C New York
financiamento: tudo o que você precisa saber!

Financiamento: Um guia completo com tudo que você precisa saber

Ter a casa própria, comprar um carro e se formar na faculdade. É bem provável que você tenha pelo menos um desses sonhos. Acertamos? Mas sabemos que não é fácil concretizar esses desejos, principalmente porque eles exigem um alto investimento. É aí que entra o financiamento: uma alternativa para adquirir seus bens sem precisar ter todo o dinheiro no momento da compra. 

É claro que esse termo já deve ser familiar para você, seja em propagandas, nos noticiários ou ouvindo o relato de algum conhecido que financiou um bem. Mas será que você sabe exatamente o que é e como funciona um financiamento?

Já adiantamos que não é um bicho de sete cabeças. Contudo, você precisa conhecer bem sobre o assunto antes de fazer uma contratação.

É por isso que elaboramos este guia completo com tudo que você precisa saber sobre financiamentos. Nele você vai descobrir: 

  • O que é e como funciona um financiamento;
  • Quais são os principais tipos de financiamento;
  • Onde contratar e simular um financiamento;
  • E outros tópicos importantes. 

Preparado para solucionar todas as suas dúvidas sobre financiamento? Então vamos lá! 

O que é financiamento?

Primeiramente, vamos esclarecer o que é um financiamento? Essa é uma modalidade de crédito na qual você solicita determinada quantia de dinheiro a uma instituição financeira (banco, cooperativa de crédito ou companhia financeira) e pode pagar de maneira parcelada e com uma taxa de juros. 

É importante ficar atento a uma particularidade: o financiamento é destinado para aquisição de um bem específico, como casa, carro etc. Ou seja, o dinheiro para pagar o produto é entregue diretamente ao estabelecimento, seja uma concessionária, construtora ou outro tipo de empresa.

É principalmente esse detalhe que diferencia o financiamento de um empréstimo, por exemplo. Nessa última modalidade, você solicita dinheiro emprestado e pode usá-lo da forma que quiser. 

Como funciona um financiamento?

Normalmente, os financiamentos são usados para adquirir bens de alto valor e, por envolver altas quantias de dinheiro, a transação deve ser segura e transparente para todas as partes envolvidas. 

Para financiar uma casa, por exemplo, você deve solicitar o crédito direto na construtora ou com a instituição financeira. Após avaliar o seu perfil e analisar informações, como a renda familiar, o banco resolve autorizar ou não a transação. 

Caso o financiamento seja aprovado, a construtora ou imobiliária recebe o dinheiro e o imóvel é seu. Em outras palavras: o banco compra o bem do fornecedor e recebe esse dinheiro com juros todos os meses diretamente do comprador.

Mas é claro que esse processo deve ser formalizado por um contrato assinado entre comprador e instituição financeira. O valor do bem, juros e demais taxas são especificados no contrato. Portanto, você saberá quanto pagar pelo financiamento de maneira antecipada. 

Regras para obter um financiamento

De modo geral, qualquer pessoa com mais de 18 anos de idade pode solicitar um financiamento. Contudo, isso não é uma garantia de que a transação seja aprovada. Isso porque as instituições financeiras têm suas próprias regras para avaliar o perfil do solicitante e definir se ele está apto a obter um financiamento. 

Essas regras variam de acordo com o banco ou cooperativa de crédito, por exemplo. Da mesma maneira, podem variar de acordo com o tipo de financiamento, ou seja, se é um financiamento imobiliário, de veículos etc. 

Mas uma regra comum em todos é que o solicitante não pode ter o nome vinculado aos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa. 

Tipos de financiamento

tipos de um financiamento

Comprar a casa própria, construir uma casa do zero, adquirir um carro…

Esses são os objetivos mais comuns para quem busca um financiamento. Quer conhecer quais outros bens você pode financiar e como funciona cada um dos tipos de financiamento? Então confira os tópicos a seguir.

Financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é a modalidade mais utilizada, seja para quem quer realizar o sonho de morar na casa própria ou fazer um investimento. 

Atualmente, a maioria dos financiamentos imobiliários são realizados pela Caixa Econômica Federal. Um dos grandes atrativos dos financiamentos imobiliários da Caixa são os juros mais baixos e as facilidades de parcelamento, principalmente para a população de baixa renda. Assim, é possível financiar um imóvel e pagar em até 360 parcelas, ou seja, em 30 anos). 

Além dos programas de financiamento para pessoas de baixa renda, como o Casa Verde e Amarela, que substituiu o Minha Casa Minha Vida, o banco também possui outras linhas de crédito, inclusive para imóveis mais caros. 

As condições de negociação variam bastante mas, de modo geral, dependem do perfil do comprador. O banco analisa, principalmente, o histórico de crédito e a renda familiar. 

Faça a sua simulação habitacional da Caixa para adquirir um imóvel novo ou usado.

Algumas características específicas dos financiamentos imobiliários são: 

  • Normalmente, as instituições financeiras financiam até 80% do valor do imóvel. Portanto, esteja preparado para pagar uma entrada. 
  • O comprador pode utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para dar entrada, pagar uma parte ou amortizar a dívida. 
  • Fique de olho para não se endividar: o financiamento só é autorizado pela instituição financeira caso o valor da prestação comprometa, no máximo, 30% da renda bruta familiar. 

Onde contratar um financiamento imobiliário?

Conforme já citamos, várias instituições financeiras oferecem financiamento imobiliário. Conheça as características das principais opções:

Banco do Brasil 

O BB Crédito Imobiliário permite que você financie até 80% do valor de um imóvel novo ou usado e pague em até 420 meses. Uma das facilidades é que o financiamento pode ser contratado pela internet.

Faça uma simulação do BB Crédito Imobiliário

Itaú

Já o financiamento imobiliário do Itaú cobre até 90% do valor do imóvel com prazo de até 30 anos para o pagamento. Para contratá-lo, é necessário que o imóvel tenha valor mínimo de R$134 mil. 

Faça uma simulação de crédito imobiliário Itaú.

Bradesco

Já o Bradesco oferece duas linhas de crédito imobiliário. A primeira é o financiamento Residencial Poupança Mais, que possui taxa anual fixa + remuneração da poupança. Outra opção é o financiamento Residencial, com taxa anual fixa + TR (Taxa Referencial). 

Simule seu financiamento Bradesco

Santander

O financiamento imobiliário do Santander pode ser contratado pela internet com análise de crédito e aprovação rápida. O banco permite o financiamento de até 80% do valor do imóvel, com até 35 anos para pagamento.

Faça sua simulação do crédito imobiliário Santander.

Taxas de juros do financiamento imobiliário

Cada banco tem taxas e condições diferentes e, por isso, é essencial pesquisar antes de realizar a transação. Confira a seguir um comparativo de taxas de juros de financiamento entre os principais bancos: 

 

BANCO TAXA MÍNIMA DE JUROS
Caixa a partir de 2,95% + IPCA (taxa de inflação)
Caixa (modalidades tradicionais) a partir de 6,5% + TR (Taxa Referencial)
Banco do Brasil     a partir de 3,45% + IPCA 
Itaú a partir de 7,45% + TR
Bradesco a partir de 7,30% +TR 
Santander a partir de 7,99% + TR

 

Obs.: Os dados levantados pelo portal G1 referem-se às taxas praticadas em 2020, portanto, podem sofrer variações.

Financiamento de veículos

Também é possível fazer um financiamento para adquirir seu carro próprio, seja ele novo ou usado. Nesse caso, a dinâmica do financiamento é a mesma: uma instituição financeira empresta o dinheiro para pagar o bem. Esse empréstimo deve ser pago juntamente com taxas e juros em parcelas mensais.

Se você pretende financiar um carro ou moto, por exemplo, é importante saber que existem diferentes modalidades de financiamento. São elas: CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e Leasing. 

Crédito Direto ao Consumidor

Essa é a modalidade mais utilizada no financiamento de veículos. Com ela, o consumidor faz um empréstimo em um banco e compra o carro ou moto em seu nome

Apesar de o comprador ter a posse, o veículo fica alienado ao banco. Em outras palavras: o veículo serve como garantia de que a dívida será paga, já que o bem financiado pertence ao banco até que todas as parcelas sejam pagas. 

Esse tipo de financiamento pode ser feito com a intermediação entre a concessionária e instituição financeira ou contratado diretamente no banco. 

Leasing 

Outra opção de financiamento de veículos é o leasing. Nessa modalidade, é possível ter um carro novo, sem precisar comprá-lo. Na prática, funciona como um aluguel: o cliente paga para usar o veículo que é de propriedade da empresa credora. 

Nesse caso, o cliente paga apenas uma parte do carro e, por isso, o valor da parcela e a taxa de juros são menores. Apesar do valor mais atrativo, é preciso pensar bem antes de contratar um leasing. Isso porque, ao fim das prestações, o consumidor pode escolher se vai ficar com o carro, devolver à empresa ou trocar por outro modelo. 

Caso escolha ficar com o veículo, será necessário pagar um valor para concretizar a compra. Muitas vezes, pode sair mais caro do que um financiamento CDC. 

Financiamento para construção

Ter a casa própria do jeito que sempre sonhou parece um sonho distante pra você? O financiamento para construção pode facilitar esse processo. Com algumas características em comum com o financiamento tradicional, nessa opção é possível financiar o terreno e a construção da casa. Outra possibilidade é financiar somente os gastos com a construção em si. 

Assim como citamos no tópico sobre financiamento imobiliário, no crédito para construção é possível financiar até 80% do valor total, bem como utilizar seu saldo do FGTS para abater a dívida. 

A maioria dos bancos realizam esse tipo de financiamento e, inclusive, ele pode ser enquadrado nos programas de subsídio do governo, como Minha Casa Verde e Amarela. 

Financiamento estudantil

Diferentemente dos outros tipos de financiamentos, nesta modalidade o contratante não adquire um bem material. O financiamento estudantil é uma alternativa para quem não tem condições de pagar o valor integral das mensalidades de um curso de graduação. 

O mais conhecido é o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), um programa do governo federal em parceria com a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. 

O Fies funciona da seguinte maneira: a instituição financeira repassa o pagamento das mensalidades à instituição de ensino. O pagamento do financiamento só é realizado pelo estudante após a conclusão do curso. 

Uma das vantagens do Fies é oferecer um financiamento com juros mais baixos que um empréstimo comum. Dependendo da renda familiar do estudante, é possível conseguir um financiamento com juros zero.

Vale ressaltar que o Fies não é a única opção de financiamento estudantil. Outros bancos também oferecem essa modalidade com critérios próprios e taxas de juros mais altas. 

Entenda o que é a amortização do financiamento

amortização de financiamento

Já ouviu falar no termo “amortização” mas ainda não sabe o que isso significa? Deixa que a gente explica. 

Basicamente, amortizar um financiamento é reduzir o valor da dívida, seja parcial ou totalmente. Em outras palavras, a amortização é o pagamento das parcelas mensais ao banco. Assim, o saldo devedor ficará menor a cada mês, ou seja, será amortizado.  

Dessa maneira, o valor da parcela de um financiamento habitacional, por exemplo, é a soma da amortização (o valor do bem), juros e encargos financeiros. 

Existem diferentes tipos de amortização de um financiamento e os mais utilizados são as tabelas Price e SAC.

Na Tabela Price, as parcelas têm um valor fixo do começo ao fim das prestações. Já a amortização aumenta com o passar do tempo. Essa modalidade é mais utilizada na aquisição de veículos

No Sistema de Amortização Constante (SAC), o valor das prestações são decrescentes, ou seja, vão diminuindo com o passar do tempo. Já o valor da amortização do saldo devedor é constante. Esse é o método mais utilizado em financiamentos imobiliários. 

Vale a pena fazer um financiamento?

Depende. Essa resposta pode não agradar muito, mas já vamos explicar porque não existe uma resposta definitiva. 

Cada caso é um caso e seria imprudente da nossa parte induzi-lo a financiar ou fazê-lo desistir do procedimento. Então, para ajudá-lo a considerar se vale a pena financiar uma casa ou carro, por exemplo, considere os seguintes aspectos: 

Condições de financiamento

Financiar significa que você vai conseguir um dinheiro emprestado imediatamente para pagar no futuro e em parcelas. Ou seja, você terá que pagar o valor para adquirir o bem, além de pagar juros e correção monetária. 

Portanto, avalie bem as condições de financiamento, incluindo: 

  • valor da entrada 
  • taxas de juros
  • prazo do financiamento
  • valor final a ser pago

Quer avaliar se o financiamento é vantajoso para você? A nossa dica é utilizar os simuladores de cada banco. Dessa maneira, você tem uma visão geral das condições e pode comparar as condições de cada instituição financeira. 

Analise também o valor total que será pago e questione-se: em quanto tempo levaria para comprar à vista? Por mais que pareça algo inalcançável, é necessário pensar fora da caixa antes de tomar uma decisão tão importante. 

Dúvidas frequentes

dúvidas sobre financiamento

1. Financiamento não aprovado: o que fazer?

Conforme já explicamos, a instituição financeira pode aprovar ou não o pedido de crédito. No caso de financiamento negado, os motivos podem ser os seguintes: 

  • Restrição de crédito, ou seja, ter seu nome cadastrado no SPC ou Serasa;
  • Problemas no INSS ou Receita Federal, como pendência na Declaração de Imposto de Renda, dívidas ativas e impostos atrasados;
  • Nome incluso no Cadastro de Emitentes de Cheque Sem Fundo (CCF);
  • Problemas na comprovação de renda. 

Teve seu financiamento negado? Normalmente, as instituições de crédito impõem restrições que impedem uma nova solicitação imediata. Em financiamentos imobiliários, por exemplo, o solicitante pode ficar proibido de solicitar um novo crédito durante seis meses. 

Se esse foi o seu caso, analise todos os documentos para encontrar e solucionar o fator que impediu a aprovação do financiamento. 

2. Quem tem financiamento pode ser fiador?

Normalmente não. Isso porque, ao se tornar um fiador, é necessário dar garantias à instituição de que pagará a dívida caso ela não seja quitada pelo responsável. Ou seja, o imóvel do fiador poderá ser penhorado. 

No caso de uma casa financiada, a propriedade só é do comprador depois que a dívida estiver quitada com o banco. Logo, não serve como uma garantia. 

Da mesma maneira, ser fiador pode impedir o financiamento em algumas situações. Afinal, ser fiador é um compromisso financeiro que pode comprometer a sua capacidade de pagar o valor que foi emprestado. 

3. Quando quitar um financiamento tem desconto?

Não quer esperar 10, 20 ou 30 anos para terminar de pagar um financiamento? Ou então, recebeu um dinheiro extra e quer logo acabar com a dívida? Seja qual for a situação, é interessante saber que você pode sim quitar um financiamento antes do prazo e ainda ter um desconto. 

Esse desconto é calculado sobre os juros da transação proporcionalmente ao tempo de adiantamento. Assim, a dívida pode sair mais barata do que o esperado. 

Mas, antes de optar por adiantar o pagamento, faça cálculos para verificar se essa alternativa é vantajosa financeiramente. 

4. O que acontece se o cliente deixar de pagar as prestações do financiamento?

Se você não quer ter dor de cabeça, definitivamente não atrase as prestações de um financiamento. Imagine estar perto de realizar o sonho da casa própria e simplesmente ter o imóvel retomado pelo banco? Pois é isso que pode acontecer com a inadimplência da dívida. 

No caso do financiamento imobiliário, por exemplo, os bancos estipulam um período de tolerância. Normalmente, eles permitem cerca de três prestações em atraso.

Depois disso, o banco pode acionar o cliente extrajudicialmente, dando o prazo de 15 dias para quitar a dívida em atraso. Caso contrário, o imóvel voltará a ser propriedade do banco e levado a leilão. 

Esse mesmo procedimento também pode ser realizado em outros tipos de financiamento, como de carros e motos. Então é melhor não arriscar, concorda?

Conclusão

Agora que você já entendeu mais sobre financiamentos, está mais preparado para tomar uma decisão. Então, use as dicas para fazer a simulação e analise bem sua realidade financeira antes de contratar um financiamento. 

Agora queremos saber: você faria um financiamento para realizar qual sonho? Comprar a casa própria, construir a casa dos sonhos, adquirir um carro ou concluir a graduação? Compartilhe nos comentários!

 

Se seu sonho é ter sua casa própria, hoje em dia existe a opção de compra de projeto, que além de ser mais acessível também garante a satisfação de que você está pagando por um projeto que realmente gostou. Digamos que existem 3 opões para você adquirir o seu projeto, cada uma delas com suas vantagens e desvantagens, como tudo na vida, se você quer conhecer essas 3 opções, clique aqui. 

Financiamento de casa pré-fabricada, como funciona?

Financiamento de casa pré-fabricada, como funciona?

(Clique no vídeo para acompanhar visualmente esse artigo!)

(Se preferir, clique no player para o ouvir a narração desse artigo! Queremos facilitar sua vida, desde consumir o nosso conteúdo até realizar o seu projeto.) =)

O financiamento de casa pré-fabricada é uma forma efetiva de garantir o tão sonhado imóvel próprio. Quando a casa é escolhida, inicia-se a procura por um financiamento que seja possível adquiri-la. Em suma, o financiamento “compra” a casa para o cliente e, depois disso, ele deve pagar o banco. Saiba mais!

Como funciona o financiamento de casa pré-fabricada?

Financiamento de casa pré-fabricada, o que eu preciso saber?

O financiamento de casa pré-fabricada pode ser solicitado a partir do momento em que deseja sair do aluguel. No entanto, também pode ser uma alternativa de reforma, por exemplo. De qualquer modo, o pagamento do imóvel pode ser feito através do financiamento. Essa questão gera muitas dúvidas, já que trata-se de um assunto financeiro de grande seriedade. Porém, o financiamento é uma alternativa que pode ser muito benéfica. Logicamente, é preciso organizar-se financeiramente para contratá-lo.

Contudo, ele funciona da seguinte forma: o banco paga o vendedor do imóvel a quantia da compra que será financiada. A partir do momento que isso ocorre, o financiado deve pagar o banco. É importante ressaltar que durante todo o período das parcelas, a casa não pode ser negociada. Ou seja, mesmo que ela seja do proprietário financiado, ela não pode ser negociada com outra pessoa. Atualmente, existem muitos bancos que oferecem o financiamento de casa pré-fabricada.

O que é necessário para contratar o financiamento?

O que é necessário para contratar o financiamento de uma casa pré-fabricada??

Contratar um financiamento pode ser algo fácil, mas não menos burocrático. O fato é que, como se trata de um dinheiro “emprestado”, é preciso agir com cautela. Um erro muito grande da maioria das pessoas, é justamente não fazer o planejamento financeiro. Ademais, dependendo do banco em que é solicitado o financiamento, é preciso preencher alguns requisitos. Isso, no entanto, pode variar de instituição para instituição. Ainda assim, é altamente recomendado garantir que o financiamento correto seja escolhido. Além disso, que a documentação correta também esteja presente. Uma questão importante, é que nem sempre o financiamento de casa pré-fabricada é liberado para o imóvel desejado. Ou seja, o valor liberado pode ser menor e isso pode fazer com que um imóvel mais simples seja o ideal. Nesse momento, é possível aguardar e juntar uma quantia maior de dinheiro, esperar um tempo e solicitar novamente. De qualquer maneira, é necessário:

  • Escolher as condições de financiamento;
  • Documentos originais e cópias (RG, CPF, comprovantes de estado civil, renda, etc).

Avaliação e aprovação

Após escolher o tipo de financiamento e oferecer a documentação necessária, o banco dá início à análise. Porém, a instituição não faz isso de maneira direta. O que ocorre, de fato, é que utiliza-se uma empresa, arquiteto ou engenheiro. Assim, o valor é analisado, bem como acontece a avaliação do imóvel. A intenção nesse momento é confirmar o valor solicitado e ver se as possibilidades estão dentro do adequado. Caso esteja tudo certo, o banco elabora um contrato e pede para que o comprador assine o documento. É importante ressaltar que o contrato deve ser registrado em cartório. Isso, inclusive, deve ocorrer antes de ser levado à agência bancária. Assim sendo, após todo esse processo ocorrer, que não é do dia para noite, o crédito é liberado. A partir do momento em que isso ocorre, o vendedor é pago pelo banco. Nesse momento, o financiado inicia o pagamento.

Principais tipos de financiamento

Um equívoco muito comum por parte de quem nunca contratou um financiamento de casa pré-fabricada, é em relação aos tipos. Daí se dá a importância de saber exatamente o que escolher e qual fica melhor. É preciso frisar que o banco também pode opinar no tipo de financiamento. Ocorre que, muitas vezes, algum indivíduo determina que X financiamento será melhor.

Leia também: Formas de Financiamento imobiliário, qual é a melhor?

No entanto, a instituição financeira sabe que talvez o financiamento escolhido não é o mais adequado. Assim, apresentam-se as opções mais plausíveis para ele. Nesse momento, ele tem a opção de tentar ou deixar de lado. Geralmente, o mais indicado é tentar. Isso, logicamente, dependendo da situação pessoal de cada um. Afinal, é preciso, como dito, ter cautela e assumir de fato o compromisso. Contudo, também deve ser levado em conta a necessidade pela casa pré-fabricada. Dependendo do momento econômico, os bancos podem ser mais criteriosos na liberação. Assim sendo, os principais tipos são:

  • Financiamento pelo FGTS: utiliza-se o FGTS e faz parte do SFH. O valor da casa pré-fabricada e também do financiamento podem variar de maneira periódica. Somente é permitido nesse tipo de financiamento pessoas com renda familiar máxima. Isso pode variar conforme a região do país.
  • Financiamento através do SBPE: não é necessário limite de renda. Ademais, caso a casa pré-fabricada possua um valor dentro dos limites do SFH, os juros são de até 12% ano.
  • Construtora: a opção de negociar diretamente com a construtora pode ser mais fácil, às vezes. Ocorre que, assim, apresentam-se possibilidades melhores. Além de também uma flexibilidade maior para negociar. Uma das maiores vantagens é que não impõe limites no valor. Logo, o cliente tem uma margem de negociação muito maior e mais ampla.

Com tais modalidades de orçamento, a forma de negociar fica muito mais fácil. Dependendo da instituição financeira, podem existir algumas modalidades e regras próprias. Portanto, é sempre importante consultar.

Orçamento gratuito e praticidade na casa pré-fabricada

Orçamento gratuito e praticidade para casa pré-fabricada

As casas pré-fabricadas são construções modulares que são transportadas através de um caminhão. Esse tipo de casa é algo extremamente prático. Por conta disso, sua popularidade expandiu consideravelmente. Cada dia mais, as pessoas buscam saber sobre o financiamento de casa pré-fabricada e as melhores formas de financiá-la. Justamente por se tratar de residência “prontas”, tudo isso exige um grande time de profissionais. Isso não se limita somente à construção, mas também no planejamento.

No entanto, o primeiro passo para você conseguir orçar uma casa no sistema construtivo industrializado, é necessário que você tenha o projeto arquitetônico da casa que você deseja construir, com base nesse projeto arquitetônico que essas empresas que trabalham com sistemas construtivos rápido irão conseguir chegar em um valor para você.

Veja modelos de projetos arquitetônicos para diversos tamanhos de terrenos e gosto, clique aqui.

Shopping Basket
1